Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Velhos rivais acertam calendrio

26 de Agosto, 2019

Militares com mira afinada baptizam sambilas com forma desportiva totalmente diferentes

Fotografia: Ndombele Bernardo | EDIES NOVEMBRO

A primeira jornada do Campeonato Nacional encerra amanhã, no Estádio dos Coqueiros, a partir das 17h30, com o aliciante dérbi, Progresso do Sambizanga - 1º de Agosto. Se a lei do mais forte prevalecer, no tempo regulamentar, a imparável marcha militar pode  somar mais uma vitória, a quinta consecutiva da época, no que começa a ser um bom começo de temporada, o mesmo não se pode dizer dos sambilas, porque só agora fazem a estreia no Girabola Zap 2019/2020. Os militares estão adiantados em tudo, por conseguinte, vai ser com naturalidade que devem fazer o pleno no campeonato, ainda mais agora, que estão a repetir a imagem de marca da última temporada, vitórias tranquilas sem sofrer golos. A eficiência do 1º de Agosto está  para as encomendas, cada vez mais, a equipa dá provas inequívocas de que sabe, quando e como alcançar o que é seu, até mesmo, quando não precisa de momentos de grande brilhantismo. A grande diferença entre o 1º de Agosto e o Progresso do Sambizanga vai para além dos números de jogos que cada um realizou na temporada, a bem da verdade, as duas equipas parecem ter retornado ao passado que os fez rivais, ou seja, os militares há muito arrumaram a casa para aparecer competitivo no campeonato, enquanto os sambilas aparentam estar de volta ao tempo em que deixavam os adeptos com o credo na boca. O 1º de Agosto está bem, ninguém ainda viu ventos favoráveis a empurrar esse Progresso, é normal que o medo do desconhecido, iniba os militares nos minutos iniciais, a fim de fazer o eficaz reconhecimento da verdadeira qualidade competitiva sambila. Por mais que o campeão tenha pressa de ir ao pote, a atitude de espera vai impedir que o excesso de confiança se transforme  num fardo adicional, capaz de estorvar a atitude colectiva. As grandes equipas também costumam ser cautelosas, pelo que o 1º de Agosto não pode cair em tentação de pensar que vai chegar, ver e vencer, nos Coqueiros. É verdade que entrar a ganhar pode facilitar as coisas para os militares, mas é aqui onde bate o ponto, até para fazer o golo madrugador,  vai ser necessário que o campeão faça a sua parte, como a bola  entra, pouco importa, certeza é que os militares vão ter de chegar ao último reduto sambila.
O Progresso adiou a estreia no campeonato,  porque deixou para o fim o que podia ter feito no começo,  chegou o momento de todos verem quanto vale a equipa que perdeu a sua maior referência dos últimos anos, o atacante Yano, agora no Petro de Luanda. Os sambilas ainda são como um enigma, mas é possível que a primeira aparição no campeonato sirva de montra, ainda mais, porque o adversário é o denominador do futebol nacional das últimas quatro épocas seguidas. Um empate faz parte do plano mínimo dos sambilas para o dérbi, as chances de vencer aparentam ser poucas, então, é mais aceitável para o Progresso voltar para casa com o pontito, pois, a derrota de modo algum seria capaz de produzir algo de bom. Infelizmente para os sambilas, no balneário do 1º de Agosto nem os adeptos gostam de  descontos  quanto a desperdícios de pontos, ainda mais agora com a bonança que é mesmo real, ninguém está à espera de um jogo de ataque contra defesa, mas de certeza absoluta que os militares vão  gastar muito mais para ganhar e ganhar.