Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Temos um calendrio difcil

Benigno Narciso, no Lubango - 03 de Novembro, 2018

Treinador huilano espera contrariar favoritismo do campeo

Fotografia: Kindala Manuel | Edies Novembro

 O técnico do Desportivo da Huíla, Mário Soares, está apreensivo com o calendário da sua equipa, pelo facto de enfrentar três candidatos ao título em jornadas consecutivas do Girabola Zap 2018/2019.
O treinador defende, que estes emparceiramentos podem complicar as contas na luta pela conquista dos pontos definidos, para a fase inicial da competição. “Temos um calendário bastante difícil, já que vamos jogar diante de três candidatos ao título, o mesmo número de jogos seguidos, o que de certa forma não deixa de nos preocupar”, desabafou.
A formação afecta à Região Militar Sul joga diante do 1º de Agosto, amanhã em Luanda, recebe o Kabuscorp do Palanca na terceira e o Interclube na quarta, respectivamente. O técnico admitiu que a aposta deve centrar-se no trabalho rigoroso, de modos a permitir a equipa interiorizar bem as ideias de jogo.
Referiu que o adversário de amanhã é o 1º de Agosto, equipa que qualificou como um dos grandes do futebol nacional, com pergaminhos que dispensa apresentações, aliado ao seu potencial e objectivos completamente opostos.
Revelou a ambição e convicção natural de fazer melhor, para o efeito, declarou que a sua equipa dispõe de argumentos próprios, que espera serem suficientes, para contrariar ao máximo todo o favoritismo do campeão nacional.
“O 1º de Agosto é uma equipa com orgulho ferido e com pergaminhos que dispensam apresentações, com objectivos completamente oposto aos nossos. Mas, devo dizer que temos argumentos suficientes, para contrariar ao máximo o seu favoritismo”.
Com rasgos elogios à sua equipa, Mário Soares descreveu que conhece bem os atletas que tem e qualificou-os de autênticos guerreiros, com espírito de sacrifício e uma concentrarão acima da média.
“Temos os nossos modelos tácticos e são atletas que compreendem com facilidade as ideias dos treinadores. No jogo passado a equipa esteve quase perfeita, mormente termos sofrido aquele golo, que não é normal sofrermos, mas é próprio de falta de jogo”, qualificou.