Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Sob pressão

Betumeleano Ferr?o - 17 de Setembro, 2017

O 1º de Agosto deu-se sempre bem frente ao Progresso do Sambizanga

Fotografia: Jose Soares | Edições Novembro

A história e a obrigação de vencer são dois 'ossos', que os militares vão tentar ao mesmo tempo, para provar que a liderança não é fogo de palha. O 1º de Agosto deu-se sempre bem frente ao Progresso do Sambizanga, e o Estádio dos Coqueiros pode trazer boas memórias à equipa rubro -negra, quando o apito soar às 17h30m.

A equipa orientada por Dragan Jovic venceu de maneira folgada na primeira volta, e a história pode repetir-se se o campeão nacional for capaz de fazer o mesmo, que fez com o Petro de Luanda. Uma entrada a matar, pode separar as águas de imediato, é uma estratégia capaz de ser eficaz para quem precisa de exibição irrepreensível para evitar veleidades de chances ao adversário.

A obrigação de vencer para estar  na liderança, é uma realidade que os militares têm de lidar, até ao fim do Girabola ZAP. A partir de agora, a equipa tem de provar também a si, que está apta a  manter-se no topo, sem mais alternância na liderança. Há ainda muitos pontos em disputa, mas não há motivos para acreditar que o 1º de Agosto queira dar-se ao luxo de desperdiçar a vantagem, conseguida nessa fase importante do campeonato.

 Os rubro - negros vão ao dérbi, sem margem de erro, vão comprimir-se para  as dimensões reduzidas dos Coqueiros. A equipa técnica  tem de inventar espaços para manter a sua identidade em campo, uma vez que o relvado é  pequeno demais para a grandeza dos antagonistas, mas nunca antes se evocou essa questão para justificar eventuais fracassos.

O Progresso do Sambizanga vai para esta partida, com a ambição de escrever a sua versão, e é aqui onde começa o problema, porque os sambilas gostam de ser inoportunos quando convém.  Qualidade é o que há demais no plantel, porém, foram várias às vezes que Kito Ribeiro e pupilos tiraram o pé do campo, quando até tinham condições de obter um bom resultado. Num dia de bom acerto competitivo pode prevalecer diante de qualquer adversário. A alegria contagiante com que os sambilas abordam certos jogos, pode fazer que os militares puxem dos galões, para fazer pela vida.

Uma vitória dos anfitriões não era nada de extraordinário, a julgar pelo que fizeram durante esta temporada, desde que consigam jogar a uma só voz de princípio ao fim. Um dos grandes pecados do Progresso, é fazer coisas de maneira inesperada, como se fizesse as coisas por impulso. Só assim se explica,  que num dado momento  faz boas coisas, e logo a seguir desaparece em campo, e  torna-se presa 'facílima' aos adversários. Se  acontecer esta tarde, o 1º de Agosto vai agradecer e muito.