Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Torres assume comando dos polícias

Val?dia Kambata - 24 de Janeiro, 2017

Direcção do Interclube aposta no trabalho do antigo adjunto de Filipe Moreira para comandar a equipa na nova época

Fotografia: Jornal dos Desportos

O treinador português Paulo Torres é o novo treinador do Interclube, em substituição do seu compatriota e chefe da equipa técnica Filipe Moreira, que abandonou no fim-de-semana o comando dos polícias, durante o estágio que realizam na província de Benguela, 19 dias depois de estar em contacto com o grupo de trabalho.

Contratado pela direcção de Alves Simão para orientar o plantel na época que se avizinha, para relançar a disputa da conquista do título nacional no Girabola, e a Taça de Angola, contra todas às expectativas, o timoneiro desistiu do desafio deixa a responsabilidade a um dos seus ex -colaborador directo, e elemento até então de sua confiança.

Segundo uma fonte afecta ao clube do Rocha Pinto, a incompatibilidade com o seu adjunto está na base da sua decisão. Paulo Torres manifestou o seu desagrado pela interferência constantes do seu imediato, e chegou a mesmo questionar aos dirigentes do Interclube sobre a ingerência deste, no seu trabalho.

De acordo com o nosso interlocutor, havia certa incompatibilidade entre os dois, e era praticamente complicado formar a equipa técnica. Sublinhou que havia falta de coordenação, de hierarquia no comando da equipa, e que em nada dignificava os objectivos traçados.  " Era impossível os dois conviverem no comando da equipa. Desde o início do estágio que um queria sempre corrigir o trabalho do outro.

O Filipe Moreira era o técnico principal, mas o adjunto Paulo Torres também queria dar ordens. Penso que isso  irritou o treinador principal", justificou.
A direcção do Interclube ainda não reagiu oficialmente, com relação ao ambiente que se vivi no plantel, mas o JD sabe que nos próximos dias a massa associativa do clube e a comunicação social vão ser informados de tudo, que passou concretamente.

Quanto à rescisão do contrato, os próximos dias podem ser decisivos para as partes envolvidas. Se de um lado faltou o cumprimento do compromisso, do outro, a parte lesada aguarda por detalhes. A nossa fonte assegurou, que apesar da fricção entre os dois treinadores, a equipa  trabalhar sem qualquer tipo de problema, e esperam cumprir na íntegra o que está programado para o estágio, e mantém a disposição de vencer o Sagrada Esperança na primeira jornada do Girabola Zap 2017.

Na condição de treinador "principal", Paulo Torres está a ser coadjuvado pelo  angolano José de Carvalho “Corolla”, antigo treinador  do Atlético Sport Aviação (ASA), dupla sobre quem pesa  a responsabilidade de colocar os polícias no top do futebol nacional.Recorde-se que o antigo técnico do Interclube, Filipe José Oliveira Moreira, de 52 anos de idade, estreou-se como treinador ao serviço do Grupo Desportivo União Ericeirense, em 1984.

Teve passagens pelo Tondela, Nacional, Santa Clara, Portimonense e o Torriense, todas de Portugal.  Nos últimas três anos orientou a selecção da Guiné Bissau. Neste novo desafio, embora nada ainda esteja definido em relação ao seu futuro no comando do Interclube, o técnico abraçou o desafio com espírito de conquista.

PRÉ-ÉPOCA
Petro projecta
novo amistoso


O plantel do Petro de Luanda entrou ontem, na semana derradeira do estágio pré-competitivo que efectua em Benguela, antecâmara ao Girabola Zap de 2017. Os tricolores trabalham sob orientação do técnico brasileiro Beto Bianchi, realizam na quarta-feira mais um jogo - treino, que serve de avaliação à movimentação colectiva e individual da equipa.

Depois de receber alguns reforços para tornar o plantel mais competitivo, o grupo de trabalho enfrenta índices assinaláveis de concorrência. A luta pela titularidade domina a preparação, sobretudo após o alargamento das opções na equipa, com as contratações de Nandinho, Toni e Robinho, estes dois últimos, provenientes do campeonato brasileiro.

Os petrolíferos jogam com a equipa do misto de Benguela, com objectivo de trabalhar as nuances do ritmo competitivo, parafraseando o treinador, nesta fase o importante prende-se em avaliar a capacidade dos jogadores, e interpretarem à filosofia de trabalho e o modelo táctico do treinador. Tal como fez questão de assegurar Beto Bianchi, em recentes declarações ao Jornal dos Desportos, o Petro deve realizar quatro jogos de preparação em Benguela, todos diante de equipas da segunda divisão benguelense.

Com estes jogos particulares, o técnico disse que deseja pôr em prática tudo que foi feito durante a semana, e os conceitos de jogo a serm utilizados no Girabola.O treinador do Petro de Luanda tem como grande desafio, por outro lado, provar que os feitos alcançados no ano passado não foram obras de mero acaso, e que mantém no seu trabalho qualidade suficiente para à conquista do título de campeão nacional. Uma das grandes preocupações de Beto Bianchi, no entanto, prende-se em ver os reforços plenamente entrosados na equipa, de formas a serem integrados no leque de opções, com vista às duas competições em que vão estar engajados.     PC