Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

A presso est do lado do nosso adversrio

Paulo Caculo - 15 de Setembro, 2018

Tcnico dos militares atira toda a presso para o lado do adversrio

Fotografia: Santos Pedro | Edies Novembro

O treinador do 1º de Agosto, Zoran Maki, atribui todo o favoritismo ao TP Mazembe do Congo Democrático e considera que toda a pressão está do lado do seu adversário, sobretudo pelo facto de ser muito mais experiente em provas da liga dos campeões africanos e cinco vezes campeão de África.
“Não existem jogos fáceis nesta fase da Liga de África. Todos os jogos são difíceis. Vamos jogar contra uma boa equipa, mas a pressão está do lado do TP Mazembe, que tem cinco troféus e é uma equipa que, no ranking da África, está no primeiro lugar. O 1º de Agosto não tem nada a perder e pode ganhar muito, se vencer esta eliminatória. Esta é a nossa principal motivação e dos adeptos”, disse o técnico militar. 
Zoran Maki minimizou, por outro lado, as prováveis ausências de Paizo e Geraldo, por questões físicas, pois garante que a equipa está preparada em função das ausências destes dois jogadores, para fazer um grande jogo.
“Não concordo que equipa que ganha não se mexe. Muitas vezes, a equipa que ganha deve ser mexida, porque depende muito das circunstâncias e questões técnicas e dos jogadores que podem dar maiores garantias. Não espero contar já com o Ary Papel, porque temos uma equipa que começou esta eliminatória e cujos jogadores têm todo o mérito”, acrescentou. 
O técnico dos militares está ciente de que enfrentará um jogo extremamente difícil, diante de um adversário que dispensa apresentações, sobretudo por aquilo que conquistou a nível de África.
“Sabemos que vamos ter muitas dificuldades, mas vamos jogar em nossa casa e temos os nossos objectivos, que são a conquista da vitória. Iremos entrar em campo para conquistar uma vitória. Vai ser difícil, mas nada é impossível. Temos de estar concentrados com humildade, para que a gente consiga ultrapassar o adversário”.
Já o central e capitão do 1º de Agosto, Danny Massunguna, fez questão de admitir, igualmente, que vão enfrentar muitas dificuldades, mas lembrou que o clube militar não chegou até aos quartos-de-final por mero acaso.
“O TP Mazembe é um colosso, mas terá de provar isso dentro das quatro linhas, porque o 1º de Agosto é uma equipa também experiente e que merece respeito, sobretudo a julgar por aquilo que fizemos até agora. Não podemos temer. Vamos encarar o TP como qualquer adversário. Com todo o respeito que ele merece, mas vamos dar todo o nosso máximo. Não podemos sofrer golos, porque se sofrermos golos será muito mais difícil. Temos de vencer o jogo sem sofrer qualquer golo”, disse o principal “patrão” da defesa agostina.
Refira-se que é o primeiro encontro entre o 1º de Agosto e o TP, sem histórico em virtude de nunca se terem cruzado. Os angolanos veem de uma campanha brilhante, em que perdeu apenas o último dos últimos 15 jogos, enquanto o s congoleses não perdiam após uma série de onze desafios que disputou.