Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Temos campeo

Antnio Jnior - 18 de Outubro, 2009

Petro campeo nacional, mesmo sem entrar em campo

Fotografia: Jornal dos Desportos

Com Petro de Luanda a sagrar-se campeão nacional, mesmo sem entrar em campo, por “culpa” do Benfica de Luanda que consentiu uma cabazada diante do 1º de Agosto, um dos concorrentes no despique para segunda posição, a 25ª jornada prossegue hoje com destaque para o jogos entre os petrolíferos de Luanda e o ASA.
O Benfica, que com alguma legitimidade nas últimas rondas, entrou no leque dos candidatos ao título, despediu-se de forma inglória, entregando de bandeja o ceptro aos petrolíferos, que, a partir de hoje até ao termo da prova, vão cumprir apenas formalidades.
De resto, foram empolgantes as últimas jornadas como há muito não acontecia. As expectativas geraram fortes emoções e, por isso, as vitórias foram mais festejadas e as derrotas mais dolorosas.
Face ao desfecho do jogo de ontem que, de certa forma, terá ferido a verdade desportiva, o “derby” Petro de Luanda-ASA perdeu algum interesse.
No entanto, o facto dos campeões nacionais manifestarem a intenção de brindar os seus adeptos, que ao longo das últimas rondas sofreram com os sucessivos adiamentos da consagração, e o ASA não querer, certamente ser o animador da festa petrolífera, tornam este duelo expectante.

LIBOLO ASSALTA
SEGUNDA POSIÇÃO

Motivado pelo desfecho do Benfica-1º de Agosto, o Recreativo do Libolo é outro candidato à segunda posição que pode beneficiar da lacuna criada pela FAF. Este resultado pode ser uma faca de dois gumes para os donos da casa. 
Uma vitória da formação orientada pelo português Mariano Barreto, hoje, diante dos pupilos de João Arsénio, coloca os libolenses na vice-liderança do Girabola e não vai ser fácil tirá-los de lá.
Contudo, o Libolo não vai ter uma tarefa fácil, pois tem pela frente o Interclub, adversário que ainda luta para conquista de um ponto para garantir a sua continuidade na prova.
Se as estatísticas vencessem jogos, o Recreativo do Libolo, pela excelente campanha que tem feito em casa, seria o virtual vencedor, mas … Quanto ao Interclub, a sua continuidade no Girabola, sem pensar na liguilha, depende apenas de si.

Benguela e Luanda podem ditar
parceiros do Maio e Académica

Com a questão do título já definida, no Campeonato dos aflitos, as atenções estão centralizadas para as cidades do Huambo, Benguela e Luanda, com destaque para estas duas, onde o FC Bravos do Maquis e o Desportivo da Huíla, 11º e 12º classificados, em igualdade pontual, estão irremediavelmente proibidos de perder pontos, sob pena de sentenciarem o seu destino no Girabola. 
Curiosamente, e por ironia do destino ou do sorteio, estas duas equipas “moribundas”, jogam na condição de visitantes. O Bravos do Maquis vai a Benguela ao encontro do 1º de Maio, formação que só um milagre pode manter fora da liguilha, enquanto o Desportivo da Huíla desloca-se a Luanda ao encontro do Santos. Como se pode depreender, estes jogos são autênticas finais para as duas equipas.
No Huambo, a equipa do Recreativo da Caála, a jogar em casa e a encetar uma fuga tenaz à zona aflita, não pode conceder facilidades, uma vez que o adversário é o Kabuscorp, outra formação que procura livrar-se da prova suplementar.
A formação do planalto central vai tentar tirar proveito do factor casa, enquanto o adversário tem como tónico os últimos resultados obtidos reforçando a tranquilidade da equipa do Palanca.
Depois de uma primeira volta em grande estilo, a Académica do Soyo teve uma ponta final para esquecer. Para o despique com o seu “irmão” do Lobito, uma partida sem qualquer influência na tabela classificativa, os pupilos de Raul Kinanga, não vão ter grandes dificuldades para suplantar Agostinho Tramagal e os seus educandos.