Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Vamos tornar o Lubango mais atraente para estgios

14 de Março, 2020

Um ngulo da cidade do Lubango

Fotografia: Ja Imagens

Zinga Carlos promete tudo fazer, para melhorar a organização dos campeonatos provinciais e contribuir com ideias valiosas, para a melhoria das competições nacionais, o cartão de visitas do nosso futebol além fronteiras. Promete tornar a província da Huíla, e, quiçá, o município do Lubango, uma das regiões mais solicitadas pelos clubes para realizarem a pré-época, a semelhança do que acontece actualmente com a província de Benguela.
“A província é uma região turística por excelência, com bons hotéis e campos, por isso podemos fazer com que seja mais atractiva para diferentes equipas da I Divisão, em épocas de estágios. Isso é possível, caso haja a envolvência de parcerias”, esclareceu.
Reconheceu que o contexto é diferente, mas caso seja eleito, referiu, tenciona voltar a trabalhar junto dos clubes, para que a Huíla volte a ter um campeonato provincial nos diferentes escalões. “Sabemos que hoje o contexto é diferente, porque as empresas envolviam-se mais. Vamos ter de voltar a conversar mais, para que o ganho volte a ser um facto”, frisou.
Sublinhou que, não obstante a sua pretensão ser já um facto, “ainda estou a preparar o meu projecto, mas as principais linhas de força não fogem muito das citadas”. Afirmou que a questão das infra-estruturas tem sido um empecilho, que tem inibido a massificação e o interesse de diversas equipas virem à Huíla.
Zinga Carlos referiu, que é possível mudar o quadro, fazendo advocacia junto das autoridades competentes. “Basta mudarmos de mentalidade e pedir que as autoridades a fins se envolvam mais. Se notarmos, existe um espírito de deixa andar, não só na manutenção, mas também na construção de infra-estruturas. Mas quero lembrar, que no passado não tínhamos muitas infra-estruturas comparativamente com as actuais, mas havia muito futebol, as pessoas envolviam-se e interessavam-se mais”, realçou.
“Hoje as infra-estruturas existem e o mais difícil é mantê-las em condições para a prática do desporto, mas sabemos que a solução não passa apenas pela Associação Provincial de Futebol, mas sim de todos. Temos que trabalhar em conjunto com a direcção provincial dos Desportos, clubes e administrações municipais, para ver o que é possível fazer, para recuperar os campos que tanto fazem falta para a prática do futebol, sobretudo a nível da formação dos jovens”, defendeu.