Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Soares reprova hora do jogo com Polcias

Benigno Narcisco , no Lubango - 21 de Dezembro, 2019

Altas temperaturas podem prejudicar a reaco dos jogadores

Fotografia: Edies Novembro

O técnico do Desportivo da Huíla, Mário Soares, considera absurda a estratégia com relação à marcação  do horário (15h00) definido pelo Interclube, que na sua óptica revela querer, à todo o custo, vencer o jogo desta tarde, no Estádio 22 de Junho, em Luanda, a contar para a 15ª jornada do Girabola Zap 2019/2020.

“O Interclube está a preparar uma estratégia contra o futebol, que é o horário do jogo, 15 horas, em Luanda. É um absurdo termos de jogar à essa hora. Tendo em conta a estratégia que o Interclube está a montar, faz-nos perceber que à todo o custo, quer vencer esse jogo”, qualificou.

Defendeu que se todos fossem em prol do futebol, devia definir-se um horário, longe das altas temperaturas que se fazem sentir na capital do país, que ia permitir às duas equipas exteriorizarem as respectivas qualidades futebolísticas, de uma forma mais próxima da perfeição.“Se somos todos para o futebol, devíamos ter um horário, em que os artistas pudessem de uma forma muito mais próxima da perfeição, exteriorizarem todas as qualidades futebolísticas”, defendeu.

Concluiu, por isso, que o elevado calor que se fará sentir às 15h00, em nada contribui para a prática do futebol, devido aos riscos que o horário representa para a alta competição. “A hora, de certeza, não vai permitir para isso. Os artistas da bola não se sentem confortados nesse horário”, reprovou.

Perante esse cenário, a sua rapaziada terá de ter capacidade para contrariar em campo, todo o potencial do adversário, a quem atribui favoritismo, mas assegura que tem consciência de que o Desportivo dispõe de argumentos capazes de ultrapassar o Interclube.   

“Temos de ter capacidade para contrariar ,ao máximo, tudo o que o Interclube tem estado a apresentar,  nos últimos tempos. Atribuímos todo o favoritismo ao Interclube, mas com a consciência de que temos os nossos argumentos,  para ultrapassar esse favoritismo do adversário”, exteriorizou.Ao descrever o oponente, o técnico dos militares da Região Sul deixou a ideia de que conhece bem a equipa adstrita à Polícia Nacional. 

“(O Interclube) É uma equipa em crescimento. Desde a mudança da equipa técnica que se nota mais alegria a trabalhar e a jogar, alguns métodos novos. Jogam com dois médios interiores, um interior esquerdo e outro interior direito, três setas apontadas para a baliza contrária, com um extremo encostado e colado à linha e muitas vezes apoiado pelos seus laterais, quer de forma interior , quer pelas linhas também”, sustentou e acrescentou, “temos de estar atentos a isso, criar condições para que a nossa equipa não seja batida e superada por essas qualidades do Interclube”.