Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

desta ou nunca...

Ant?nio F?lix - 15 de Abril, 2017

No reduto adversrio Libolo marcou primeiro por intermdio de Boukama Kaya

Fotografia: Edies Novembro

O técnico da equipa calulense, Vaz Pinto, à saída do jogo de empate (1-1) da primeira mão, em Antananarivo, disse que \" ficámos a conhecer melhor o nosso adversário\",  e nesta semana de preparação \"temos de estar prevenidos,  porque O CNAPS também almeja sair de Calulo com a qualificação na bagagem\".

Em casa do adversário, o Libolo marcou primeiro,  na segunda parte (67ª minutos) por intermédio de  Boukama Kaya.  O técnico  Tipeh da formação malgaxe que alinhou três atacantes e às vezes  jogar no sistema de 4-4-2, teve de fazer a equipa correr atrás do prejuízo para estabelecer a igualdade nos últimos 15 minutos (90´) através de Njiva.

Vaz Pinto e pupilos sabem que os dirigentes , treinadores,  jogadores da equipa campeã do Madagáscar  saíram do Estádio Vontovoriva, em Antananarivo, convictos de que em Calulo serámais difícil, mas preparados para surpreender.

Significa que o  CNAP Sport do Madagáscar não conseguiu em casa um resultado que dêsse tranquilidade  ao desafio de hoje, da segunda mão, de acesso à fase de grupos da Taça da Confederação, e que tudo ia fazer para superar o Libolo na passagem à fase de grupos.

Por esta razão, diante desta equipa visitante, que na eliminatória anterior superou a formação camaronesa do Coton Sport de Garoua , o Libolo não deve permitir que desça ao relvado disposta a contrariar o \"favoritismo do anfitrião\", ainda que o adversário conte com os seus bons jogadores, como os avançados Feno e Njiva que esteve este ano a realizar testes no Montpellier  de França. Para já, um facto evidente e que pode ser aproveitado  pela equipa angolana é que a equipa magaxe tinha um desconhecimento completo do actual plantel do Libolo até antes do jogo da primeira mão (1-1), como  o facto do treinador principal da equipa de  Calulo ser o português Vaz Pinto. Consideravam que fosse ainda Sébastien Desabre, com títulos logrados ao serviço do ASEC Mimosas de Abidjan e do Coton Sport de Garoua.