Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Sensacional Acadmica supera Santa Rita

Jlio Gaiano, no Lobito - 14 de Outubro, 2019

Estudantes suplantam catlicos e agudizam situao do adversrio

Fotografia: Jos Soares | Edies Novembro

A Académica do Lobito e Santa Rita do Uíge foram ontem protagonistas de uma partida marcada por dois momentos distintos. O primeiro pertenceu aos visitantes, que dominaram largos minutos do jogo e o segundo sob responsabilidade dos anfitriões, vencendo por 2-0.
Os católicos entraram ousados e chegaram mesmo a dar uma lição aos estudantes, que no entanto, não se deixaram intimidar. No final, os comandados de Marcos Chivinda pagaram com derrota o atrevimento de subjugarem o adversário no seu meio campo, em sua própria casa.
Os lobitangas foram pacientes e souberam tirar proveito das situações de golo criadas para marcarem dois, suficientes para somar os três pontos e manter no grupo da frente, enquanto o seu oponente viu a sua situação a agudizar-se ainda mais.  
A formação treinada por Águas da Silva, não obstante a atitude do Santa Rita, pareceu ter sempre o jogo controlado, e não precisou de empenhar-se ao fundo para provar a sua supremacia em campo.
Jogou o suficiente e fez jus a sua condição de anfitriã e favorito. Foi superior, venceu e convenceu, para a alegria e festa dos seus apoiantes, que estiveram em número considerável no estádio do Buraco.
A Académica soube tirar proveito da sua condição (física), subiu quando foi necessário e passou a fustigar o último reduto da formação uigense que, diante da pressão, cedeu o primeiro golo, aos 25\' por intermédio de Manomano, aproveitando o deslize dos defesas contrário, para colocar a sua equipa no comando do marcador.
Em vantagem, as coisas tornaram-se mais fáceis para os estudantes ante uma equipa que já não oferecia resistência, parecendo estar apenas a cumprir formalidade em campo. E não foi por acaso que aos 53\', Pirolito marcou o tento que acabou por definir o jogo.
Os católicos ainda tentaram reagir, porém, tarde demais, pois do outro lado estava uma equipa disposta a não facilitar e manter a invencibilidade em casa.
A actuação da equipa de arbitragem liderada por João Goma, assistido por Dário Gaspar e João Futa, não complicou e fez o que lhe competia. Mostrou-se à altura do jogo e foram firme no julgamento das faltas.