Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Sambilas voltam a ceder pontos

Manuel Neto - 20 de Setembro, 2015

Sambizanga voltou a perder pontos

Fotografia: Jos Soares

O Progresso Sambizanga voltou ontem a perder pontos em casa. A formação orientada por Albano César com altos e baixos na prova, não foi capaz de tirar proveito do momento menos bom que o Bravos do Maquis enfrenta.

Quando aos 2', o capitão Jaime com um cabeceamento primoroso abriu o marcador para a turma do Sambila, de certeza que os presentes no estádio acreditavam numa goleada, a julgar pela forma fulgurante como a equipa da casa entrou em campo.

Os maquisardes com o golo sofrido avivaram a sua força anímica com o espírito de que a despromoção não deve fazer parte do esquema mental do grupo, apesar das dificuldades financeiras que enfrentam.

Imbuída deste pensamento, a turma que veio do Moxico puxou dos galões, acertou o seu fio de jogo e foi equilibrando a partida chegando mesmo a criar dissabores ao último terço adversário.

Ainda assim, foi o Progresso que teve a oportunidade mais flagrante de elevar o marcador, quando Mufuku na "cara" do golo disparou para as nuvens.
Os maquisardes não se intimidaram, fizeram o seu jogo com classe nas transições bem desenhadas da defesa, meio campo e ataque, mas o golo ficava apenas pelo sonho, porque do outro lado estava um conjunto bem estruturado, ciente de que uma vitória salvaria a equipa do grupo dos aflitos.

Como no acreditar está o ganho, os comandados de Alberto Cardon, numa jogada de insistência, a bola embateu na mão de Jaime e o árbitro, próximo da jogada, apontou para a marca de grande penalidade.

Chole, chamado a cobrar o castigo máximo, fê-lo com inteligência, corriam 42 minutos de jogo. O Progresso ainda reagiu com jogadas dignas de realce, mas nesta fase o tempo foi mais um adversário.

Árbitro: Abel Banda
Auxiliares: Rosário Cassinda e Feliciano Tchalo
4º Árbitro: Irene Pinto
Resultado final 1–1
Progresso: Titi, Jaime, Laurence, Abegá e Nuno; Viet, Gerard, Ito, Avex, Yano e Mufuku.
Substituições:  Ito por Milambo,  Abegá  por Richi e Mufuku  por Massinga
Treinador: Albano César
Acção Disciplinar: Amarelo para Jaime e Avex
Maquis: Kizamba; Chonene, Dinis, Ikuma e Miro; Quinzinho, Lelo, Kiloy, Castro, Josimar e Chole.
Substituições
: Castro por Djo, Quinzinho por Silva    
Acção Disciplinar: Vermelho a Chonene
Treinador: Alberto Cardon
Ao intervalo: 1-1


GIRABOLA
Domant hipoteca permanência


A equipa do Domant FC do Bula Atumba comprometeu a sua permanência no Girabola, ao consentir ontem um empate a um golo diante do Sagrada Esperança, naquela que foi uma das cinco “finais” que restam à equipa do Bengo para manter vivas as esperanças de se manter na maior prova futebolística nacional.

O jogo começou com muita responsabilidade para as duas equipas, tendo em conta a posição aflitiva em que se encontram na tabela de classificação, necessitando de se salvar da iminente despromoção a que estão sujeitas.

Ainda assim, a equipa visitante foi aquela que começou por criar grandes jogadas de perigo, obrigando o guarda-redes Alex a um esforço redobrado, fazendo defesas muito arrojadas. O Sagrada chegou inclusive a criar um lance que resultou numa grande penalidade, mas que, para alegria da massa associativa domantina, Fatite não teve discernimento de concretizar.

Refeitos do susto, os jogadores da equipa do Domant ganharam outra motivação e passou a assediar cada vez mais o meio-campo dos diamantíferos. Foi assim que, depois de muitas falhas repartidas para as duas equipas, os donos da casa abriram o activo aos 71´, por intermédio de Abel Mainfuila, num golo de belo efeito, depois de um passe do seu companheiro Abel.

A partir desse golo a equipa do Domant FC tomou as rédeas do jogo, relegando o adversário para a condição defensiva.

O Sagrada Esperança acreditou e chegou ao golo do empate, justamente no declinar do jogo, com Guedes a aproveitar-se de desatenção da defesa do Domant FC e fazer o empate aos 88 minutos.
  Augusto Panzo/ Caxito