Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Triunfo é a meta

Ant?nio F?lix - 02 de Abril, 2017

No prosseguimento da oitava jornada do campeonato militares e petrolíferos vão jogar em campos diferentes com adversarios teoricamente mais frageis

Fotografia: José Soares

O emoate de ontem entre o Kabuscorp e o Libolo (0-0) interesou o1º  de Agosto e o Petro de Luanda que entram em campo hoje para os jogos de concluem a oitava jornada. Os militares recebem, em casa, o Santa Rita e os petrolíferos já estão na Caála onde defrontam a equipa local.

Qualquer destes dois \"grandes campeões\", 1º de Agosto  e Petro de Luanda, ontem estiveram muito atentos ao jogo \"travado\" nos Coqueiros, em Luanda, entre o Kabuscorp do Palanca e o Recreativo do Libolo, porque trata-se de adversários a ter em conta na luta pelo título, daqui que resultado também lhes interessa(va) para irem fazendo as suas contas de somar.

É por esta razão que o 1º de Agosto, equipa que na verdade está a ressentir-se das ausências de  Gelson Dala e Ary Papel, receberá o Santa Rita num jogo para vencer, porque perder significará mais distâncias em relação aos outros concorrentes ao título.

Será, assim, para os militares um jogo de muitos cuidados pois que a formação do Uige já mostrou que sabe jogar bem à bola como deve ser com jogadores de apurada qualidade técnica e táctica.

Muita gente pode não aceitar, mas, verdade seja dita, o 1º de Agosto ainda está por  \"destilar\" o seu real e peculiar fio de jogo. Ainda procura, nesta altura, a\" estaleca\" que faça convencer que vai mesmo revalidar o título de campeão nacional. Tem de mostrar que a postura a gora é agora, a partir do jogo de hoje com o Santa Rita.

O técnico Dragan Jovic, do 1º de Agosto, no início da época, assumia que \" temos uma equipa para fazer boa temporada, contratamos jogadores com qualidades capaz de proporcionar bons espectáculos e resultados satisfatórios\", mas, também dizia o seguinte: \" isto apesar de faltar ainda um ponta de lança fixo que a curto prazo será encontrado\".

Só que já foram disputadas sete jornadas e neste sector a equipa tem ainda de crescer e aparecer... e hoje ver-se-à.

CAÁLA - PETRO
Jogo de grande expectativa vai acontecer igualmente em o Petro de Luanda e o Caála, em casa deste, que promete não dar facilidades. Está com uma das defesas mais consistentes da prova. Mesmo a marcar está razoável, se comparado com as outras equipas.Por isso, para o Petro \"facturar\" terá de suar a camisola, num terreno onde a equipa da casa costuma agigantar-se, muito puxada pelo seu público, que ovaciona do primeiro ao último apito do árbitros.

O Petro, é certo, está bem no ataque. Está com uma equipa atacante que  faz \"corrente\" com a sua linha intermédia, servindo bem e particularmente  o brasileiro Azulão, já dono de cinco tentos rubricados.

A ver vamos de terá hoje faro para suplantar a muralha defensiva dos caalenses.Não menos importantes para hoje são os desafios entre o Desportivo da Huíla e o Bravos do Maquis e entre a Académica do Lobito e o Sagrada Esperança.

O FC Bravos do Maquis estava a preocupar a sua direcção pouca produção desde o início da época e teve de recorreu ao técnico Zeca Amaral para dar outra vitalidade. É isto que será posto a prova no jogo de hoje, ou seja, terá que dar a ver  se já melhorou ou não. Só que o Desportivo da Huíla não é uma equipa qualquer.O Sagrada Esperança da Lunda Norte está e demonstrar que o seu objectivo principal  neste Girabola de 2017 é mesmo  melhorar a classificação da edição anterior, em que terminou no nono lugar com 37 pontos.

Hoje joga no Lobito de onde chegam notícias de que os \"estudantes\" estão prontos para o que der e vier. Portanto, um jogo expectantes também para o fecho da oitava jornada do campeonato.


TREINADOR
Ivo Traça quer os três pontos

Ivo Traça, técnico-adjunto da equipa do 1º de Agosto, considerou que o conjunto militar está carente de pontos e vai procurar amealhá-los quando receber, hoje às 17h00, no Estádio 11 de Novembro, a formação do Santa Rita da Cássia.

O actual segundo lugar que os agostinos ocupam na classificação não satisfaz os objectivos da equipa técnica, que ambiciona reassumir a liderança nesta jornada. 

\"Nós estamos a precisar de pontos, neste momento estamos à três do primeiro classificado. Estamos em segundo lugar e não é onde queremos estar, naturalmente queremos ficar a frente. Estamos carentes e quem está carente procura sempre amealhar e quando se diz amealhar, significa vencer o jogo\", disse Ivo Traça.

O antigo médio militar elogiou o futebol praticado pela formação cristã, mas defendeu ser imperioso travar todas as iniciativas do adversário e aproveitar da melhor maneira possível o factor casa.

\"É uma equipa forte, parece que não, mas é uma equipa que sabe jogar. Saí a jogar bem a bola, nós é que temos de poder contraria-los, fechar todas as linhas de passe, ir pra cima do adversário, fazermos o nosso jogo e marcarmos os golos que forem necessário\", apontou.

De acordo com o auxiliar de Dragan Jovic o curto estágio, de uma semana, realizada em Benguela foi proveitoso no sentido em que puderam corrigir os erros cometidos na jornada anterior diante do Sagrada Esperança da Lunda Norte fortificar a coesão do grupo.

\"Trabalhamos bem, foi um estágio muito proveitoso, uma ideia boa da direcção e do mister Dragan, juntar o grupo e tivemos tempo para trabalhar a vontade e corrigir tudo aquilo que não foi bom no jogo com o Sagrada Esperança.

Acho que os jogadores comportaram-se bem e fizeram tudo aquilo que o mister pediu\", afirmou Ivo Traça.No capítulo clínico, o lateral direito Isaac, o médio central Ibukun e o extremo Geraldo ficam de fora deste jogo, por não recuperarem na totalidade das respectivas lesões, desfalcando por isso, os campeões nacionais.

\"Eu acho que não é para muito tempo, mas para este jogo acho que estão descartados, é uma pena não conseguirmos recuperar estes jogadores na sua totalidade, mas vamos ter que aguentar, os outros colegas vão fazer aquilo que nós gostaríamos que eles fizessem\", concluiu confiante o antigo médio militar.                   JORGE NETO