Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

" possvel voltarmos ao mundial"

Paulo Caculo - 19 de Abril, 2018

O técnico de futebol, Oliveira Gonçalves, foi o prelector do tema "experiências de futebolistas", na sessão de trabalho de terça-feira do curso de treinadores de futebol de formação, promovido pela Associação Provincial de Luanda (APFL). 

Na ocasião, o antigo seleccionador dos Palancas Negras destacou a importância do conhecimento científico, na carreira de qualquer profissional de treino desportivo.

O actual vice-presidente do Santos Futebol Clube, fez questão de assegurar que tem quase a certeza de que este curso realizado pela Associação, pode ser fundamental para os grandes objectivos na melhoria da qualidade do trabalho nos escalões de formação. 

"Os jovens mostram que têm vontade de trabalhar, mostram que estão com fome de formação e de terem conhecimentos para desenvolverem o seu trabalho. Ser treinador, é preciso ter conhecimentos científicos, porque vão trabalhar com homens e trabalhar com homens vão precisar de paciência", disse o antigo “pastor” dos Palancas.

"Gostei do contacto que mantive com eles, porque colocaram questões muito pertinentes, e acredito que com estas e outras formações, estou em crer que vão contribuir para que o futebol se desenvolva e atinjamos níveis que já atingimos no passado", acrescentou.

Oliveira Gonçalves considerou, por outro lado, ser necessário um maior envolvimento da Federação nos projectos que visam a melhoria da qualidade do futebol nacional. Sublinhou, ser fundamental, a participação de quem dirige o futebol na disponibilização de condições de trabalho para os jovens, para que o futebol angolano volte a atingir os patamares alcançados no passado. 

"Nunca devemos descurar estas iniciativas, porque o futebol jovem consiste na formação, e a formação tem de ter o apoio do Estado. É como se estivessem a fazer um curso normal, a frequentar o primeiro ciclo. Em qualquer parte do mundo, o Estado contribui financeira e materialmente para o desenvolvimento do desporto jovem. Angola se não fizer isso, pode ter dificuldades", assegurou o dirigente do Santos FC.

 Questionado sobre a preocupação dos jovens treinadores dos escalões de formação, acerca  da ausência dos seleccionadores da FAF nos jogos das equipas de base nos campeonatos provinciais, Oliveira Gonçalves deplorou a atitude, recordou que foi graças à observação de jogos dos jovens, que descobriu atletas como Mantorras e Zé Kalanga, campeões africanos de sub-20.

"O seleccionador que não vai aos jogos dos jovens, tem dificuldades de seleccionar as melhores unidades, embora, temos dito várias vezes, que o futebol jovem não é o melhor da actualidade. É o que tem uma margem de progressão, porque é a fase de preparação de atletas para o futuro. Mas, ainda assim, o seleccionador tem de assistir os jogos e ver os treinos das equipas", assegurou o ex-seleccionador.

Oliveira Gonçalves recordou ainda, que muitos dos jogadores por si convocados para a selecção, foram indicados por outros treinadores de equipas, como foram os casos de Lourenço Cuxixima "Loló", descoberto por Mário Calado e de Mendonça, indicado pelo malogrado técnico António Barbosa.

"Na altura, mobilizávamos todas as pessoas e não podíamos  pensar que fomos campeões africanos e que qualificamos a selecção para o Mundial, só porque estava o Oliveira Gonçalves. Não. Foi um trabalho de todos. As pessoas motivavam os jogadores, davam o carinho necssário. A imprensa também deu o seu contributo, porque muitas vezes era através da comunicação social que descobríamos os jogadores, que sabíamos como os nossos adversários jogavam. É preciso todos estarmos unidos, para atingirmos os níveis do passado".