Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Velho Drbi

Antnio Felix - 27 de Maio, 2016

Os aviadores vo receber os militares para um forte duelo e sacudir a crise de maus resultados

Fotografia: Jornal dos Desportos

Ficar dez anos sem ganhar o campeonato é quase uma "pedra no sapato" do 1º de Agosto e, por esta razão, a equipa militar está determinada nesta época a ganhar jogos atrás de jogo para chegar ao título, razão por que também hoje, a partir das 18 horas, descerá  determinado à casa do ASA, estádio dos Coqueiros, para o aliciante jogo que abre a 14ª jornada do  Girabola Zap.

Na quarta-feira o 1º de Agosto viu o campeão Libolo a ganhar (1-0) ao Desportivo e a encostar-se se a si, com a diferença apenas de um ponto e, sendo isso evidente, tem uma deslocação  aos Coqueiros com o lema "perder é proibido".

Em caso de vitória o 1º de Agosto voltará a encetar o que podemos designar de "fuga em frente" com 31 pontos na liderança. Em caso de empate somará 29 pontos. Se perder ficará com os 28 que tem neste momento.

Estes dois cenários, isto é, o de um eventual empate ou derrota, pode dar vantagem ao Libolo. E porquê? Porque este só vai jogar depois: o campeão saberá do resultado do 1º de Agosto e então fará tudo, mas tudo mesmo para ganhar ao Porcelana e somar trinta pontos na liderança, onde dificilmente sai quando... lá chega!

Como se vê, só mesmo a derrota interessa ao 1º de Agosto, para somar 31 e, no caso de o campeão Libolo totalizar 30 vencendo o Porcelana, não fica à frente da classificação.

Tudo isto só depende do que o 1º de Agosto vai jogar diante do ASA, um adversário já de "costume", uma equipa frente a qual já travou muitos dérbis, com vantagem e desvantagens repartidas pelos dois lados em termos de derrotas, empates e vitória, conforme se pode ver no quadro de resultados  nesta página.

O ASA está num lugar aflito, sinal de baixa forma desportiva, mas isso não é suficiente para deixar o 1º de Agosto à vontade.  Os aviadores vão receber os militares para um forte duelo e sacudir a crise de maus resultados que já provocaram a "chicotada" do técnico brasileiro Robertinho, rendido interinamente, por Bodunha.

Bodunha conhece bem o historial da rivalidade e dérbis da equipa que agora comanda contra o 1º de Agosto. O ano passado ainda era jogador do ASA e tem na mente a goleada (5-0) que a sua equipa averbou.

Resta saber se desta fez o ASA está pronto para redimir-se, se tem estratégia para a desforra, uma pretensão que certamente é a que anima a turma aviadora disposta, como está, a fugir da perigosa zona da despromoção, embora faltem ainda longas jornadas.

O ano passado na primeira parte o 1º de Agosto já vencia na primeira parte com golos de Traoré, logo aos quatro minutos, Ary papel, aos 14 e, de nono, Papel em "cima" dos primeiros 45 minutos. Depois Gacá, defesa do ASA fez um auto golo aos 59 minutos e, para fechar a conta, Jumisse que tinha rendido Paizo no 1º de Agosto fixou o 5-0 aos 81 minutos, daquele jogo apitado pelo árbitro Osvaldo Félix coadjuvado por Sebastião da Silva e José Félix.


VISITA AO ASA
Militares controlam
euforia para dérbi


O último empate da formação do 1º de Agosto não agradou em nada a equipa técnica, que aposta forte no regresso às vitórias hoje, às 18h00, no estádio dos Coqueiros, diante do ASA, evitando a euforia dos seus adeptos.

O técnico-adjunto, Filipe Nzanza admitiu que os jogadores deixaram-se levar pela euforia dos adeptos no empate, com sabor a derrota, frente ao Interclube, na jornada anterior, situação que não deverá voltar a acontecer no dérbi desta noite. 

"Desta vez não podemos cair na euforia dos adeptos. No último jogo estávamos a ganhar por 3-0, consentimos o empate e foi muito mal para nós.
Não queremos repetir esta experiência", disse o auxiliar do bósnio Dragan Jovic, em conferência de imprensa, na última quarta-feira, no ex-RI20.

O antigo médio do conjunto rubro e negro agora nas vestes de adjunto, disse que a conversa com a direcção do clube nesta semana, ajudou a reforçar a concentração da equipa. Realçou que o objectivo é regressar a regularidade que estavam a apresentar na prova.

"Estamos atentos a tudo que tem acontecido, aliás, a nossa direcção também conversou connosco e vamos fazer tudo para regressarmos às vitórias neste jogo, em que vamos enfrentar uma boa equipa, mas não podemos deixar escapar o nosso objectivo, que é vencer", apontou.

Os militares estão ciente do bom momento que os aviadores atravessam no Girabola Zap, mas apostam no seu potencial para chamar a si o triunfo no dérbi mais antigo desta competição. 

"Sabemos que o ASA vem de dois bons resultados, diferente da nossa equipa, mas queremos mostrar que continuamos a ser a mesma formação, que lidera o campeonato. O nosso único pensamento é ganhar o jogo", concluiu Filipe Nzanza. O líder do campeonato pode apresentar novidades no onze inicial, em função da dúvida em relação a disponibilidade do médio ofensivo Ary Papel e a confirmação da ausência do avançado Patrick, ambos lesionados.

Em substituição de Ary Papel, Mingo Bile é um forte candidato a fazer parte dos titulares, tendo como concorrentes Paizo e Romaric.
JORGE NETO


             ÚLTIMOS 17 ANOS

ANO     CASA         FORA           RESULTADO


2015   ASA     1º de Agosto           1-2
2014   ASA     1º de Agosto           3-1
2013   ASA     1º de Agosto           3-1
2012  ASA      1º de Agosto           0-1
2011   ASA     1º de Agosto           0-0
2010   ASA     1º de Agosto           1-0
2009   ASA     1º de Agosto           1-1
2008   ASA     1º de Agosto           0-1
2007   ASA     1º de Agosto           0-2
2006   ASA     1º de Agosto           3-1
2005   ASA     1º de Agosto           1-0
2004   ASA     1º de Agosto           8-1
2003   ASA     1º de Agosto           2-1
2002   ASA     1º de Agosto           0-1
2001   ASA     1º de Agosto           2-1
2000   ASA     1º de Agosto           2-1
1999   ASA     1º de Agosto           0-1

Nos últimos dezassete anos, a jogar em casa, o ASA sempre levou vantagem sobre o 1º de Agosto, inclusive com uma grande goleada ao seu rival , por 8-1, em 2004. Foi a segunda goleada que a equipa aviadora já teve no campeonato depois da que, em 1979, infligiu ao Sassamba da Lunda Sul, por 11-0.


MANUCHO DINIS
“Estamos motivados
e confiantes”


Pressionados pelos últimos resultado e aproximação do Recreativo do Libolo na última quarta-feira, a equipa do 1º de Agosto enfrenta hoje o Atlético Sport Aviação (ASA), com o único pensamento de regressar às vitórias no Girabola Zap.

Na antevisão do dérbi, o médio defensivo Manucho Dinis revelou que apesar do período menos bom que enfrentam, estão motivados para entrar em campo e dar o máximo para ganhar o jogo.

"Sabemos que estamos a vir de um resultado menos bom, mas trabalhamos com muita atenção. Estamos disponíveis e motivados para fazer um bom jogo, regressando deste modo às vitórias", disse o segundo capitão de equipa.

Manucho Dinis defendeu que estão cientes daquilo que devem fazer para voltar aos triunfos, ultrapassando as dificuldades que certamente serão impostas pelo adversário.

"O grupo sabe o que tem de fazer para ganhar. Sabemos que nos dois últimos jogos cometemos erros e quando é assim, só nos resta mostrar que estamos focados nos nossos objectivos no campeonato",  concluiu o médio defensivo, que pode voltar a titularidade diante dos aviadores. JN


ASA
Aviadores com discurso cauteloso


A equipa do Atlético Sport Aviação (ASA) defronta o seu velho rival, o 1º de Agosto, no reencontro dos dois clubes mais antigos do Girabola em actividade.

Em função das expectativas de que se reveste a referida partida, o treinador interino do clube aviador, José de Carvalho "Corola", reconhece ser um desafio muito complicado para a sua equipa.

"Vai ser um jogo muito difícil para o ASA, diante de uma equipa muito forte, e que se encontra com todo mérito na primeira posição da tabela classificativa", mas alertou que o facto de perder cinco pontos em duas jornadas pode ser complicado para a sua formação. 

"Vem de dois resultados consecutivos desnivelados, com uma derrota e um empate. Neste momento está a sofrer uma enorme pressão dos seus mais directos perseguidores. Nessa ordem de ideia, o 1º de Agosto vai procurar nos complicar, porque precisa de se livrar dessa pressão a que está submetido", referiu .

Corola assumiu que pretende contrariar essa pretensão do adversário, visto que a sua equipa se encontra numa posição bastante incómoda e quer fazer uma rápida recuperação.  

"Estamos numa situação perigosa, da qual precisamos sair imediatamente, para ver se conseguimos cumprir com os nossos objectivos. Para que isso seja possível, somos obrigados a vencer os jogos que temos pela frente, e este é um deles. Então, nós vamos lutar até ao fim no jogo de amanhã (hoje), para ver se conseguimos pontuar", prometeu.

Os derbies entre o ASA e 1º de Agosto ou vice-versa, remontam do ano de 1979, ano em que foi disputado o primeiro Girabola no período que se seguiu à proclamação da Independência Nacional, sendo por essa razão as duas equipas mais antigas e únicas sobreviventes, do grupo que disputou a primeira edição do Campeonato Nacional de Futebol.

Os resultados entre os dois conjuntos têm variado de ano para ano e m função do momento que cada um dos conjuntos estiver a atravessar, sendo por esta razão muito imprevisíveis.

O técnico afirmou que os dois últimos resultados alcançados pela equipa do ASA são animadores, mas advertiu que não deve haver euforias, devido à condição classificativa em que se encontram, a 13º colocado da tabela geral.

"Estivemos estagnados durante sete jogos, período durante o qual não conseguíamos somar nenhum ponto sequer. Conseguimos um empate e uma vitória, diante de equipas bem cotadas no mercado, o que posso considerar como resultados positivos. Contudo, no ASA não há euforias de momento, porque apesar desses resultados, praticamente ainda não ganhamos nada", acautelou.
Augusto Panzo