Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

1º de Agosto trabalha estratégia para defrontar Bidvest Wits

Jorge Neto - 05 de Março, 2018

Conjunto militar deixou boa impressão na sua estreia na Liga dos Campeões

Fotografia: Jornal dos Desportos

A equipa do 1º de Agosto recebe nesta quarta-feira, às 16H00, no estádio 11 de Novembro, a formação do Bidvest Wits da África do Sul, referente à segunda e última eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões Africanos, com o objectivo de conquistar um resultado que lhe dá segurança para o jogo de resposta.
Os campeões nacionais estão a apresentar níveis diferentes de resultados e exibição, nas Afrotaças e no Girabola Zap, onde no primeiro ganharam os dois jogos, eliminando a formação do Platinum do Zimbabwe, com um agregado de 5-1, enquanto na competição interna no mesmo número de desafios ainda não ganharam, somam um empate e uma derrota, sem marcar qualquer golo.
Contudo, depois da excelente primeira eliminatória nas Afrotaças o conjunto orientado pelo sérvio Zoran Maki, a jogar em casa, têm a responsabilidade de somar uma vitória, apesar de enfrentar um adversário que certamente vem a Luanda para complicar os objectivos do 1º de Agosto.
Os agostinos poderão contar com as presenças do lateral esquerdo Natael, os extremos Geraldo e Nelson Luz, impedidos de jogar no Girabola Zap, por castigo imposto pela Federação Angolana de Futebol (FAF), mas que estão disponíveis para alinhar nas Afrotaças.
Com estes jogadores influentes a equipa técnica rubro e negra terá mais opções para montar uma estratégia que lhes possibilite ultrapassar o adversário sul-africano. É expectável que seja repetido o onze que defrontou a formação do Zimbabwe na primeira ou na segunda mão.
No que toca aos adeptos, fica a expectativa de qual será a “cara” que os campeões nacionais vão apresentar hoje, depois dos dois resultados negativos no Girabola Zap. As Afrotaças podem funcionar como um tónico para os pupilos de Zoran Maki, que querem fazer esquecer as duas exibições na competição interna.
A ambição dos rubro e negros nesta prova continental é de chegar o mais longe possível na fase de grupos, daí a responsabilidade acrescida nesta eliminatória, pois ela é decisiva para a qualificação. Caso sejam eliminados nesta ronda, os militares disputam ainda um “mata-mata”, para entrar na fase de grupos da Taça da Confederação.

GOLOS NO GIRABOLA
Ataqueem estado de alerta


A falta de golos que os campeões nacionais apresentam no Girabola Zap é um motivo de preocupação para a equipa técnica liderada por Zoran Maki, que em dois jogos ficou em branco.
Para o jogo desta quarta-feira nas Afrotaças a finalização deverá estar bem afinada para não ser contagiada pela fraca produtividade do Girabola Zap. Aliás, nesta prova já marcaram cinco golos, sofreram apenas um, sendo o avançado Jacques o artilheiro dos rubro e negros, com três tentos no total, comprovando o estatuto de goleador que provocou a sua contratação à formação do Kabuscorp do Palanca.
Os outros marcadores foram Mongo e Ibokun, acompanhando as peugadas do congolês democrático. Este adversário é mais difícil do que o anterior, daí que se pede aos avançados que aproveitem ao máximo as oportunidades que forem criadas.
O regresso de Geraldo pode trazer mais mobilidade ofensiva, por ser um jogador que desequilibra no último terço do campo, com a sua técnica no jogo individual e colectivo, além de também finalizar as jogadas.
Contudo, os avançados Razak e Fofó, além dos médios ofensivos serão chamados a ter um papel bastante interventivo no que toca à finalização, pois este aspecto não será da responsabilidade exclusiva de Jacques.