Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Tshabalala promete mais golos

Manuel Neto - 17 de Agosto, 2016

Avanado sonha com a Seleco AA

Fotografia: Jornal dos Desportos

Quando no dia 11 de Janeiro de 2011, no Estádio do Buraco, no jogo diante da formação do Atlético da Zona Alta, para o campeonato provincial de iniciados, marcou um "golão" parecido ao tento rubricado pelo atacante sul-africano Tshabalala, no Mundial da África do Sul, em 2010, o jovem Gaspar Necas Fortunato não esperava que ganharia um novo "baptismo".  Com apenas 17 anos de idade, o avançado é já uma referência no sector atacante da Académica do Lobito. Recorda com nostalgia aquele momento monumental gravado para sempre na sua memória e que lhe valeu um novo nome.

"Recordo-me com muita alegria aquele grande momento inesquecível da minha carreira. Foi num jogo referente ao campeonato provincial  de iniciados em que marquei um grande golo, que me valeu o nome e assim ficou até aos dias de hoje lá no bairro que me viu nascer a Canata", reviveu.O jovem confessou que tem um apreço especial para o seu técnico dos escalões de formação da turma lobitanga. "Depois de marcar o golo o mister Sambaca disse que o nome passaria a ser Tshabalala", revelou emocionado.

O faro pelo golo é uma das suas características e não foi por acaso  que sagrou-se por seis vezes consecutivas o melhor marcador nos escalões jovens. Primeiro com 15 golos, 42 e 52 golos em juvenil. Venceu igualmente nos juniores, com  37, 42 e 32, úmeros que dispensam comentários."Só não fui mais longe, porque quando fui convidado pela direcção do Sporting de Portugal à fazer um estágio na sua Academia, em Alvalade, durante 10 semanas, não fiquei por problemas administrativo", revelou. Depois dos dois golos apontados na vitória diante do 4 de Abril do Cuando Cubango, o atacante assumiu estar feliz e confessou que o feito eleva os seus níveis motivacionais para continuar a  fazer mais golos e ajudar a garantir a manutenção.

"Os atacantes vivem de golos, mas devido a certos problemas que enfrentei, sobretudo, medo e receio de enfrentar alguns adultos bastantes  experientes o golo tardou a surgir. Acho  normal que isso aconteça, porque qualquer adaptação leva algum tempo", sublinhou. " O melhor mesmo foi ter marcado os meus primeiros golos na prova, o que me permite ganhar mais confiança para as etapas subsequentes. Demorou, lutei e alcancei. Por isso, acredito que doravante será mais fácil voltar a fazer o que eu mais sei em campo que é marcar golo", prometeu.

Tshabalala valoriza as qualidade dos seus mais directos concorrente na posição em que joga, mas acredita que com mais trabalho e humildade pode pegar de estaca."Já os encontrei neste escalão e têm mostrado trabalho, dado a experiência que já possuem. Estou a falar do Chiló, Kadú e o Tucho, mas é verdade que continuo a trabalhar para o melhor e só o técnico é que deve mandar", precisou. Diz não ter pressa, pois, acredita em dias melhores. "Quem estiver a atravessar um bom momento é que joga de inicio e acredito que a qualquer altura posso me destacar nesta posição", afirmou sem receio.

SELECÇÃO DE HONRAS
“Tenho talento para
merecer oportunidade”


Tshabalala admite sem falsa modéstia que nasceu com dotes para jogar futebol. Recorda que quando em 2007, quando foi levado a ingressar nos escalões de formação da equipa da Académica do Lobito, pelo técnico Sambaca, estava convicto de uma carreira promissora."Nasci com o gosto pela bola e cedo já despertava atenção das pessoas que assistiam os nossos jogos. Num dos dias na aula de educação, no Colégio Adventista do Litoral onde estudava, as minhas qualidades despertaram atenção do técnico e logo convidou-me a ingressar na Académica", salientou.

No dia seguinte, quando menos esperava "às 6h00 o técnic foi a minha busca e levou-me a Académica onde felizmente, até hoje, tenho sido bem sucedido e onde pude ser chamado por várias vezes para a selecção de Sub-20", sublinhou.Sente-se orgulhoso por representar por várias ocasiões os palanquinhas, mas afirmou que a fasquia está colocada para atingir aos Palancas Negras e sente que este dia vai chegar, pois, acredita ter talento para tal."Vesti várias vezes a camisola dos Sub-20, mas o meu maior sonho é chegar a sénior, ciente de que devo continuar a trabalhar  sério e com muita humildade, pensando numa breve melhoria dos Palancas", augura.

“Elogio a coragem
do técnico Chiby”


A nova "coqueluche" dos estudantes do Lobito enaltece aposta e a coragem da equipa técnica em lançar para o escalão de sénior atletas sem experiência, mas com talento."É um técnico que nos tem acompanhado desde a formação e devo agradecer a coragem e a competência que ele tem tido na condução dos jovens. Devo dizer que este esta posição, que ultimamente os técnicos angolanos têm tido vem engrandecer mais o nosso futebol", avaliou. Acredita que se esta atitude fosse feita com maior antecedência " muitos dos mais resultados das nossas selecções seriam evitados e por conseguinte o afastamento com tanta facilidade nas competições em que participamos", precisou.

 Tshabalala confessa que a derrota que a Selecção de Sub-20 sofreu diante da congénere do Egipto é de triste memória para todos os angolanos, a julgar pela forma como fomos eliminados da prova.Penso que ninguém gosta de ser humilhado, sobretudo em sua casa, e ainda com uma goleada.Não esperávamos isso uma vez que em casa do adversário tínhamos  perdido apenas por 1-0.

Resultado que deixou-nos confiante. Em suma foi uma tarde para esquecer", deplorou. O atleta apela as pessoas de direito que olhem para a formação com olhos de ver, criando melhores condições de trabalho e mais competições internas e internacionais para uma melhor experiência.
"Não devemos nada às outras equipas africanas em termos de moral e aptidões técnicas. É certo que falta mais trabalho e profissionalismo até mesmo de alguns dirigentes para irmos mais adiante", comentou.