Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Soares d mrito s equipas

Benigno Narciso- Lubango - 30 de Maio, 2017

Mrio Soares elogia atletas jovens que despontam no campeonato

Fotografia: Jornal dos Desportos | Edies Novembro

A primeira volta do Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão, Girabola Zap, teve um notável equilíbrio, com mérito para as equipas pouco cotadas, que  “travaram” conjuntos tidos como favoritos, considerou ontem no Lubango o treinador do Desportivo da Huíla, Mário Soares.

Em declarações à Angop, para balancear o nível competitivo da primeira volta, o técnico referiu notar trabalho e melhorias significativas nas equipas “pequenas”, que lutam sempre para evitar a despromoção.Salientou o facto de o FC Bravos do Maquis ganhar o Petro de Luanda, líder da primeira volta, além de outros resultados apertados dos petrolíferos diante de equipas que não são, teoricamente, do seu nível, o que sucedeu com o 1º de Agosto que foi derrotado pelo Sagrada Esperança.

Acrescentou que o mesmo aconteceu com o Kabuscorp do Palanca, Recreativo do Libolo e Interclube cujas partidas com alguns dos menos cotados foram equilibradas. “O equilíbrio é mais notável, pois ninguém saiu imaculado”, disse.Mário Soares destacou o empenho dos jogadores que subiram recentemente à primeira divisão, que na sua opinião demonstram certa qualidade, assim como dão a entender que os clubes estão seriamente apostados na formação de atletas.

Apontou os jovens Show e Nelson da Luz, que vieram dar outra dinâmica ao 1º de Agosto, Herenilson, no Petro de Luanda, e Nuno II, no Desportivo da Huíla, como alguns dos destaques desta etapa do campeonato.Para o treinador, o Girabola Zap está a  a melhorar nos últimos quatro anos, apesar da situação financeira que alguns clubes vivem, e surgem novos valores para bem do futebol nacional.A primeira volta do Girabola Zap 2017 terminou com o Petro na liderança, com 34 pontos, seguido do 1º de Agosto (33) e Kabuscorp (32), enquanto o Desportivo da Huíla é 10º com 16 pontos e o Santa Rita de Cássia está na última posição (16ª) com sete.

TREINADOR
Soares quer mais actuação da ATEFA


A Associação de Treinadores de Futebol de Angola (ATEFA) deve ser mais organizada em termos de prestação de serviço e apoio aos seus filiados, sobretudo, em casos de rescisão unilateral de contratos, por maus resultados, defendeu ontem no Lubango o técnico principal do Desportivo da Huíla, Mário Soares.


Mário Soares falava à Angop, para comentar o número de técnicos despedidos durante a primeira volta do Girabola Zap, disse que este assunto tem muito a ver com a falta de organização dos próprios treinadores, e do órgão que os defende.Para ele, a Associação devia actuar mais, quando um membro seu é despedido injustamente, ultrapassa até às cláusulas de contratação, considera que na maior parte das vezes a culpa pode estar nos jogadores, ou na direcção.

“Nós, os treinadores, somos sempre culpados de tudo, quando há vezes até trabalhamos sem salários durante muito tempo, sem prémios, sem condições, mas o treinador é o responsável da má prestação da equipa”, realçou.Disse esperar que a nova direcção da Associação redefina estratégias para proteger o treinador nacional, pois, tudo continua no mesmo caminho, e com as mesmas dificuldades.

Disse que muitos treinadores vivem do futebol,  principalmente dos resultados, e quando estes não aparecem quase sempre são os primeiros a serem sacrificados.Na primeira volta foram despedidos, Sérgio Traguil (Santa Rita de Cássia), Hélder Teixeira (1º de Maio de Benguela), João Machado (ASA), Paulo Figueiredo (Progresso da Lunda Sul), António Alegre (Académica do Lobito) e João Pintar (FC Bravos do Maquis).