Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Soares aprova dinmica da equipa

Benigno Narciso, no Lubango - 24 de Setembro, 2017

Tcnico principal do CDH ( direita) enaltece a atitude dos seus atletas

Fotografia: Dombele Bernardo | EDIES NOVEMBRO

O técnico do Desportivo da Huíla, Mário Soares, considerou há dias, no Lubango, que a equipa dispõe de dinâmica ofensiva e defensiva aceitável e à altura de catapultar a formação huilana a resultados positivos nas últimas quatro jornadas do Girabola Zap 2017 e, com isso, conquistar os pontos necessários para a permanência na prova.

Mário Soares justificou que o grupo está a um nível que permite a equipa dispor de habilidade e capacidade de efectuar e controlar as transições de jogo, quer ofensivas, como defensivas. Acrescentou que o Desportivo da Huíla é hoje uma equipa que tem um fio de jogo próprio.“A nossa equipa está com uma dinâmica aceitável para aquilo que são as nossas exigências. Tem transições e as ideias de jogo fazem-se presente.

Creio que estamos a melhorar, aquele que é o nosso apanágio que é, hoje melhor que ontem e amanhã melhor que hoje. Quer dizer todos os dias a crescer, vamos continuar a crescer, a trabalhar”, avaliou.Considerou que o grupo de trabalho vai continuar a registar avanços apesar de se encontrar numa fase da época em que privilegia a consolidação dos automatismos implementados desde a abertura da temporada, assim como o reforço do modelo, forma e ideia de jogo.

“Estamos numa fase que é mais de consolidação dos automatismos e daquilo que é a forma da equipa jogar. Mesmo assim, vamos continuar a crescer, a trabalhar”, disse o técnico.Os níveis da equipa, de acordo com o técnico, permitem ao Desportivo terminar sempre os jogos a impor pressão e domínio sobre os adversários. Ainda assim, ambicioso e com os olhos virados na busca constante da perfeição, Mário Soares aposta em melhorar ainda mais os aspectos em que o grupo tem dado boa conta e corrigir os menos positivos.“Nós, quer fora, quer em casa, acabamos sempre os jogos por cima dos adversários. O que devemos fazer é trabalharmos naquilo em que não estamos bem”, definiu.

constatação
“Falta melhorar no toque final”


A equipa do Clube Desportivo da Huíla (CDH) precisa melhorar os aspectos de finalização e da mentalidade dos jogadores para que consiga obter melhores resultados ainda nos jogos que disputa no Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão, Girabola Zap, segundo o treinador Mário Soares.

Para o efeito, segundo o treinador dos militares da Região Sul, a equipa técnica por si liderada está apostada na elevação da mentalidade dos atletas por formas a adequar o nível de compreensão da equipa às qualidades técnicas e tácticas que o plantel possui. Referiu que a grande debilidade reside na fraca capacidade e ausência da cultura e mentalidade ligada ao quando e como finalizar com eficácia as situações claras de golo que a equipa cria.

“Apenas no toque final, o como e quando fazer. Não me canso de repetir isso, e nós vamos trabalhar e os atletas também estão compenetrados de que precisam mudar a sua mentalidade, a sua mente, o que devem fazer e como executar este e aquele aspecto técnico”, sublinhou.O Desportivo da Huíla ocupa a 10ª posição da tabela de classificação do Girabola Zap 2017, com 31 pontos, e ainda não está com a situação da permanência garantida, o que pode acontecer na próxima jornada, 26ª, quando defrontar, no Lubango, o líder Petro de Luanda. Ou seja, uma vitória dos militares da Região Sul sobre os tricolores garantirá a permanência da equipa huilana no Girabola. Caso contrário, vai ter que aguardar pelas jornadas seguintes.