Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Vitria do 1 de Agosto sobre o Benfica

Betumeleano Ferro - 20 de Fevereiro, 2016

O passo em frente dado pela equipa rubro-negra foi um soco no estmago do Benfica de Luanda que durante todo o jogo no teve solues tcticas para parar o adversrio

Fotografia: Kindala Manuel

Dois certeiros golpes de cabeça do reforço Geraldo, aos 49', e de Gelson, 81', chegaram e bastaram para o 1º de Agosto derrotar ontem nos Coqueiros o Benfica de Luanda por dois a zero.

O justo triunfo permitiu aos militares atingir vários alvos ao mesmo tempo, se estrearam com vitória no Girabola ZAP, acabaram com a malapata de perder o jogo inaugural, como sucedeu nos últimos dois anos, e entram no campeonato como líderes.

A vitória do 1º de Agosto tardou a ser desenhada, a equipa teve tudo para ir ao intervalo a vencer, mas antes do árbitro Romualdo Baltazar apitar para o descanso, Geraldo desperdiçou a melhor chance da primeira parte ao atirar à figura de Fernando. Pouco tempo depois do reatamento, os dois jogadores travaram novo duelo mas com desfecho diferente, o guarda-redes foi mal batido pelo médio militar.

O passo em frente dado pela equipa rubro-negra foi um soco no estômago do Benfica, os encarnados terminaram a etapa inicial com melhor ascendente mas acabaram por sofrer muito cedo, na segunda parte, um golo algo frio. Em desvantagem no marcador, as águias nem tiveram tempo de tentar voar para o empate porque, sete minutos depois de sofrerem, ficaram reduzidos a 10. Savané foi expulso com vermelho directo, um exagero do árbitro Romualdo Baltazar, que ontem fez uma exibição oscilante.

A expulsão de Savané acabou por ser determinante para sentenciar em definitivo a partida à favor do 1º de Agosto. A dupla vantagem no marcador, e numérica, deu aos militares tudo o que necessitavam para dominar, pela primeira vez, em todo o jogo, o Benfica de Luanda.

A bem da verdade, o 1º de Agosto preferiu ser cauteloso a ter de se deixar dominar pela emoção. Não forçou muito o andamento do jogo, mas soube ser eficiente na gestão da posse de bola, o que impediu o Benfica de atacar, afinal não poderia fazê-lo sem desarmar o adversário, que estava cheio de confiança.

O Benfica de Luanda tentou num derradeiro esforço chegar ao empate através do efeito Baldé e quase teve êxitos. Em várias ocasiões o possante reforço das águias tirou grande proveito da sua boa estatura para restabelecer a igualdade. Aos 79', o estreante avançado cheirou o golo, mas o cabeceamento passou a escassos centímetros do poste do guarda-redes Dominiqui.

Sem munições para derrubar as perigosas jogadas aéreas das águias, os militares respiraram de alívio aos 81' na sequência de uma sucessão de erros cometidos pela equipa encarnada. Vado perdeu a bola para Buá em zona perigosa. O esférico foi endossado para Papel, isento de marcação, que cruzou para o coração da área onde Gelson, também sem ninguém a importuná-lo, mergulhou para matar o jogo inaugural do Girabola ZAP.


ANTIGO ALA DO PETRO
Abel aplaude aumento de candidatos


O antigo avançado do Petro de Luanda e  do Benfica de Lisboa, Abel Campos, reconheceu que o Girabola ZAP cuja edição 38ª iniciou ontem tem ganho competitividade nos últimos anos, ao deixar de ter dois candidatos ao título.

Abel Campos falava à Angop no complexo Demósthenes de Almeida “Catetão” sobre as expectativas do Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão, Girabola Zap, sublinhou que o novo quadro só foi possível com o investimento que outros clubes têm feito, além do 1º de Agosto e Petro de Luanda, os maiores vencedores da competição.

“Já não temos um ou dois candidatos ao título como tivemos há tempos. Isso demonstra que as outras equipas investiram e organizaram-se da melhor forma”, declarou.

Depois de referir que todos os anos os clubes almejam melhorias competitivas na prova, o ex-ala direito enalteceu o acordo sobre transmissão televisiva e disse esperar que “traga outra competitividade”.“É bem-vinda a envolvência da Zap no Girabola. Sabemos que é o novo patrocinador do campeonato e espera-se que valorize a competição na visão local e nacional”, frisou.

Abel Campos  espera que os jogadores estrangeiros contratados tenham outras capacidades para contribuir no campeonato.

Durante a carreira, Abel Campos representou o Petro de Luanda (1982/1988), as formações portuguesas, do Sport Lisboa e Benfica, Benfica Castelo Branco, Braga e Estrela da Amadora (1988/1993) e os indonésios do Gelora Dewata e PSIS Semarana (1994/1998).


NANDO  JORDÃO
“Esperamos por
uma prova  melhor”


O presidente do Conselho Técnico e Desportivo da Federação Angolana de Futebol (CTDFAF), Fernando da Trindade "Nando" Jordão, apontou há dias em Luanda a possibilidade do salto qualitativo e a melhoria da 38ª edição do Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão, Girabola Zap, cujo arranque aconteceu ontem à noite no Estádio dos Coqueiros, com o desafio Benfica de Luanda - 1º de Agosto.

Ao avaliar os últimos preparativos do inicio da prova, o responsável referiu à Angop que as acções levadas a acabo pela FAF e parceiros, permitem esperar por um campeonato que supere em vários aspectos os eventos anteriores.   
          
“Neste momento estamos na fase de conclusão das inscrições e creio que em função de tudo que foi feito, podemos esperar por um campeonato melhor em quase todos os sentidos. Também a implementação a algum tempo do sistema informatizado de inscrições, permitem ter uma melhor articulação com os clubes, que são os principais intervenientes”, disse.

O recente acordo de transmissão televisiva entre a FAF e a estação privada de televisão fechada ZAP, com acréscimo a sua designação, o suporte indirecto dos custos de arbitragem, a introdução de exames anti-doping, a obrigatoriedade da licença da Confederação Africana de Futebol (CAF) aos treinadores entre outros, também foram apontadas pelo dirigente como garantias para a evolução do campeonato.      

“Estão a ser realizadas várias acções tendentes a termos no presente ano um campeonato com mais qualidade e que o nosso produto seja mais valorizado. Por isso, também apelamos a maior organização e colaboração por parte dos clubes e que os amantes da modalidade  contribuam  para a estabilidade e desenvolvimento”, frisou.     
    
O Girabola Zap 2016 é disputado pelas equipas do Petro de Luanda, 1º de Agosto, Atlético Sport Aviação (ASA), Recreativo da Caála, 1º de Maio de Benguela, Porcelana do Cuanza Norte, Recreativo do Libolo, Académica do Lobito, Kabuscorp do Palanca, Benfica de Luanda, Progresso da Lunda Sul, Sagrada Esperança da Lunda Norte, Progresso do Sambizanga, 4 de Abril do Cuando Cubango, Interclube e Desportivo da Huíla.