Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Sem oportunidade difcil mostrarmos o nosso valor

ARO MARTINS, NO LUBANGO - 26 de Junho, 2016

Malamba destaca esprito de ajuda na equipa do treinador Ivo Traa para melhorarem a posio na tabela de classificao

Fotografia: Jornal dos Desportos

O médio Rodrigues Pedro “Malamba”, do Clube Desportivo da Huíla, que este ano disputa pela primeira vez o campeonato de seniores, está satisfeito com a integração no plantel principal da formação comandada por Ivo Traça,  promete trabalho para ser preferência da equipa técnica dos militares da Região Sul.

Em entrevista ao Jornal dos Desportos, no Lubango, Malamba agradece à equipa técnica do Desportivo da Huíla a oportunidade dada, e tudo vai fazer para não defraudar às expectativas.

O jogador actua no meio campo, disse que a posição é exigente e difícil, porque precisa de  movimentar-se bastante para municiar as jogadas, mas que a experiência está a ser boa.

“Podemos ter certas habilidades, mas sem oportunidade é difícil mostrarmos o que valemos. Comecei a minha carreira nos escalões de iniciados, depois nos juvenis, juniores e este  ano integrei a equipa principal. A minha integração está a decorrer sem sobressaltos”, disse.

A excelente prestação no último Campeonato Nacional de Futebol na categoria de Sub-20 (juniores), disputado em 2015, em Luanda, serviu para Malamba confirmar as suas qualidades e dar o trampolim para a equipa de seniores, facto que o atleta faz questão de recordar.

“Quando atingimos a final, acreditamos mais no nosso potencial. Para chegar a final, ultrapassamos boas equipas, como Académica do Lobito, Petro do Huambo e Catepa de Malanje e jogámos diante do 1º de Agosto”, lembrou.

Jogar no Girabola Zap é um sonho que se tornou realidade para o médio Malamba. O jogador reconheceu as dificuldades, dada à exigência que a prova impõe, mas aos poucos, como disse, vai melhorar as suas performances.

“Tenho muito apoio de colegas e da equipa técnica. Daí, estar esperançado num futuro melhor. Quando tinha 5 anos, comecei a jogar futebol no bairro João de Almeida, arredores da cidade do Lubango, e muitos diziam que sou baixinho e que não ia conseguir jogar na equipa sénior. Eu respondia sempre que o que joga não é a altura, mas os pés e a técnica”, referiu.

Malamba destacou o espírito de ajuda no Desportivo da Huíla. Indicou estar a ser  valioso jogar ao lado de jogadores experientes, como o capitão Chiwe, Tchitchi, Elísio, Kumaka, Aly e Kembwa. Para ele, são jogadores "calejados", porque representaram  equipas como o 1º de Agosto, Petro de Luanda, Interclube e outras grandes do nosso campeonato.

 “São jogadores com muita experiência. Eu e o Mendes, enquanto novos jogadores, recebemos muitos conselhos e ensinamentos desses jogadores, que deram muito no 1º de Agosto. Agradeço muito por isso”, reconheceu.


TALENTO
Promessa à vista


As qualidades técnicas de Rodrigues Pedro “Malamba”, 20 anos de idade, fazem do jogador do Clube Desportivo da Huíla (CDH), uma promessa a ter em conta para o futebol nacional. Para além disso, é rápido na movimentação em campo, tem boa capacidade de recepção e de passe. Malamba começou a despontar na arena futebolística no escalão infantil dos militares da Região Sul, no campo do Regimento, no bairro Nambambe, arredores do Lubango. Segundo ele, como vive perto do campo e o futebol é popular, onde há espaço para se jogar, muitos jovens aparecem.

“Foi assim que apareci nos escalões de iniciados do Desportivo da Huíla, na altura treinado pelo técnico Boneco”, recordou.

O talento de Malamba chamou à atenção especial da direcção e equipa técnica dos vários escalões do Desportivo da Huíla, que no quadro do projecto gizado,  visa a descoberta de talentos, apostaram no rapaz. Depois de passar pelos escalões de iniciados e juvenis, no quadro do programa de formação contínua, Malamba deu continuidade nos escalões subsequentes até atingir os seniores.

Competiu em vários campeonatos nacionais juvenis, como por exemplo a prova decorrida em 2012, em Benguela e Huambo, sob comando de Lacerda Chipongue, actual treinador - adjunto da equipa principal do Desportivo da Huíla.

As exigências nos seniores, segundo disse, é maior que nos escalões de formação. Para ele, Ivo Traça é um treinador muito exigente e que gosta de quem trabalha.

“Sabemos que Ivo Traça é um nome sonante, quando se fala de futebol em Angola. É exigente e competente. Ensina-nos muito. Reconhecemos que nem sempre correspondemos, interpretar o que ele ensina nos treinos. Ele não gosta quando os jogadores mais experientes trabalham e os jovens relaxam. Isso, ajuda-nos muito”, aclarou.             AM


PRESTAÇÃO  NA PRIMEIRA VOLTA

“É difícil admitir algumas derrotas”


A equipa do Desportivo da Huíla fez uma boa primeira volta no Girabola Zap 2016, não obstante terminar na 11ª posição com 18 pontos. A avaliação é do médio Malamba, 20 anos de idade, o mais jovem jogador da equipa às ordens de Ivo Traça.

De acordo com o jogador da formação militar da Região Sul, a sua avaliação tem respaldo nos primeiros jogos disputados no campeonato, e reconheceu os resultados menos conseguidos nas últimas jornadas, mas promete uma segunda volta diferente.

“É difícil admitir algumas derrotas. Vamos continuar a trabalhar para não perdermos  pontos, para atingir os nossos resultados. Estamos a trabalhar afincadamente para atingirmos os nossos objectivos. Podíamos trabalhar um pouco mais, aumentar a capacidade de competitividade nos últimos jogos. Não queremos que isso aconteça na segunda volta”, disse.

Malamba assegurou que o grupo teve tempo para avaliar a má prestação na parte final do campeonato, período em que a equipa do Desportivo da Huíla "adormeceu", que originou uma grande queda na tabela de classificação.

“Tivemos tempo para fazer uma análise daquilo que aconteceu nos últimos jogos e todos fomos unânimes, de que adormecemos um pouco em função dos resultados positivos que tivemos no início. Já analisamos e sabemos o que aconteceu, agora vamos trabalhar para não acontecer na segunda volta”, prometeu.

Estudante da 11ª classe, curso de Ciências Económicas e Jurídicas, Malamba reconheceu a exigência de conciliar a formação académica e o futebol e agradece a compreensão da equipa técnica do Desportivo da Huíla, por permitir continuar a estudar. Agradeceu também a ajuda dos pais, que sempre acreditaram no potencial como futebolista.

“Tenho muitos colegas que também estudam. Sabemos que a formação académica ajuda a interpretar melhor os fenómenos e o futebol não foge à regra. Para executarmos bem um lance, é preciso ter técnica e perceber bem outras condicionantes, e a formação académica ajuda a interpretar”, afirmou.                                  AM


TREINADOR

Ivo Traça elogia jogador

O crescimento de Malamba como futebolista, na equipa principal de futebol do Clube Desportivo da Huíla,  está a ser seguida com cuidado pelo treinador Ivo Raimundo Traça.

A brilhante participação do jovem no Campeonato Nacional de Futebol de Sub-20 (juniores), decorrido em Luanda, em que se sagrou vice -campeão, ao perder diante do 1º de Agosto, em jogo da final, foi relevante para fazer parte do plantel principal, onde mostra muito trabalho e vontade de superação e aprendizagem diária.

Ivo Traça disse que o jogador mais jovem do grupo está bem enquadrado, pois é desinibido e bastante dedicado ao trabalho.

“Malamba é dedicado, desinibido, humilde e consegue impor-se. Nós, equipa técnica, não receamos quando tivermos de chamar Malamba para dar uma dinâmica forte ao meio campo do Desportivo da Huíla”, reconheceu.

Para Lacerda Chipongue, técnico -adjunto de Ivo Traça, que seguiu de perto a trajectória do atleta, diz que uma das boas qualidades de Malamba é a humildade.

Explicou que Malamba foi sempre capitão nos escalões de base.

 “Desde já foi capitão de equipa e tem requisitos de líder. Hoje, com a formação académica, nota-se uma margem de progressão muito acentuada. É um jogador a ter em conta”, disse.            AM