Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Trsor pode deixar o Sporting

Paulo Caculo - 02 de Setembro, 2015

Camisola 20 do Sporting est a ser muito cobiado para mudar de clube no prximo ano

Fotografia: Paulo Mulaza

O médio Trésor pode estar de saída da equipa do Sporting de Cabinda. O jogador tem o fim do contrato previsto para 30 de Novembro próximo, pelo que garante estar a estudar as propostas que recebeu de clubes luandense, para mudar de camisola em 2016, caso não venha a renovar, soube o Jornal dos Desportos do futebolista.

A viver a sua última época no conjunto "verde e branco" do norte do País, o jogador confessa estar a ser fortemente cobiçado para rumar  a Luanda, depois de duas épocas em Cabinda. O médio prefere, "por uma questão de ética e sigilo profissional", não dar a conhecer, por enquanto, os clubes interessados em comprar o seu passe.

"Ainda é cedo para falar em transferência. O que posso lhe dizer é que alguns clubes de Luanda falaram comigo, mas ainda não decidi se vou assinar ou não, porque a época ainda não acabou. Espero acabar a época no Sporting. Apesar de ter o contrato apenas até final de Novembro, quero ajudar a equipa a materializar o desafio de terminar o Girabola numa boa posição, melhor da que onde nos encontramos hoje", disse Trésor, após o jogo com o 1º de Agosto, em Luanda, assegurando que o grande objectivo dos sportinguistas é tentar sair da zona que ocupa na classificação.

"Estamos a tentar sair da situação onde nos encontramos e acho que é o mais importante. Estamos a fazer tudo, para que seja possível, porque não estamos satisfeitos com a actual posição (13ª) no Girabola", justificou. O médio considera que a fase que está a atravessar o Sporting no Girabola 2015, apesar da situação melindrosa, é dos melhores, porque "está a conseguir somar os pontos fáceis" e sobretudo "aproveitar o bom momento de forma do grupo e a motivação da equipa, para alcançar bons resultados", num campeonato que considera estar a ser extremamente competitivo, mas também equilibrado.

"Penso que a equipa está mais moralizada. Acho que o objectivo é sair da posição actual, mas acredito que vamos conseguir chegar lá e a ambição agora é sair dos lugares de aflição", acrescentou. Trésor disse que sonha também ser campeão do Girabola, razão pela qual não vai dispensar uma proposta que surja de um clube habituado a conquistar títulos. A probabilidade de poder gozar de outra visibilidade, que lhe proporcione novas mordomias, faz também parte do horizonte do médio do Sporting de Cabinda.

"Pessoalmente, tenho objectivos a cumprir na carreira e gostava de jogar uma competição africana. Se houver uma boa proposta para mudar de camisola na próxima época, pode ser que aceite. Ainda não sei", esclareceu.

AMBIÇÃO
“Próximos jogos serão decisivos”

Trésor, médio do Sporting de Cabinda, garante que as últimas cinco jornadas serão decisivas para os leões do Norte, a começar pelo desafio com o Kabuscorp do Palanca, na 25ª ronda do campeonato. O jogador afirma que o grupo vai encarar estes jogos como se fossem autênticas finais. "Não podemos mais perder pontos, porque estamos numa posição de risco. Queremos continuar na primeira divisão e os próximos jogos serão decisivos. Será o tudo ou nada para a nossa equipa", assegura o camisola 20 dos leões do Norte.

O jogador confessa, no entanto, estar muito optimista num desfecho feliz para o Sporting, mas também para a carreira que protagoniza em Cabinda, onde adianta ter encontrado "uma família" no balneário do clube. A união e o espírito de grupo, segundo Trésor, são duas variáveis a ter em conta no ambiente de trabalho do Sporting de Cabinda que almeja manter-se na Primeira Divisão nacional.

"Estou feliz aqui (em Cabinda) e é uma pena estar no último ano de contrato. Se houver condições para ficar, não irei pensar duas vezes, porque será bom para a minha auto-estima. Mas, tem-se dito que o futuro apenas a Deus pertence, por isso, prefiro aguardar para ver o que ele me reserva", rematou.                     
PC