Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Vulcão nos Coqueiros

Betumeleano Ferrão - 03 de Março, 2018

Kabuscorp do Palanca - Recreativo do Libolo é o jogo de cartaz da quarta jornada

Fotografia: Edições Novembro

As duas faces do 1º de Agosto na temporada podem desaparecer esta tarde no Estádio de Ombaka às 15h00, se o histórico dos rubro -negros voltar a fazer mossa aos estudantes. Os militares iniciaram mal a defesa do título e tentam corrigir o passo, num Estádio em que costumam ser felizes, têm a possibilidade de ganhar a um adversário modesto, embora, o jogo Kabuscorp - Libolo às 17h00 nos Coqueiros, protagonize o cartaz da jornada.
Os militares tentaram mas foram incapazes de esconder a realidade, os ausentes fizeram falta é por isso, que vão ter de puxar dos galões para não complicar a chance de provar cedo, que ainda têm potencial competitivo para manter o ascendente sob os rivais. Os estudantes costumam amealhar pontos nos jogos com o campeão nacional, motivo por que os pupilos de Zoran Maki vão fazer pela vida para aproveitar uma oportunidade, que pode ser de ouro.
A temporada começou mal para a Académica do Lobito, a necessidade de reagir aumenta a ansiedade no seio da equipa. Uma vitória sobre o 1º de Agosto seria ouro sobre azul para os estudantes, para conseguir somar 3 pontos é  necessário muito poder de inspiração e eficácia para aproveitar qualquer sinal de fraqueza do campeão.
O 1º de Agosto vai ansioso a Ombaka, o jogo de hoje está longe de ser decisivo para a revalidação do título, porém, um desaire com a Académica vai disparar o alarme, a bem da verdade não existem duas épocas iguais, a realidade agora é diferente, ainda mais porque os atletas que estão a tapar o furo, ainda precisam de tempo para conhecer os cantos da casa ganhadora em que chegaram.
Tão logo soe o último apito em Ombaka, os Coqueiros entram em ebulição com o jogo da ronda, Kabuscorp - Libolo às 17h30 com duas equipas renovadas mas com os mesmos objectivos de sempre. Os dois plantéis passaram por uma mudança profunda,  a qualidade está lá, motivo por que se espera que os dois contendores justifiquem no relvado toda a expectativa que estão a gerar.
Os palanquinos vão puxar do factor casa para assumir o controlo do jogo, uma vantagem que pode ser importante, porque vai ajudar o adversário a também mostrar o seu melhor para conseguir sair dos Coqueiros com algum ponto, que sempre vai ser melhor do que nada, ainda mais porque do outro lado vai estar um concorrente directo.
Os libolenses estão a fazer um início de campeonato aceitável, assim como o Kabuscorp também tem uma derrota, é normal perceber por que essa tarde a equipa de Calulo vai  esforçar-se para evitar novo desaire, pois, o Girabola Zap mal começou para hipotecar as chances de lutar pelo título.
Ainda a procurar a fórmula da época passada, o Sagrada Esperança vai fazer-se pela vida, para alcançar o único resultado que lhe falta no campeonato. A quarta pode ser de vez para os diamantíferos, o apito soa pela primeira vez às 15h30, no Dundo, o Caála é o adversário ideal para testar o apetite de vitórias da equipa caseira.
Os caálenses não estão a viver um período de bonança, mas estão melhor do que o Sagrada, a diferença pontual não é grande, mas existe. O cenário não está fácil para a equipa do Huambo neste início do campeonato, quis o sorteio que nas quatro jornadas calhassem adversários muito difíceis, a prova de fogo começou mais cedo para David Dias e pupilos, mas a recompensa é capaz de vir depois e ser grande.
O leão voltou ao campeonato com a lição estudada, pelo menos é o que demonstrou até aqui. A vitória caseira e o pontito fora parece ser o lema leonino.
Essa tarde às 15h00 no Mbuco-Mabele, o Sporting de Cabinda vai repetir a fórmula que preparou para se manter na primeira divisão. Uma vitória sobre o JGM vai ser mais um passo firme em direcção à manutenção.
O adversário é acessível e também luta pelo mesmo objectivo, motivo mais do que suficiente para os leões se esforçarem em mostrar atitude competitiva para somar 3 pontos, ante uma equipa do seu campeonato.
A deslocação ao enclave vai ser a primeira do JGM, mas é ponto assente que a equipa do Huambo vai com a ambição de aproveitar 100 por cento, quem costuma dar trabalho a adversários mais cotados, tem obrigação de mostrar serviço contra os da sua bitola.
A alteração do local do jogo, criticado pelos visitantes, pode ser o primeiro obstáculo, ainda assim o plantel está motivado e confiante num desfecho positivo na visita ao Sporting.


FECHO DA JORNADA
Equipas da capital em alerta


A quarta jornada encerra amanhã com jogos interessantes, apenas um parece estar em desnível, trata-se do Cuando Cubando FC - Interclube às 15 h00, no Estádio de Menongue. Para um apostador era mais fácil inclinar a escolha para os polícias, antes de pensar numa eventual surpresa, mais difícil mesmo era atribuir a chance de vitória para os embates 1º de Maio - Domant, no Municipal, e Progresso - Desportivo, Coqueiros, ambos às 16h00.
Os polícias estão com boa pedalada depois de \"prenderem\" de maneira seguida dois adversários complicados, Caála e Sagrada, êxitos que aumentaram a motivação para a senda de bons resultados, nesse início do campeonato.
Sem desprimor para ninguém, há todos os motivos para acreditar que o Interclube vai dar tudo o que tem, para cumprir com as obrigações mínima, um triunfo extramuros vai estar dentro das previsões porque todos sabem de que lado vai estar o mais forte.
A maneira como o Cuando Cubango reagiu ao baptismo no campeonato, é capaz de ser o melhor aviso que o Interclube necessitava, a equipa caseira sabe que para ganhar tem de deixar a alma em campo. Os polícias não têm a história e o peso do Petro de Luanda, ainda assim, é normal que a equipa caseira prefira o contra-golpe, pois, garante-lhe mais possibilidade do pontito, jogar de peito aberto é desaconselhável a todos os títulos, pois, não há chances de surpreender.
O Progresso do Sambizanga passou pela maior sangria da temporada, mas deixou água na boca no jogo com o 1º de Agosto. Amanhã, os sambilas voltam a ser testados pelos militares, a história é capaz de ser escrita de maneira diferente, tudo depende do que de bom cada um dos contendores vai ser capaz de fazer quando o árbitro apitar para o jogo iniciar nos Coqueiros às 16h00.
A corrida pelos pontos vai ser muito interessante, porque as duas equipas estão com planteis irreverentes, qualquer deles quer embalar nesse início do campeonato para não entrar no desespero quando aparecerem os maus resultados, coisa normal num campeonato longo.
Os sambilas jogam em casa, mas têm de reconhecer que os militares têm mais qualidade, contra adversários de maior valia a receita é a mesma do jogo com o 1º de Agosto, se der para repetir as chances de pontuar são muitas para o Progresso.
Os militares mostraram do que são capazes no campeonato, ainda bem que isso já aconteceu, porque há poucos motivos para acreditar numa reedição do jogo de estreia, se fugir no marcador é pouco provável que o Desportivo entregue o ouro ao adversário nos minutos finais.
A amostra que o 1º de Maio deixou na jornada anterior, colocou a fasquia no alto, é normal que os adeptos estejam ansiosos em ir ao Municipal às16h00 para testemunhar a primeira vitória no Girabola Zap 2018. O Domant está a passar por um momento conturbado, com mudanças no comando técnico, a massa associativa proletária está na expectativa para ver se a equipa consegue tirar bom proveito de tudo o que aparenta ser vantagem.
Os proletários estão na boca do povo, agora, têm de pagar o preço da fama, uma tarefa nada fácil para quem enfrenta um concorrente directo. É isso mesmo, o empate com o Petro não inválida os objectivos primários dos proletários, a manutenção pelo que o 1º de Maio  tem de fazer tudo para ganhar uma vantagem que é sempre boa contra um oponente.
O Domant escolheu mal o tempo para lavar a roupa suja, é normal que a equipa se ressinta da saída do treinador, os atletas ainda têm as rotinas adquiridas com o antigo treinador, por mais que tentem ainda fazem algumas coisas como se estivessem a escutar a voz do antigo pastor. 
 BF