Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Zoran Maki fora do "banco"

Betumeliano Ferro - 27 de Agosto, 2018

Fotografia: Santos Pedro | Edies Novembro

O técnico do 1º de Agosto, Zoran Maki, recebeu ordem de expulsão do árbitro Ailton Carmelino, no final do jogo com o Sagrada Esperança, motivo por que arrisca a sofrer várias penalidades, previstas no regulamento de disciplina da Federação Angolana de Futebol (FAF), uma delas, é ficar privado de orientar a equipa, sentado no banco de suplentes, no derradeiro desafio com o Cuando Cubango FC, que pode valer o título, apurou o Jornal dos Desportos, de fonte segura.
O Jornal dos Desportos soube, que a atitude do treinador militar no final do jogo foi considerada incorrecta e inapropriada, ao ponto de receber ordem de expulsão do árbitro Ailton Carmelino. Tão logo terminou o embate com o Sagrada Esperança, Zoran Maki entrou no relvado para reclamar do juiz uma suposta actuação parcial contra a sua equipa, os seus protestos foram considerados exagerados e o árbitro expulsou-o.
A atitude de Zoran Maki tirar satisfações ao chefe da equipa de arbitragem, passou despercebida, e os jornalistas presentes no Estádio não se aperceberam da expulsão dada por Ailton Carmelino, tudo aconteceu na altura em que entrevistavam Ivo Traça, técnico -adjunto do 1º de Agosto, soube o nosso diário.
A fonte que informou o Jornal dos Desportos, assegurou que em várias etapas do jogo o técnico Maki arriscou à expulsão, pela maneira como contestou as decisões do trio liderado por Ailton Carmelino. O comportamento do treinador não mudou com o final do jogo, foi por isso, que achou por bem tirar satisfações ao árbitro, mas a atitude custou-lhe caro.
A fonte que citamos, garantiu que a maneira disparada como o treinador chegou ao árbitro, fez com que as testemunhas presentes, como o comissário ao jogo, concluíssem que reagiu à quente, a única razão porque ao falar com os jornalistas apontou o dedo acusador à equipa chefiada por Ailton Carmelino, sem levar em conta o que o seu adjunto Ivo Traça disse minutos antes, na entrevista que vários órgãos de informação retomaram, até um dia depois do empate a duas bolas.
A fonte assegurou, que no final do jogo, o cartão de Zoran Maki não foi entregue ao delegado ao jogo do 1º de Agosto, ficou cativo e só vai ser entregue quando o clube pagar a multa resultante da sanção a ser aplicada pela Federação.
O acto simbólico, de reter a licença do treinador, é para a fonte uma prova de que o campeão vai ficar privado do técnico principal, no fecho do Girabola Zap.