Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Tcnico recebe voto de confiana

Val?dia Kambata - 25 de Maio, 2017

Direco do Interclube perspectiva uma melhor segunda volta

Fotografia: Edies Novembro

Longe do grupo dos candidatos ao título, apesar do seu presidente manter a pretensão de voltar a conquistar o campeonato nacional, o Interclube realizou uma primeira volta que não condiz com o seu estatuto, ainda assim, a sua direcção acredita na reviravolta.

Em conferência de imprensa de balanço, realizada ontem na sua sede, sobre a prestação da equipa do primeiro turno do Girabola Zap, o presidente do clube considerou a prestação dos polícias nas quinze rondas realizadas de aceitável e garante que a equipa vai continuar a lutar para alcançar o objectivo traçado.

Alves Simões deu o voto de confiança ao treinador Paulo Torres para dirigir a equipa na etapa crucial da prova. “Se está aqui connosco é porque ele tem condições para estar num clube como o Interclube. Os nossos objectivos estão intactos, apesar de reconhecermos que estamos um pouco atrasados”, destacou.

“As coisas estão cada vez mais difícil uma vez que estamos separados em relação a equipa que vai a frente em cerca de treze pontos. Vamos ver na segunda volta se é possível recuperarmos  porque vamos ter que fazer melhor em relação aquilo que foi feito na primeira”, sublinhou.

A atitude do técnico em manter um discurso de confiança mereceu elogios do presidente do clube. “O treinador disse algo que me satisfaz. Não atirou a toalha ao tapete e isso é bom, e nós como direcção só temos que apoiar”, destacou.

Alves Simão revelou que no encontro entre a direcção, equipa técnica e todo o plantel, Paulo Torres admitiu que o Interclube pode fazer melhor e ir muito mais longe na prova, por isso, augura uma ponta final positiva. “Nós tivemos uma reunião com a equipa técnica e jogadores onde fizemos uma análise da 1º volta e chegamos a conclusão  que deveríamos ter feito melhor, face as condições que estão a nossa disposição. Deveríamos ter tido mais pontos e estarmos mais próximos do pelotão da frente”, avaliou.

Por outro lado, o responsável máximo do Interclube apontou o dedo a arbitragem, não pelo lugar que a equipa se encontra na tabela de classificação, mas por algumas vitórias que considera lhe terem sido retiradas propositadamente.

“ Fomos extremamente prejudicados pela arbitragem no jogo que fizemos com o Petro, no estádio 11 de Novembro. Ficou marcado naquilo que é uma má arbitragem, assim como em outros jogos. Não gostamos muito de falar da arbitragem e deixamos a quem de direito para tomar as medidas que se impõem para melhorar o quadro”, aconselhou.

A título de exemplo e para dar melhor sustentação as suas palavras, recordou a grande penalidade assinalada no jogo da 15º jornada à favor do Petro de Luanda frente ao 1º de Maio. “ O árbitro marcou um penalti que não existiu aos olhos de todo mundo”, lamentou.

Apesar de mostra-se indignado com a as arbitragem, Alves  Simões considerou que existe bons árbitros.

“Devo dizer que existiram boas arbitragem em jogos que não ganhamos, mas a nossa grande preocupação é em relação as arbitragens tendenciosas”, precisou o presidente do grémio da Polícia Nacional, na conferência de imprensa.

“ Num jogos os atletas, treinadores todos erram e o arbitro como ser humano pode errar, mas quando vai com a tendência de favorecer ou prejudicar, daí a razão da nossa luta”, salientou.


AVALIAÇÃO
Paulo Torres valoriza plantel


O técnico do Interclube valorizou  o trabalho feito pela sua equipa ao longo da primeira volta do Girabola zap. Paulo Torres enalteceu a prestação dos seus atletas e elogiou o facto de ser uma das formações com menos golos batido.

“Fomos uma das equipas que sofreu menos golo e valorizamos  muita o nosso estádio, onde não perdemos nenhum jogo o que acho muito importante. Ao contrário disso, não ganhamos fora, uma das coisas que temos que melhorar”, assumiu.

Quanto ao rendimento da equipa, o técnico luso ao serviço dos polícias disse que o que falta na equipa são os golos. “ Fizemos bons jogos e só faltou a parte final que são os golos. Estou preocupado com isso, mas existe algo que me deixa tranquilo é facto de criarmos muitas situações  de golo”, enalteceu.

“É injusto criarmos várias situações de golo e depois sermos penalizados com empates em jogos que poderíamos ter ganho por margem folgadas e por vezes acabamos por perder. Tenho de enaltecer a minha equipa, pois, em certos momentos tem evidenciado um grande espírito de ajuda, sendo a terceira melhor equipa com menos golo sofrido”, recordou.

Reconheceu que não é factor decisivo para as quinze jornadas que faltam, mas não deixa de ser “um passo importante  para a segunda volta o que mostra que nem tudo foi mau. Este clube tem que continuar a discutir os lugares cimeiros”, assumiu.

Se por um lado, a equipa não esteve bem a nível da classificação o técnico  garante que teve o seu ganho devido ao conhecimento que ganhou sobre o Girabola, no ano de estreia na competição.

“ A primeira volta foi muito boa para mim em termos de conhecimento,  pois, acabei de chegar e estou muito mais documentado em termos de conhecimento e melhor  para enfrentar a segunda volta  do campeonato” , avançou.

Em relação ao plantel, Paulo Torres garante ter já definido os sectores em que pretende reforçar.