Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Santa Rita FC apresenta hoje novo treinador

Augusto Panzo - 03 de Janeiro, 2017

Direcção da equipa do Uíge esboça Girabola Zap com apresentação esta manhã do plantel ao novo treinador

Fotografia: Paulo Mulaza

A equipa do Santa Rita FC de Cássia estreia-se este ano no Girabola Zap, em representação da província do Uíge, abre hoje às 9h00 no campo de futebol da Universidade Metodista de Angola, sito no bairro da Caop, por detrás do mercado Sabadão, município de Cacuaco, as oficinas com vista à época que se avizinha.

De acordo com o presidente de direcção do clube, Nzolani Pedro, os trabalhos começam com a apresentação do treinador Sérgio Traguil ao grupo de trabalho, com realce para o primeiro encontro com os membros da equipa técnica.

"Vamos apresentar o nosso treinador ao grupo de trabalho nesta terça-feira (hoje), dia 3 de Janeiro de 2017. Os jogadores e os treinadores seus adjuntos passam a ter o primeiro contacto com o técnico principal, que acontece no campo da Universidade Metodista, no bairro da Caop, concretamente por detrás do mercado do Sabadão, em Cacuaco", afirmou Nzolani Pedro.

O dirigente informou que a seguir ao acto de apresentação do treinador de nacionalidade portuguesa,  acontece o primeiro contacto com o grupo à disposição, para se esboçar a estratégia com vista à realização dos trabalhos.

"Acredito que depois da apresentação entra-se imediatamente para as vertentes de trabalho, tal como à realização de triagem dos atletas, com vista a encontrar o esqueleto ideal para a formação do plantel definitivo", perspectivou o dirigente do clube do Uíge.

A questão de campos condignos, para a realização dos jogos de preparação, com o objectivo de dotar o plantel dos níveis aceitáveis, os preparativos em Luanda são o grande quebra-cabeças para as equipas que queria efectuar o estágio pré-competitivo.

Para evitar tal imbróglio, a escolha da direcção do Santa Rita FC recaiu  no campo de futebol da Universidade Metodista, ao bairro da Caop, em Cacuaco.

"Sabe que o problema de campos, em Luanda, é um grande quebra-cabeças. Desde esta preocupação, fizemos muitos contactos para encontrar um local que permitisse trabalhar sem grande pressão. Foi assim que a nossa escolha recaiu no campo de futebol da Universidade Metodista, na área da Caop", esclareceu.

Acrescentou que o baixo custo do aluguer do campo foi outro motivo que influenciou na escolha do recinto, porque os outros  contactados cobram caro.
"O baixo preço que a direcção da universidade estabeleceu como valor de cobrança pelo aluguer do campo, foi outro motivo que nos levou a preferir o recinto desportivo. Depois também o clima é muito favorável, dada a existência de condições naturais que a zona oferece", elucidou o dirigente.

GIRABOLA
Direcção almeja estreia tranquila


Nzolani Pedro espera que a equipa se bata “de igual para igual” com as demais equipas. Para tal, pretende reforçar o grupo com jogadores que garantem uma estreia na prova semsobressaltos.

A mais jovem agremiação do Uíge iniciou o seu percurso de sucesso no campeonato provincial, que venceu com 18 pontos, a um do segundo classificado, Osmats do Kibocolo.

Nesta prova Joaquim Muyumba orientou os “católicos”, mas a relação terminou na sequência do afastamento do Santa Rita FC nos 16 avos-de-final da taça de Angola pelo Jackson Garcia de Benguela (aos penaltis).

Com o apuramento já assegurado ao Girabola2017, os uigenses conquistaram o primeiro troféu da sua história, ao baterem o Bravos do Maquis, a 15 de Outubro, no estádio dos Coqueiros, em Luanda, por 3-2, na final do campeonato da Segunda Divisão 2016.

Apesar deste percurso espectacular pela tenra idade da equipa, o treinador obreiro do apuramento não chegou a entendimento com a direcção para renovação e hoje a equipa ainda não tem treinador, quando falta cerca de mês e meio do início do Giabola2017.

Nos 38 anos de existência do Girabola, esta agremiação eleva para cinco o número os clubes uigenses que já deixaram a sua marca na maior competição futebolística do país.

No histórico desta competição, a província do café regista a sua maior presença em número e em competitividade nas primeiras edições, em que foi representada pelos Construtores e FC do Uíge.