Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

1 de Agosto ambiciona vitria em Zanzibar

Jorge Neto - 08 de Agosto, 2019

Campeo trabalha com objectivo de ultrapassar o primeiro obstculo rumo a fase de grupos

Fotografia: Foto cedida ao clube

Depois do fracasso na edição passada, o 1º de Agosto ambiciona fazer melhor esta época na fase de acesso à Liga dos Campeões, a começar já no jogo deste sábado, às 13h30, frente ao Kikosi Maalum Cha Kuzuia Magendo FC (KMKM) da Tanzânia, referente à primeira mão da segunda eliminatória de apuramento para a fase de grupos. 
A eliminação precoce na temporada anterior, frente a formação do AS Otôho do Congo Brazaville, onde venceu em Luanda, por 4-2, e perdeu no em casa do adversário, por 2-0, ficando arredado de repetir o brilharete feito em 2017, quando chegou às meias-finais diante do Esperance de Tunis, da Tunísia, deixa a equipa militar em estado de alerta.
Antes da viagem, na última terça-feira, para a cidade de Unguja do arquipélago tanzaniano de Zanzibar, o técnico-adjunto do 1º de Agosto, Ivo Traça, rejeita a ideia da repetição de um cenário negativo nesta deslocação. "Teremos um 1º de Agosto muito diferente", revelou confiante.
"Não queremos que nos aconteça o que aconteceu na época passada, ao sermos afastados logo na primeira eliminatória, depois de termos feito aquele brilharete", disse o adjunto do sérvio Dragan Jovic, acrescentando que "vamos preparar a primeira mão com muito cuidado para não sermos surpreendidos. O nosso objectivo é fazer um bom jogo fora de casa e complementar com uma vitória", destacou. 
Ivo Traça revelou ainda o tipo de preparação que está a ser feita, para defrontar um adversário pouco conhecido, mas que os militares conseguiram algumas referências para o primeiro jogo. "O trabalho será  feito em função do adversário. Vamos assistir primeiro a um vídeo do adversário", frisou e reiterou que, a partir daí, vão ver como atacam e como defendem.
"Veremos como atacam e defendem. Depois vamos começar a trabalhar. Mas a princípio precisamos de trabalhar mais os movimentos tácticos, no aspecto defensivo, onde estamos a falhar um bocado. Estamos a deixar as equipas adversárias com muita posse de bola. Queremos melhorar o aspecto defensivo, para que a equipa tenha mais segurança nos jogos ", disse antigo médio agostino.
Evitar qualquer tipo de surpresa, é um dos objectos traçados pela equipa técnica liderada por Dragan Jovic, que ambiciona conquistar uma vitória fora de portas e garantir a passagem a próxima fase, no jogo que será disputado em Luanda, no estádio 11 de Novembro.
Amanhã, a mesma hora do jogo, os tetracampeões nacionais vão reconhecer o relvado do palco do desafio, com uma sessão ligeira de treino, sem grandes preocupações técnicas e tácticas.
De salientar, que o técnico-adjunto do 1º de Agosto, Ivo Traça, disse segunda-feira, em Luanda, que a conquista da Supertaça é o tónico para a equipa nos outros compromissos que se avizinham, com destaque para as Afrotaças.

 JOGOS FORA DE CASA
Militares lutam contra o histórico


O histórico da equipa do 1º de Agosto, nos jogos da primeira mão da fase preliminar da Liga dos Clubes Campeões Africanos, têm sido negativos, quando se deslocam ao terreno do adversário. O campeão nacional soma duas derrotas, nas últimas três épocas. Os pupilos do sérvio Dragan Jovic pretendem lutar contra o histórico neste desafio, pois ambicionam o primeiro triunfo fora de casa, no desafio da maior prova africana à nível de clubes.
Em 2017, os militares perderam na deslocação ao Uganda, diante do Kampala City por 1-0 e venceram por 2-1, em Luanda, resultado insuficiente para continuar em prova. Os agostinos queixaram-se de si mesmos, pois o adversário esteve perfeitamente ao seu alcance.
No ano de 2018, o 1º de Agosto recebeu a formação do Platinum do Zimbabué, onde venceu por 3-0, em Luanda, e repetiu o triunfo no reduto alheio, por 2-1, conseguindo uma larga vantagem de 5-1, no computo das duas mãos.
Na eliminatória seguinte, os agostinos venceram em casa o Bidvest Wits da África do Sul, 1-0, e perderam na deslocação a casa do adversário pelo mesmo resultado, tendo o vencedor sido encontrado através da marcação das grandes penalidades, com o guarda-redes Tony Cabaça, a substituir Neblu, na baliza, para defender dois castigos máximos, sendo o herói da eliminatória. Nos remates dos onze metros os militares venceram por 3-2.
Em 2018/2019, a eliminação, precoce, diga-se, foi frente a formação do AS Otôho do Congo Brazaville. Venceu na primeira mão, em Luanda, por 4-2, e perdeu no jogo de resposta, por 2-0, ficando assim arredado de repetir o brilharete feito em 2017, quando chegou às meias-finais diante do Esperance de Tunis, da Tunísia. Tudo isso deixa a equipa militar em estado de alerta.