Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Yano adverte concorrentes

Manuel Neto - 02 de Outubro, 2015

Atacante sambila ainda acredita na conquista do trofu de melhor marcador esta poca

Fotografia: M.Machangongo

O atacante do Progresso Sambizanga, Yano,  manifestou em entrevista, ao Jornal dos Desportos, a intenção de voltar a marcar golos nos dois jogos que faltam para o término do campeonato nacional, pois, acredita ser ainda  possível sagrar melhor marcador da prova. 

Para as próximas duas partidas, por coincidência dois dérbis, frente ao Petro de Luanda e Interclube, o atleta garantiu estar esperançado em manter o ciclo e conquista o troféu de melhor marcador do Girabola. Assumiu que como goleador da equipa a sua missão é fazer sempre mais e melhor para ajudar os sambilas a vencerem os jogos.

"Sou um goleador cuja função principal é marcar golos para melhor ajudar o grupo. Por isso , não me passa outra coisa pela cabeça, que não seja a de continuara a trabalhar para marcar golos em todos os jogos e conquistar  o troféu de melhor marcador, embora se afigure uma tarefa difícil", reconheceu.

O atleta voltou a estar em evidência  na quarta-feira, ao marcar dois, dos quatro, importantes golos que ditaram a vitória da sua equipa diante do Sporting de Cabinda e consequentemente garantirem a permanência do turma do sambila na maior prova futebolística nacional.

"Depois de algumas jornadas em branco, quarta-feira, as coisas voltaram a correr bem para mim e todo o grupo. É bem verdade que a prioridade é o conjunto, mas como profissional não deixo de ter as minhas ambições. E voltar a ser o melhor marcador é uma delas", sublinhou.

O  goleador dos sambilas marcou pela última fez diante da equipa da Académica do Lobito, na Cidadela, no dia 12 de Agosto, em jogo referente a 21ª  jornada do prova e viveu um jejum de quarenta e cinco dias sem fazer o gosto ao pé.

Com os dois golos apontados quarta-feira, o atleta engrossa a lista dos concorrente com doze golos, menos um, que o líder Meyong, vencedor das duas últimas edições.

Formado na escola de formação das Minas de Catoca e com passagem pelo Girabairro na província da Lunda Sul, as suas qualidade e posicionamento na área despertaram o interesse de algumas formações do Girabola, mas opção recaiu para o Progresso, equipa que representa pela 5ª época consecutiva, onde já conquistou o troféu de melhor marcador da maior prova do futebol nacional, em 2013.


PRELECÇÃO
"Presidente motivou
 bastante o grupo"

Yano elogiou o apoio moral e o incentivo do presidente do clube, Paixão Júnior, que não tem poupado esforço em estar sempre presente ao lado do grupo de trabalho, liderada por Albano César, nos maus e bons momentos da equipa. 

Revelou que a presença do líder máximo da formação sambila  na prelecção, serviu com um ópio para o plantel e admitiu que foi fundamental para o regresso as vitórias, numa partida bastante importante para assegurarem a manutenção.

"As coisas nos últimos jogos não aconteciam como pretendíamos e acredito que a intervenção do presidente na prelecção, sem subalternizar em momento nenhum o técnico Albano César, serviu como um adicional às orientações do treinador", confessou.

Destacou que a semana de trabalho foi bastante produtiva e os resultados estão aí a vista de todos, em função da atitude e comportamento que tiveram na recepção ao leão, adversário que por norma faz bons resultados em Luanda. "Ele esteve sempre connosco ao longo da semana e elevou bastante os nossos níveis de competitividade e psicológico", esclareceu.

Ainda assim, apesar do triunfo o goleador do Progresso recorda os momentos menos bons que passaram quando Sporting reduziu a desvantagem, chegando mesmo a pressionar para alcançar o empate.

"Foi um grande momento da equipa de Cabinda. O nosso grupo chegou a tremer, mas acreditei que podia fazer mais. Como faltava alguma concentração da nossa parte, entendi que a melhor forma era tentar uma jogada individual para marcar um golo e matar o jogo para acalmar os ânimos do grupo ao invés de defendermos o magro resultado", destacou.

Defendeu que valeu a pena a sua iniciativa, já que permitiu aos seus colegas manterem a tranquilidade. "Graças a Deus o meu pensamento foi concretizado e agora, só me resta respirar de alívio”.