Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Tricolores vencem Desportivo e assumem 2 lugar

Betumeleano Ferro - 18 de Fevereiro, 2019

Vitria extramuros pode ser suficiente para tricolores somarem mesmos pontos que o D'Agosto

Fotografia: M. Machangngo | Edies Novembro

A primeira volta do Girabola Zap 2018/2019 encerra na quarta-feira, com um aliciante em que duas equipas podem terminar o”turno”  empatadas no topo da classificação, com os mesmos 33 pontos. O Sagrada Esperança - Petro de Luanda, a partir das 15 horas, no Estádio do Dundo, é muito mais do que um jogo de acerto de calendário.
Na realidade, é a derradeira oportunidade que os tricolores têm, para igual o 1º de Agosto, que monstra ser o único rival na corrida ao título. O Petro de Luanda sabe que a diferença entre golos marcados e sofridos, favorece em demasia o eterno rival, mas o foco tem de estar na coisa mais importante: conquistar um triunfo extramuros, para depois, fazer as outras contas.
As deslocações ao Dundo, desde algumas épocas que se tornaram um misto de alegria e de tristeza, por essa razão, é ponto assente que os tricolores vão fazer por evitar perder a última “chance” e de se colocarem em pé de igualdade com o actual líder, antes do campeonato entrar na fase das decisões finais.Todas as últimas vitórias tricolores foram apertadas,  ainda bem que  assim é, porque indicia que alguma coisa mudou na equipa de Beto Bianchi. Na hora de aperto, o Petro percebeu o significado de suor e lágrimas,  consentir o sacrifício necessário para reacender a esperança que parecia moribunda, depois do desaire com o 1º de Agosto.
Sem tempo para perder o foco, em nenhuma das provas em que está inserido, o Petro de Luanda, mais uma vez vai provar que tomou as decisões acertadas, ao estabelecer as prioridades para a época. Voltar do Dundo com três pontos, não significa a consagração, porém, é determinante para reforçar os níveis de confiança readquiridos com os últimos êxitos. Se tivesse aproveitamento 100 por cento, nos outros jogos, seguramente, a esta hora os tricolores estavam com outro tipo de motivação, a realidade, agora, não tem como mudar, porém, gorada a chance de isolar -se, há ainda no ar a partilha que também é aceitável.
O Sagrada Esperança está na sua zona de conforto, a pressão está com quem está a recuperar o que perdeu, ainda assim, os diamantíferos vão estar atentos para impedirem que a casa seja usada como laboratório de experiências, em criar bicefalia no comando do campeonato. É verdade, que os diamantes estão aquém da cotação desejada no Girabola ZAP, basta um triunfo sobre o Petro de Luanda para o Sagrada subir um degrau na classificação e deixar para trás o rival do Leste, Bravos do Maquis.
A precisar de grandes resultados, para engatar em definitivo no campeonato, os diamantíferos vão apostar as derradeiras fichas, para provarem que têm potencial para corrigir, na segunda volta, a intermitência que ainda impede de brilhar na dimensão ambicionada. A aflição tricolor, é capaz de aumentar a chance do Sagrada, que é de encontrar algum espaço favorável e apostar em várias alternativas, para chegar aos seus objectivos.
Por razões óbvias, interessa ao Petro de Luanda controlar o andamento do jogo,  fica muito mais fácil evitar desgastes, realmente, quanto mais for senhor em campo menos chatices os tricolores têm, porque vão obrigar o Sagrada a correr atrás do prejuízo.
 A precisar de guardar energias para a viagem e o jogo das Afrotaças no Egipto, os tricolores têm de fazer a aposta certa, tão logo soe o apito inicial, têm de impedir à todo o custo, que os diamantíferos estiquem a corda para que não rebente do lado mais fraco, o físico dos atletas do Petro.O Sagrada Esperança teve tempo suficiente, para preparar um golpe certeiro no adversário. As pequenas mudanças que o técnico Beto Bianchi fez na equipa titular, não passaram despercebidas a ninguém, ainda mais, porque os dois últimos jogos dos tricolores tiveram transmissão em directo. Agora, chegou a hora de Agostinho Tramagal e pupilos provarem que estiveram a fazer bem o trabalho de casa.

PETRO
Beto Bianchi fica até 2020

O treinador do Petro de Luanda, Beto Bianchi, tem contrato com o clube do eixo- viário, até ao ano 2020, afirmou o seu agente, Jojo da Silva, ao Jornal dos Desportos.
“ndependentemente dos resultados, o treinador termina o contrato em 2020 e depois, dependerá das duas partes a  renovação", disse.
Para Jojo da Silva, o treinador está a fazer um excelente trabalho, desde que chegou ao Petro de Luanda. "Quando chegou, há três anos, o Petro de Luanda ocupava o oitavo lugar. De lá para cá, a equipa sempre teve um lugar no pódio, o objectivo, neste ano, é ser campeão",frisou.
Jojó da Silva, além de ser agente do treinador Beto Beanchi, é também do atleta brasileiro Mateus Pereira, do Sporting de Portugal, neste momento emprestado ao Hamburgo, da Alemanha.
Com escritórios em Espanha, Portugal e Angola, outra vertente é apostar na formação. A Jojó Sport e a Escola de Futebol Norberto de Castro assinaram na sexta-feira, um acordo, no âmbito do agenciamento desportivo. 
"Essa parceria é mais valia para o país, porque vamos levar muitos atletas para o exterior, até Abril vão quatro atletas, entre os 14 e 16 anos, para a Espanha e Portugal. Dois deles ficam no Sporting e os outros, estão ainda por definir", disse.
O agente  sublinhou, que vai pesquisar o mercado angolano e fazer outras parcerias. "Visitei algumas Escolas e pude notar, que existem talentos em Angola, a Jojó Sport vai trabalhar com os clubes angolanos, no sentido de enviar para o exterior muitos atletas de vários escalões e outras modalidades, além do futebol", prometeu.
O agente desportivo falou da falta de infra-estruturas desportivas no país."O executivo deve apostar mais na construção de  infra-estruturas desportivas, a título de exemplo, na Europa uma criança de seis anos  pratica futebol, em relva sintética, só depois aos 16 anos passa para à relva natural. Em Angola, são poucos os Clubes que têm campos relvados, ao que tive acesso, são, o 1º de Agosto, Petro de Luanda, Progresso do Sambizanga e o Interclube, e é pouco”, disse.
                                                   PEDRO FUTA