Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

1º de Agosto acredita

Jorge Neto - 19 de Fevereiro, 2017

A viragem da desvantagem trazida da primeira “mão” pode acontecer hoje às 17h00 no Estádio 11 de Novembro

Fotografia: Jornal dos Desportos

Ivo Traça, técnico-adjunto da equipa do 1º de Agosto, acredita que a sua equipa tem a possibilidade de mudar a desvantagem que trazem da primeira “mão”,quando defrontar, hoje às 17h00, no Estádio 11 de Novembro, a formação do Kampala City Council FC do Uganda, desafio de resposta a contar para a eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões Africanos.

 O auxiliar de Dragan Jovic está consciente das dificuldades que vai enfrentar diante do conjunto ugandês, em função da qualidade que o adversário apresentou no primeiro jogo, mas deposita confiança na passagem desta eliminatória.

“Nós vamos jogar com Kampala City muito forte, sabe jogar futebol, está um bocado mais adiantado do que nós em termos desportivos.  Dizer que em termos de campeonato o Kampala City já vai na 26ª jornada, e talvez por isso, tem mais ritmo do que nós", disse.

 "É uma equipa que sabe jogar, joga bem no chão, no ar, no futebol directo, conforme nós dissemos, futebol inglês, mas nós 1º de Agosto conhecemos a equipa em função do primeiro jogo que fizemos,  acreditamos que temos a possibilidade de mudar o quadro. Quando digo mudar o quadro é trabalhar para ganhar e passar a eliminatória, não é nada fácil, mas não é impossível”, acrescentou.

O antigo médio militar escondeu os trunfos, quando questionado sobre os pontos fracos do opositor, de modos a evitar despertar aos observadores do conjunto ugandês.

“Há pormenores, que às vezes não se pode falar à comunicação social sobre os aspectos do jogo, porque nós sabemos que esta equipa também tem os seus espiões aqui, e sabem falar português. Se falarmos dos aspectos técnicos e tácticos, sector forte e frágil, talvez se precavessem. Esperamos que os nossos jogadores estejam com boa disposição conforme entraram lá, em Kampala”, defendeu.

Apesar dos pontos fortes que o adversário mostrou na primeira volta, Ivo Traça mostra-se mais focado no desempenho dos seus pupilos.

“Todos os adversários estão ao alcance, um do outro. É preciso montar muito bem a estratégia, estar bem confiante e fazer o nosso jogo.

Temos de nos preocupar mais connosco, é claro que vamos nos preocupar com os aspectos desportivos do adversário, mas vamos pensar mais para o nosso lado, porque nós é que estamos em desvantagem”, declarou.

A desvantagem de uma bola sem resposta está a ser encarada como uma “faca de dois gumes”, pois aumenta a responsabilidade do sector defensivo, que deve fechar bem os caminhos da sua baliza.

“Também é um resultado traiçoeiro, não podemos sofrer golos aqui na nossa casa, se sofrer um, temos de fazer três e sofrer golos não é fácil.
É preciso ficar atento no jogo, e esperamos que as coisas nos corram bem. É um adversário a ter em conta, porque sabe jogar a bola, agora, nós é que temos de ultrapassar tudo isso, somos o 1º de Agosto, somos os campeões nacionais, temos bons jogadores e recebemos reforços”, apontou.


APOIO
Militares apelam à presença dos adeptos


O apoio dos adeptos é fundamental para que a equipa do 1º de Agosto vença em casa a formação do Kampala City Council FC do Uganda, pelo que foram convocados também por Ivo Traça, para comparecerem em massa.

“Gostaria de fazer um pedido especial para os adeptos. Aqueles que estão nas províncias, acho que nos vão acompanhar pela televisão, e pela rádio, mas aqueles que estiverem em Luanda era muito bom aparecerem em massa no Estádio, e com o espírito de fair- play, para puxar pela nossa equipa.
Isso, era muito importante para nós”, apelou.Em relação às ausências, três jogadores falham o desafio por causas naturais e administrativas, conforme explicou o técnico- adjunto agostino.

“Com excepção do guarda-redes, que é o Dominique, e o Guelor, nós vamos contar com todos os outros jogadores. Acho que o novo reforço (o avançado Rambé) que recebemos,  todo o mundo está na expectativa se vai jogar ou não, confirmo que não vai jogar, e também o Macaia não pode fazer parte deste jogo, porque só estará inscrito se nós passarmos estas eliminatórias, até entremos na fase de grupos”, confirmou.

 O antigo médio militar estabeleceu uma diferença entre a equipa do 1º de Agosto do ano passado, e a da presente época, acredita que em cada jogo os atletas ganham mais entrosamento.

“É claro, que este 1º de Agosto já não vai ser o do ano passado, tivemos de mudar muitos processos, os jogadores são outros e temos de nos preparar para isso. Essas mudanças de processos e sistemas tácticos e movimentações não são feitos num único jogo, é feito aos poucos, mas acredito que eles estão em condições, estão a enquadrar-se bem naquilo que o professor quer, e acho com toda a certeza que nós vamos fazer um bom jogo, e passar esta eliminatória”, afirmou.

 Em função da desvantagem da primeira volta, o ataque militar é chamado a mostrar as credenciais, uma situação muito trabalhada durante a semana de preparação.

“No nosso estágio, marcamos nove golos, também sofremos quatro ou cinco,  uma equipa que quer ganhar ou ser campeã não pode sofrer. Mas nós em dois jogos oficiais marcamos um, e sofremos um, quer dizer que o saldo é positivo. Resta-nos neste jogo marcar e não sofrer, isto é, o que temos de meter em prática, porque o golo aparece em qualquer momento, mas temos de estar bem concentrados e relembrar tudo aquilo que a gente trabalha durante a semana”, concluiu.  
 JN                                            

 


OPTIMISMO
Visitantes estão confiantes
em ganhar a eliminatória


O técnico da equipa, Mike Mutebi, disse na sexta-feira, em breves declarações à Angop, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, que a sua equipa veio a Luanda para vencer a eliminatória, apesar do resultado "magro" (1-0) a seu favor, alcançado no primeiro jogo, no Estádio Phillip Omondi, em Kampala.

O treinador explicou que no jogo programado para hoje, às 17 horas,  no Estádio 11 de Novembro, a sua equipa vai  jogar ao ataque, "mas com uma atitude defensiva,  sempre com  a bola no pé e a usá-la de forma inteligente para os golos aparecerem, pois é esse o estilo de jogo do Kampala City FC".

 No encontro da primeira “mão’’ disputado no passado dia 10, no Uganda,  o Kampala City FC venceu o 1º de Agosto por 1-0.

Em Luanda, além da equipa técnica, chegaram os atletas, Benjamin Ochan e Charles Lukwago (guarda-redes), Denis Okot, Habib Kavuma, Paul Musamali e Timothy Awany (defesas), Paul Mucureezi, Isaac Kirabira, Brian Majwega, Tom Masiko, Ivan Ntege, Joseph Ochaya e Muzamir Mutyaba (meio-campistas), Derrick Nsibambi, Geoffrey Serunkuuma e Allan Okello (atacantes).

O vencedor desta eliminatória defronta nos 16/avos de final, o Mamelodi Sundowns da África do Sul (detentor do título).