Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Tricolores convencem sambilas

Avelino Umba - 05 de Outubro, 2015

O golo de honra dos sambilas aconteceu aos 87, num lance bastante confuso, Hlder Martins assinalou penlti que Yano converteu com classe.

Fotografia: Antnio Soares

Apesar da arbitragem tendenciosa de Hélder Martins, que teve uma actuação pobre, o Petro de Luanda teve competência para suplantar o Progresso Sambizanga no dérbi da capital. Os golos de Abdul, aos 9´, e Balakai, aos 75´, coroaram o triunfo tricolor sobre os sambilas que descontaram por Yano, aos 87´, na marcação de um penálti. 

Tricolores e sambilas vinham de vitórias na jornada anterior, por isso apareceram motivados e confiantes no duelo de ontem , no 11 de Novembro. Ainda assim, a primeira metade do jogo pertenceu ao Petro de Luanda que soube jogar no meio campo do adversário. O primeiro golo da partida aconteceu aos 9´, na sequência de bola parada próximo da zona de marcação de canto, Job cruzou e Abdul sem grandes dificuldades cabeceou e mandou a bola para fundo das malhas.

Jiresse, com "fome de golos" no Girabola, aos 12´, perto da pequena área podia ampliar a marcador, mas o seu cabeceamento levou a bola para cima da baliza. O Progresso não cruzou os braços e foi à luta e Viet, aos 20´, podia fazer o golo de empate, frente a frente com Lamá, mas Hélder Martins próximo da jogada constatou irregularidade de jogador sambila que prontamente assinalou o fora- de-jogo.

À passagem do minuto 27, na sequência de um jogo combinado, Milambo rematou de fora da área, com guardião petrolífero a fazer uma defesa de "outro mundo", num lance em que a bola parecia ter o destino traçado: as redes do Petro. Aos 38´, numa jogada de contra-ataque, Mabululu protagonizou boa jogada ao assistir Job na pequena área, mas este foi importunado pela defensiva sambila.

O presidente do Petro de Luanda, Tomás Faria, inconformado com o trabalho de Hélder Martins e seu auxiliares, por deixar de assinalar alguns lances, incluindo um penálti,  deixou o seu lugar e foi tirar satisfações ao quarto árbitro e prontamente recebeu de Martins ordem de expulsão. O segundo tempo pertenceu igualmente ao Petro.

Com maior posse de bola e a jogar no meio campo dos sambilas, aos 75´, os tricolores aumentaram o marcador por Balakai, que acabava de saltar do banco de suplentes, numa jogada de insistência, passou por um contrário e sem grandes dificuldades mandou a bola para as redes  da baliza defendida por Bombassa. O golo de honra dos sambilas aconteceu aos 87´, num lance bastante confuso, Hélder Martins assinalou penálti que Yano converteu com classe.

OPINIÃO DOS TÉCNICOS
Alexandre Grasseli
Petro

“Fomos superiores”

"Foi uma vitória importante para aquilo que são os nossos objectivos. Fomos superiores ao adversário e também as exigências do jogo fizeram com que o Petro hoje (ontem) saísse vencedor por aquilo que apresentou e pelo jogo que fez durante os 90 minutos. É importante que estamos tranquilos, convictos com aquilo que queremos"

ALBANO CÉSAR
“Faltou agressividade”

"Sofremos um golo de bola parada muito cedo por um atacante e começamos a perder a grande movimentação, pois a primeira bola que foi à baliza sofremos o golo. São situações que temos estado a ver, continuamos sempre com os mesmos erros. Também faltou agressividade e são situações bastante complicadas na medida em que perdemos o controlo de jogo".