Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Santa Rita de Cássia empata com kabuscorp

14 de Março, 2017

Formação do Uíge impôs um rigoroso empate numa partida em que as duas equipas desperdiçaram soberanas oportunidades de golo

Fotografia: EUNICE SUZANA

Em tempo de Quaresma a Santa Rita de Cássia não operou um milagre, mas brindou os seus devotos com um resultado que deixou todos orgulhosos pelo desempenho do seu representante no Girabola frente ao Kabuscorp do Palanca e honrar a memória de todos aqueles que pereceram no jogo de estreia da equipa na maior prova futebolística nacional.

Frente a um candidato ao título e que vinha de uma sequência de quatro vitórias consecutivas à atitude e agressividade da equipa do Uíge foi a todos os níveis positiva e o resultado soube a pouco, por tudo aquilo que fizeram ao longo da partida e as oportunidades criadas.

Uma vitória dos anfitriões não seria nenhuma surpresa, pois, a formação orientada por Sérgio Traguil em momento nenhum deixou-se intimidar pelo estatuto dos visitantes e o seu percurso no arranque da prova.

Olhando o adversário no olho, o Santa Rita demonstrou muito cedo que não estava em campo para cumprir mera formalidade, mas sim disputar o jogo pelo jogo até as últimas consequências e conquistar os três pontos.

Do lado contrário, o Kabuscorp fazia um jogo de paciência ciente de que o golo seria apenas uma questão de tempo. A qualidade do seu plantel em algumas situações faziam a diferença e levavam um certo perigo a baliza defendida por Elber.

Abençoada pela chuva e a sua padroeira, os visitantes num lance de contra-ataque adiantaram no marcador aos 41\', por intermédio de Gazeta, coroando a atitude e a garra da equipa da casa.

Na etapa complementar a toada de jogo não alterou e o Santa de Rita não ampliou o marcador por falta de serenidade dos seus atacantes na hora da finalização. A entrada de Zé Kalanga deu uma lufada de ar fresco a equipa e sufocou os defensores contrários.

A equipa de Romeu Filemon sobreviveu as investidas do adversário e na sequência de uma bola parada, numa altura em que o desespero já começava a tomar conta do plantel, a estratégia do técnico foi coroada com Nelito recém entrado a restabelecer a igualdade à passagem do minuto 74.

Até ao apito final do árbitro da partida, que não teve qualquer influência no resultado, as duas equipas ainda deram-se ao luxo de falharam mais algumas oportunidades.