Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Tricolores viram atenes para Calulo

Avelino Umba - 07 de Abril, 2015

Petro de Luanda prepara jogo com o Recreativo do Libolo onde espera contrariar as inteno do campeo nacional

Fotografia: Jornal dos Desportos

O Petro Atlético de Luanda, eliminado no Estádio 11 de Novembro, no Camama, da Taça da Confederação, depois da derrota diante do Royal Leopards da Swazilândia, no jogo da segunda mão dos 16 avos-de-final, regressa ao trabalho hoje às 9h00, no Catetão, com os olhos postos no desafio de sábado, em Calulo, ante o Recreativo do Libolo, referente à oitava jornada do Girabola 2015.  Com 11 pontos na terceira posição da tabela classificativa, menos três que o campeão e novo líder do campeonato, os tricolores  já estão refeitos do “furacão” Leopards, esperam trabalhar sem sobressaltos para o assalto aos três pontos na deslocação à vila de Calulo.

O treinador Alexandre Grasseli deixou marcada essa posição momentos depois do jogo em que foram afastamentos da competição africana.“O Petro tem a sua forma de jogar e foi assim que se comportou, agora é ter cabeça erguida para dar continuidade ao Girabola”, disse o técnico. Algumas ausências  verificadas no último jogo da equipa, com grande destaque para o avançado Mabulu, pode ser novidade no primeiro dia da preparação semanal para o duelo com os libolenses.

 O Jornal dos Desportos sabe que para treino desta manhã, os atletas utilizados no jogo  diante do Royal Leopards vão realizar recuperação física, enquanto os restantes participam de um treino colectivo e mais intenso. Trabalhar com determinação para fazer um bom resultado em Calulo, para apagar a má imagem deixada no desafio de domingo, referente às Afrotaças, vai animar os tricolores não só na sessão de treinos desta manhã, como ao longo da semana.

O jogo que os tricolores realizaram no domingo, no Estádio 11 de Novembro, foi de triste memória não só pela eliminação da equipa, mas também pelo comportamento negativo de alguns adeptos do clube que provocaram  distúrbios no decorrer da partida e depois do apito final do árbitro zambiano Welinton Katoma.Os adeptos, para além de arremessar objectos contundentes, queimaram pneus numa das entradas principais que dão acesso ao Estádio. O  pior não aconteceu porque a Polícia de Intervenção Rápida (PIR) tomou conta da situação.

NO ESTÁDIO 11 DE NOVEMBRO
Adeptos provocaram distúrbios


Alguns adeptos do Petro Atlético de Luanda, condenaram ontem, em entrevista ao Jornal dos Desportos, o acto de vandalismo protagonizado por outros elementos apoiantes da equipa, durante e após o jogo de domingo, no Estádio 11 de Novembro, no Camama, diante do Royal Leopards, referente à segunda mão dos 16 avos-de-final da Taça da Confederação e que ditou o afastamento dos tricolores da competição.

“Foi uma desordem que em nada dignifica o nosso futebol. Houve o uso de objectos contundentes e até mesmo queima de pneus e outros objectos, que impediu a circulação de uma das vias que dão acesso ao Estádio. Uma pessoa ficou ferida no pé e foi transportada  para uma unidade hospitalar”, disse um jovem que se identificou por José Alberto. José Alberto acrescentou que alguns intervenientes foram vistos a serem chamados pela Polícia que os advertiu sobre a possível condução a uma esquadra policial, caso teimassem em continuar as suas acções.

João Tomas, outro adepto ouvido pelo Jornal dos Desportos, reprovou  igualmente a atitude de alguns adeptos, pois como disse “nada muda o resultado com este tipo de prática, pelo contrario, só vem manchar cada vez mais o nome do futebol nacional”.“É um resultado que depois do apito final do árbitro, nada mais se podia fazer. O comportamento de alguns supostos do Petro criou dificuldades a muito boa gente que queria  deslocar-se ao Estádio para assistir a uma boa partida de futebol. Por isso, preferem não fazê-lo por este tipo de atitudes de alguma pessoas que em abono da verdade não passam de delinquentes”, disse e  acrescentou, que é necessário uma reunião com os membros das claques para se encontrar uma solução.AU