Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Um somatrio de tragdias dentro e fora dos estdios

ANTNIO FLIX - 09 de Dezembro, 2019

Polcia muitas vezes foi chamada a impor ordem aos indiciplinados

Fotografia: Dr

No decurso dos  40 anos do Girabola houve actos e factos que, dento e fora do campo, marcaram-no pelas piores razões. Escândalos nas arbitragens, ameaças de atletas a treinadores e vice-versa, agressões entre adeptos, detenções, julgamentos e até mesmo mortes selam o lado negativo da prova. Nãos as respigaremos todas aqui, por economia de espaço. Apenas damos à estampa algumas, as mais chocantes.

16 JUNHO DE 1989 -
Novato, atleta do 1º de Agosto, é assassinado defronte ao cinema Ngola, no bairro Nelito Soares. Na sequência, a partida da sua equipa diante da EKA do Dondo não se realiza.

11 DE AGOSTO de 1993 - O técnico do 1º de Agosto, Djalma Cavalcanti, sai fortemente escoltado do estádio da Cidadela Desportiva, porque os adeptos da equipa militar o queriam linchar, pelo facto da equipa ter perdido para o Progresso do Sambizanga, por 1-0,  desfecho que nunca tinha acontecido antes, desde que ambas equipas passaram a jogar entre si em 1978.

22 DE NOVEMBRO DE 1996 -
O jugoslavo Goiko Zec, treinador principal do Petro de Luanda, é assassinado, em Luanda, em casa, num dos edifícios da Cidadela.

11 DE AGOSTO DE 2010 -
Cinco adeptos com idades entre 20 e 27 anos identificados, arremessam objectos ao interior do campo, destruindo cadeiras do estádio, vidros retrovisores de viaturas de particulares e do autocarro do Kabuscorp do Palanca. Detidos, acabaram julgados e condenados.

 18 DE OUTRUBRO DE 2011 -
Victor Bondarenko, técnico principal de futebol do Kabuscorp do Palanca, foi agredido por enfurecidos adeptos do clube, após uma sessão de treino realizada no estádio da Cidadela, em Luanda, devido à derrota com o Recreativo do Libolo, por 1-3, em partida pontuável da 28ª jornada do Girabola. A agressão começou a ser ainda protagonizada no princípio do treino de recuperação dos atletas, mas um elemento da direcção do clube acalmou os ânimos dos ferrenhos e exigentes adeptos do conjunto do Palanca.

8 FEVEREIRO DE 2012 - Zezão, atacante  do Santos FC,  sofre forte agressão à facada, a saída dos treinos, quase conhece a morte, mas depois recuperou satisfatoriamente.

3 DE ABRIL  DE 2012 -
O guarda-redes do Progresso do Sambizanga, Titi, é esfaqueado por desconhecidos, na avenida Deolinda Rodrigues, também à saída dos treinos e por pouco conheceria a morte, não fosse a pronta assistência recebida.

4 DE AGOSTO DE 2012 - O 1º de Agosto-Kabuscorp  foi interrompido aos 85 minutos, por 15 minutos, na sequência da alteração de ânimos dos adeptos militares, após exibição de cartão amarelo a um jogador agostino, tendo mais tarde se instalado a confusão e obrigado a intervenção da polícia. Na sequência, o  Tribunal Municipal de Polícia da Ingombota, em Luanda, condenou seis adeptos da claque do 1º de Agosto, a penas efectivas de 15 a 45 dias de prisão efectiva, por crimes de vandalismo durante o jogo da equipa frente ao Kabuscorp do Palanca (0-1), para Girabola.

5 DE AGOSTO DE 2012 - Vinte e três adeptos do Kabuscorp do Palanca morreram e 29 outros ficaram feridos, resultado de um acidente de viação ocorrido na estrada que liga as províncias do Kwanza Norte e Luanda.
O acidente ocorreu quando um autocarro que transportava adeptos da formação do Palanca regressava da vila de Calulo, após o encontro de futebol entre o Recreativo do Libolo do Kwanza Sul e o Kabuscorp, referente a 20ª jornada do campeonato nacional da I divisão, Girabola2012, que terminou com vitoria de 2-0 a favor dos anfitriões.

6 DE AGOSTO DE 2013 -
Dezasseis adeptos da  Académica do Lobito morreram e quatro outras ficaram gravemente feridos, na sequência de um acidente de viação na localidade de Kulango, no Lobito, Benguela quando a viatura que os transportava  embateu contra um camião que se encontrava avariado. O excesso de velocidade esteve na base da tragédia.
 Catorze (14) pessoas, das quais o motorista do Hiace, perderam a vida no local. Outros dois faleceram no Hospital Geral do Lobito, enquanto os quatro feridos ficaram sobe cuidados intensivos na mesma unidade sanitária.

2 DE OUTRUBRO DE 2013 -
Um adepto do Petro de Luanda morreu, em consequência de agressões por parte de elementos da claque do 1º de Agosto, a 2 de Outubro, dia em que as equipas rivais se defrontaram para a 25ª jornada do Girabola. O adepto do Petro de Luanda foi repetidamente agredido e atirado para fora das bancadas pela claque rival do 1º de Agosto. Não suportou a gravidade dos ferimentos e acabou por morrer no mesmo dia. A direcção do 1º de Agosto, na altura, veio a público condenar as acções da sua claque.

7 DE NOVEMBRO DE 2014 - O árbitro João Goma sofreu actos de vandalismo praticados por adeptos das equipas do Petro de Luanda e do 1º  de Agosto no estádio 11 de Novembro, durante o jogo da 30ª e última jornada do campeonato nacional de futebol da I divisão, Girabola2014. Tudo aconteceu na sequência da expulsão do jogador Ary Papel, por acumulação de cartões. O presidente de direcção da AAFA, Manuel da Rosa, defendeu na sequência a necessidade de se reforçar o policiamento nos recintos.

26 DE JULHO DE 2015 - O jogo entre o Benfica de Luanda e o Progresso do Sambizanga, do campeonato angolano de futebol, ficou interrompido durante 25 minutos para aparentes manobras de reanimação do internacional angolano Gilberto. A intervenção junto do jogador das ‘águias’, realizada em pleno relvado, foi bem-sucedida e Gilberto acabou por ser transportado depois para um hospital de Luanda, para prosseguir com a assistência médica.

10 DE FEVEREIRO DE 2017 -
  No jogo de estreia do Santa Rita de Cássia do Uije, onde recebeu e perdeu para o Recreativo do Libolo, por 1-0, registou-se a morte de 17 pessoas e o ferimento de mais de 60,  na sequência de uma avalanche de aptos, que procuravam aceder ao estádio 4 de Janeiro, na cidade do Uíge.

5 de JULHO DE 2018 - O jornalista das Edições Novembro Arão Martins foi agredido quarta-feira, nesta cidade, pelos jogadores do Bravos do Maquis, por alegadamente ter fotografado um momento em que os profissionais contestavam uma decisão do árbitro do encontro, Feliciano Lucas, do Huambo. O facto aconteceu já no final do jogo com o Clube Desportivo da Huíla, no qual a equipa da casa venceu por 1-0.