Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Saraiva aguarda deciso da direco

Avelino Umba - 24 de Novembro, 2016

Tcnico nacional est disponivel para abraar novo desafio caso apaream clubes interessado nos seus prstimos

Fotografia: Jos Soares

O técnico Paulo Saraiva está expectante quanto ao seu futuro na próxima época. Depois de colocar a equipa do Santa Rita de Cássia FC na primeira divisão, em repetição ao feito alcançado no comando do Damant FC de Bula Atumba, o treinador aguarda ansioso pelo pronunciamento da direcção do clube do Uíge.

Preocupado com o seu destino, revelou em entrevista ao Jornal dos Desportos, que terminou o vínculo em Outubro e neste momento, pouco ou nada sabe sobre a sua ex-equipa, porque ainda não foi contactado pelos dirigentes da formação das terras do café, para abordarem a continuidade ou não."Treinei o Santa Rita de Cássia, na época finda, coloquei a equipa na primeira divisão. Terminou o vínculo contratual com a direcção do clube, estou aberto a qualquer negociação", começou por explicar para acrescentar que não sabe muito sobre a equipa, nesta altura, já que  em termos contratuais nada está definido.

"Neste momento,  não sou treinador do Santa Rita. Fui o técnico, até a  altura que coloquei a equipa na primeira divisão, em que vencemos  o campeonato nacional da segunda divisão, mas o contrato terminou em Outubro, e até agora, nada foi feito no sentido de abordarmos esta situação", clarificou.

Paulo Saraiva afirmou, que apesar de distanciados, mantem conversas esporádicas, uma vez ou outra com o presidente do clube, Nzolani Pedro, um dirigente de quem nutre muita admiração. Reconhece que as coisas já deviam ganhar outro rumo, uma vez que as equipas começam dentro de poucos dias a preparar à próxima época.

"As coisas continuam como estão,  nós sabemos que as épocas preparam-se antecipadamente. Pessoalmente, tenho uma forma de trabalhar, que é correr contra o tempo, para não ser surpreendido pelo factor tempo. Gosto de fazer as coisas com antecedência", sublinhou. Alertou, que uma temporada deve ser preparada com muito rigor, para se evitar transtornos. "Temos de elaborar um programa bem definido, em função daquilo que se pretende, para realizarmos uma época tranquila. Se até agora nada está definido, acho que só a direcção sabe o que se está a passar", justificou.

Questionado se já recebeu convites de alguns clubes, assegurou que há interesses de muitos, mas de uma forma lacónica deixou o seguinte alerta a quem de direito. "Há interesses de muitos clubes, afinal muitos acompanham o meu trabalho, mas há que respeitar alguns pormenores. Não gosto de prever o futuro quando as coisas não acontecem de forma concreta, ou seja,  preto no branco" finalizou.

FUTURO
“O projecto requer continuidade”


Paulo Saraiva defende o projecto de continuidade, para evitar uma má prestação da equipa no ano de estreia na maior prova futebolística nacional, mas para que tal aconteça, a organização deve ser o factor primordial para o sucesso que se pretende.
"É um projecto que requer continuidade. Continuidade que exige uma certa organização em termos de planificação, porque se isso não acontecer, e como é  característica das equipas que sobem e logo no segundo ano descem, penso que a direcção do clube deve acautelar esta situação, no concernente à planificação para que a organização seja vincada dentro do que se pretende " enfatizou. Deste modo, o técnico adverte à direcção do clube, para tomar as devidas providencias no sentido do mais rápido possível ter a organização interna em dia, a exemplo de outras, que já têm os seus planteis fechados.

"Muitas equipas têm a sua programação e planteis fechados para a próxima época, mas o Santa Rita até ao momento, pelo menos daquilo que conheço como o treinador que terminou a época, nada foi feito nesta vertente", lamentou.Sem rodeios, Paulo Saraiva em jeito de agradecimento disse estar satisfeito com o apoio prestado pela população do Uíje, e em particular, pelo presidente do Clube, Nzolani Pedro.

"Quero agradecer o presidente do clube e à população do Uíje no seu todo, pelo apoio prestado e a oportunidade dada a muitos jogadores que elevaram a equipa para o Girabola 2017, um povo que muito gosta de futebol e que muito respeito merece. Estou aproveitar as férias forçadas à espera de alguma proposta concreta. O futuro a Deus pertence", realçou.

Quanto à possibilidade de voltar a treinar o Santa Rita, o técnico admitiu que existe boa vontade de ambas as partes, por isso, aguarda a decisão da direcção do clube presidido por Nzolani Pedro."Nesta altura, estou desempregado sem contrato com qualquer clube e aguardo a qualquer momento, o pronunciamento da direcção do clube para qualquer diálogo" concluiu.