Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Tchitchi e Filemon

Betumeleano Ferro - 08 de Agosto, 2016

Atleta continua com as mazelas no joelho e pode falhar o jogo desta tarde

Fotografia: M.Machangongo

O Desportivo da Huíla e o Kabuscorp do Palanca estão com dificuldades de engatar na segunda volta do campeonato. As duas equipas demoram a manter uma boa sequência de resultados, esta tarde, a partir das 15h00, no estádio do Ferrovia, no Lubango, ambas têm mais uma oportunidade de recuperar o embalo, que já evidenciaram em rondas passadas do Girabola ZAP.

As duas equipas entram em campo em igualdade de circunstâncias, o Kabuscorp está com melhor pontuação, mas a grande verdade é que tem sido tão inconstante como o Desportivo. A vitória está ao alcance dos dois contendores, quem for mais eficiente a defender e a atacar vai somar e seguir, porque até mesmo o 1-0 chega e basta para resolver o jogo.

O Desportivo gosta de atacar até mesmo quando defronta equipas grandes como o Kabuscorp. Esta maneira de jogar dos militares acaba por favorecer a estratégia dos palanquinos. Os pupilos de Romeu Filemon gostam de espaço para jogar e vão ter o privilégio de enfrentar uma equipa que não tem o hábito de se remeter à defesa.

O Kabuscorp aparenta estar mais competitivo do que o Desportivo, mas há motivos para acreditar que os palanquinos vão se lembrar dos dias anteriores a vitória ante o Porcelana, para impedir que os militares se reencontrem com o tão ansiado triunfo.

As duas equipas têm plantéis quase equiparados, alguns dos jogadores que se vão defrontar já partilharam o mesmo balneário quando estavam no 1º de Agosto. Este conhecimento mútuo pode ser determinante para a qualidade do espectáculo e o resultado final, é fácil prever que quem for mais astuto na hora de anular os pontos fortes do adversário e explorar as suas fraquezas vai ficar mais perto da vitória.

O jogo desta tarde acaba também por ser um reencontro entre Ivo Traça e Romeu Filemon, durante uma época e meia trabalharam juntos no 1º de Agosto. Filemon era treinador principal e Ivo, o adjunto, mas a convivência nos treinos e nos jogos permitiu a cada um conhecer os segredos do outro, vai ser interessante ver qual deles vai se rir com a desgraça do outro.

O Desportivo e o Kabuscorp são os últimos a entrar em cena na jornada, até certo ponto são capazes de ser espicaçados por jogar com os resultados dos seus perseguidores directos.

Os militares e palanquinos podem ser forçados a fazer pela vida para recuperar posições, caso tenham sido ultrapassados por quem lhes mordia os calcanhares.

PALANQUINOS
Filemon pede
cautela e humildade

O técnico do Kabuscorp do Palanca, Romeu Filemon, assumiu ao Jornal dos Desportos estar confiante num resultado positivo na deslocação ao Lubango, mas adverte para a necessidade de manterem a disciplina e humildade. Romeu Filemon reconheceu que o Desportivo não está atravessar uma boa fase, mas a jogar em casa é sempre um adversário complicado, por isso, todo cuidado é pouco para não serem surpreendidos e complicarem ainda mais a posição na tabela de classificação.

"Vamos enfrentar um adversário difícil. Embora esteja a atravessar uma fase menos boa na prova, a jogar em casa é sempre um opositor difícil. Acreditamos que tudo vai fazer nos jogos que tem pela frente para somar o maior número de vitórias de forma encontrar a estabilidade  na tabela de classificação e este jogo não é excepção", salientou.

Referiu que para lograrem os objectivos que pretendem "alertarmos os nossos jogadores para as cautelas, disciplina e acima de tudo a humildade que devem ter na abordagem do jogo para conseguirmos um resultado que mais nos interessa, que é sem dúvidas a vitória", revelou.

O treinador sublinhou que para lá das dificuldades em termos desportivo, o clima é outro opositor, mas advoga que o plantel está ciente que nada se adquire sem sacrifício e prometem redobrarem  a união de formas a vencerem todas as adversidades.

"Nesta fase não há jogos fáceis, por isso, a única forma de estarmos na prova e alcançarmos os nossos propósitos, é sermos batalhadores e unidos em torno do nosso trabalho diário para que tudo corra a contento ao longo dos jogos", destacou.

O técnico palanquino elogiou a entrega dos atletas ao longo da semana de trabalho e espera apenas que cumpram com o programado. "Foi uma boa semana de trabalho onde além das correcções, trabalhámos na melhoria de alguns aspectos com destreza nos automatismos a serem usados para  contrariar os intentos do Desportivo da Huíla", precisou.

Filemon promete não mexer na equipa que venceu o Porcelana FC, para não desvirtuar os processos que o grupo conseguiu conceber durante a preparação e reiterou que equipa que ganha não se deve mexer.



HÉLDER CRUZ
“O plantel está bastante motivado”


O técnico-adjunto do Desportivo da Huíla, Hélder Cruz, afirmou que o empate obtido na ronda passada frente ao 1º de Maio de Benguela, pode servir de tónico para o regresso às vitórias e afastar "o mau olhado" que assolou o grupo nas últimas jornadas.

O treinador confirmou que os atletas recuperaram a confiança e querem  voltar a somar vitórias no Girabola Zap. “Estamos a vir de alguns jogos com resultados negativos, mas o ponto conquistado fora do nosso reduto frente ao 1º de Maio de Benguela, (1-1), motivou o grupo de trabalho e acreditamos que vai catapultar ainda mais a equipa para voltarmos a ser aquilo que fomos no inicio do campeonato”, assegurou.

 Para não serem surpreendidos, disse que prepararam de forma cuidada o plantel para não sentirem-se pressionados e poderem assim dar a volta aos maus resultados obtidos durante os jogos passados.

 O adjunto de Ivo Traça apontou que os militares da Região Sul estão bem e esperam realizar uma partida tranquilidade. “A equipa está motivada e os jogadores interpretaram bem a estratégia que montamos para este jogo”, precisou.

Hélder Cruz caracterizou o Kabuscorp do Palanca como sendo um adversário, muito forte, candidato ao título e com jogadores experientes. Por essa, razão, assumiu que a equipa técnica está atenta a estes atributos e acrescentou que esperam contrariar o poderio do seu opositor.

 “Esperamos sair dos maus resultados em nossa casa. Começamos bem a primeira volta e depois tivemos um descalabro durante este período, mas temos trabalhado psicologicamente com os jogadores, motivando-os e dando força para que possamos entrar nos próximos jogos todos com vontade de ganhar”, ressaltou.
Gaudêncio Hamelay, no Lubango



LESIONADO
Tchitchi pode falhar jogo desta tarde

O médio ofensivo Tchitchi pode falhar o jogo desta tarde, às 15H30, no Estádio do Ferroviário da Huíla, na recepção ao Kabuscorp do Palanca. O atleta não recuperou das mazelas no joelho direito, depois de sair tocado do jogo do último final de semana disputado em Benguela, diante do 1º de Maio.

Durante a semana de preparação, o camisola 14 dos militares da Região Sul esteve sob tratamento intensivo e com treinos condicionados sob o olhar atento dos fisioterapeutas do clube, mas queixa-se ainda de algumas dores.

“Sinto ainda algumas dores, mas vamos aguardar até a hora do jogo para vermos a possibilidade de dar o meu contributo no jogo diante do Kabuscorp do Palanca”, disse esperançoso o médio ofensivo que nos últimos jogos tem sido um dos esteios do jogo ofensivo da equipa.

Caso Tchitchi falhe de facto o jogo, que é mais provável, Ivo Traça deverá  apostar em outro jogador do leque dos disponíveis que, poderá ser o pequeno grande Malamba.

Quem igualmente está sob a vigilância médica é Danilson Traça, que esteve acometido durante quase toda semana com intensas febres motivadas por uma forte gripe. Na mesma esteira estão o capitão Chiwe, e o “recruta” Avex, ambos com ligeiras mazelas que, segundo soubemos poderão ser ultrapassadas até ao longo do dia hoje.

Caso não venham a recuperar o técnico pode apostar em Maludi ou Bonifácio para fazer dupla com o experiente Aly, no eixo da defesa. Já para substituir Danilson, o técnico pode chamar Lito ou Cagodó.

De resto, a crença num resultado positivo é o ambiente que se vive no plantel do Desportivo. Os atletas mostraram ao longo da semana força anímica e a disposição está em alta. Técnicos e atletas pretendem apagar a má imagem demonstrada nos últimos desafios em casa.
Morais Canâmua, no Lubango