Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Tricolores acertam calendrio e "recebem" bnus esperado

Betumeleano Ferro - 21 de Janeiro, 2019

Fotografia: Paulo Mulaza | Edies Novembro

A décima terceira jornada do Girabola encerra esta quarta-feira, 23, com o Petro de Luanda - Santa Rita de Cássia, às 16H00 no Estádio 11 de Novembro. Os tricolores entram em campo como que tem a faca e o queijo na mão já que os católicos são um adversário acessível, embora aparentem alguma recuperação no campeonato.
O apuramento à fase de grupos da Taça da Confederação vai forçar um novo adiamento do clássico com o 1º de Agosto, mas antes de saber a nova data em que vai encarar o maior rival, a equipa orientada por Beto Bianchi vai tentar fazer a sua parte nos jogos do campeonato que tem por disputar realizar, a começar pela formação do Uige.
Sem tempo para tirar toda a ressaca da glória africana, os tricolores voltam a ter o foco na prova doméstica numa partida em que somar os três pontos é obrigação mínima. É consensual que os católicos não têm argumentos para entrar na disputa da vitória, pelo que vão ter de se limitar a aproveitar bem as eventuais sobras que o adversário deixar cair, e talvez nem chegue para fazer a surpresa da jornada.
A precisar mais de pontos do que exibições para provar que só está a se gastar na Taça da Confederação, o Petro de Luanda tem de estabelecer prioridades para tentar ter uma tarde tranquila. Por isso, quanto mais cedo a equipa acelerar para a vitória menos trabalho vai ter para completar a sua obra. É verdade que os intervalos entre os jogos estão a ser muito curtos, mas isto faz parte dos ossos do ofício e não podem servir de desculpa para um resultado inesperado contra um oponente muito menos cotado.
Os anfitriões estão conscientes de que com ou sem frescura física têm de ditar todo o andamento do jogo, mas sensibilizados que podem não ficar todos os 90 minutos em cima do adversário. Inclinar o campo até pode ser impossível, mas em momento algum os católicos podem acreditar que vão ter um dia proveitoso.
A separação de águas tem de acontecer o mais rápido possível e tão logo o Petro mostre com que linhas se vai cozer, o Santa Rita vai ter de aceitar as suas limitações para evitar correr cedo atrás do prejuízo. A diferença de qualidade é grande, mas sem muitos reflexos na classificação, apenas 4 pontos separam as duas equipas.
Ainda assim, há todos os motivos para acreditar que os visitantes perceberem o que está a acontecer e de modo algum vai entrar em euforia para impedir que se transforme em força negativa. A ambição de fazer história existe, porém, sabem da importância de adoptar uma paciente atitude de espera. Talvez não tenham muita bola durante o jogo, então, vão tentar ser bem eficientes quando os tricolores não estiverem com a mão na massa.
A equipa da casa está sentada em duas cadeiras ao mesmo tempo e, está a se revelar uma situação difícil de lidar, mas tem experiência suficiente para perceber quando é que tem de fazer uma coisa de cada vez. Neste momento, o mais importante é ganhar o jogo e o aperto da situação, jogar para duas competições ao mesmo tempo, não é fácil. Contudo, quando há vitórias, tudo fica mais tranquilo.