Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Senegals Faye relana carreira

Paulo Caculo - 25 de Maio, 2016

O mdio Valdivia tem sido presena constante na seleco chilena, lamentou ficar de fora da lista final do tcnico Juan Antonio Pizzi, para a disputa da Copa Amrica Centenrio, em Junho, nos Estados Unidos.

Fotografia: Jos Soares

O percurso da carreira do senegalês Baptiste Faye está a ser marcado por sucessivas experiências. O avançado de 29 anos notabilizou-se no campeonato angolano ao serviço do Interclube, nas épocas de 2011 e 2012, manifestou ontem o desejo de jogar no principal campeonato angolano de futebol da primeira divisão.

No balanço de uma época na África do Sul, onde representou o Polokwane City da primeira liga local, o jogador confessa que não conseguiu adaptar-se. Confessou que enfrentou dificuldades para conquistar um lugar entre os melhores."Tive problemas de adaptação ao campeonato sul-africano.

O futebol praticado na África do sul é técnico e como vinha de outras experiências, de Portugal e de Angola, não consegui adaptar-me e ganhar espaço. Cheguei a jogar, mas não foi uma boa experiência. Como o campeonato acabou e estou em fim de contrato, optei por voltar a Angola e relançar a minha carreira", disse o ex-camisola 9 do Interclube.

"Mas nem tudo foi mau, porque acaba por ser também mais uma experiência, porque aprendi alguma coisa. No futebol, aprendemos todos os dias", acrescentou Baptiste Faye.No regresso a Angola, o avançado espera por  uma nova oportunidade, para mostrar qualidades.

Garante ter ainda muito para dar ao campeonato angolano, que afirma guardar das melhores recordações, apenas superado pela carreira protagonizada em Portugal ao serviço do Vizela, em que foi eleito em 2009 o melhor goleador da segunda liga, com 12 pontos."

De Angola guardo boas recordações, por isso, decidi regressar. Fiz muitos amigos aqui e gostava de ter mais uma oportunidade para jogar. Gosto muito do campeonato de Angola. Acredito que é dos melhores em que joguei", assegurou o avançado que foi descoberto pelo técnico Álvaro Magalhães, em 2010.

Aos 29 anos, Faye acredita ter chegado o momento para “explodir” na carreira. Aguarda com ansiedade e enorme expectativa que o telefone toque e do outro lado esteja daquelas propostas irrecusáveis, para concretizar o sonho de pisar os relvados angolanos.

"Todas as equipas são válidas para mim, mas se tivesse de escolher um clube para representar, naturalmente, que optava por uma equipa que tenha o título entre os objectivos. Mas adorava estar num clube ambicioso e com objectivos bem definidos".

CONFIANÇA
“Tenho muito a dar
ao futebol angolano”

Baptiste Faye mostra-se optimista e confiante em relação ao futuro. O avançado senegalês considera que à segunda tentativa pode ser de vez. O jogador diz ter regressado para repetir as épocas rubricadas em Portugal, campeonato em que ganhou visibilidade para o futebol angolano.

"Eu acho que ficou muito por mostrar do meu real valor, no campeonato angolano, por isso, decidi regressar para ver se consigo merecer nova oportunidade. Acredito em mim, e nunca duvidei da minha capacidade. Espero  voltar a ter nova oportunidade, porque acredito que ainda tenho muito a dar ao futebol em Angola", disse

Faye não escondeu as memórias das carreiras cumpridas com as camisolas do Interclube e do Caála. O jogador assegurou que foi no clube da Polícia onde teve as melhores alegrias. Recorda o momento da chegada ao clube, pelas mãos de Álvaro Magalhães, os golos que rubricou, os períodos de júbilo nas Afrotaças, ao mesmo tempo que lamentou a forma prematura como abandonou o clube."

Devo agradecer muito aos técnicos Magalhães e Pedroto pelas oportunidades que me deram. Tive bons momentos neste clube e mesmo no Caála", contou o senegalês.                             
PC