Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Acadmica troca Buraco pelo Estdio de Ombaka

Jlio Gaiano , no Lobito - 05 de Fevereiro, 2018

Mudana visa salvaguardar integridade fsica e moral das pessoas no Estdio

Fotografia: Vigas da Purificao | Edies Novembro

A direcção da Académica Petróleos Clube do Lobito admite a possibilidade de deixar de realizar os jogos do GirabolaZap2018, na condição de anfitriã, no Estádio do Buraco e optar pelo de O’mbaka, enquanto prevalecer a antipatia entre a equipa técnica e os adeptos, informou à imprensa, o presidente do grémio, Luís Gonçalo Borges, depois da derrota no jogo com o 1º de Maio de Benguela, por 1 - 5.
De acordo com o presidente da Académica do Lobito, a decisão pode não agradar a muita gente, porém, vai ter de ser tomada como forma de salvaguardar a integridade física e moral das pessoas. Na sua óptica, a equipa não goza de afecto e carinho dos seus apoiantes, pelo que há que buscar num outro lugar para realizarmos os jogos.
\"Se o quadro não se inverter, a Académica do Lobito passa a realizar os seus jogos no Estádio de O’mbaka. Hoje, foi mais uma prova perante o comportamento negativo protagonizado pelos adeptos. Não há ambiente suficiente para trabalhar aqui (no Buraco)\", asseverou o presidente da colectividade lobitanga, e  de seguida questionou: \"Se numa partida em que em causa não está o resultado, mas a mobilidade e o posicionamento dos jogadores em campo, registámos este tipo de comportamento, o que pode acontecer num jogo oficial ? \".
Luís Borges acrescentou que a direcção estuda de forma séria a situação, e nos próximos dias vai decidir  sobre a probabilidade de realizar todos os jogos, na condição de anfitriã, no campo de O’mbaka, onde na sua óptica não há riscos de vida para ninguém. Lamentou o facto dos apelos lançados pelos dirigentes e sócios a sensibilizarem os adeptos e simpatizantes a pautarem-se pelo civismo e comportamento sadio no Estádio, terem redundado em fiasco.
\"Estamos cansados de apelar aos adeptos, para a necessidade de se cultivar o espírito de fair-play e empatia para com a equipa, com a direcção e para com os nossos adeptos. Infelizmente, como resposta recebemos insultos e ameaças. Há um risco enorme de continuar a trabalhar neste ambiente \", realçou o homem-forte da Académica Petróleos Clube do Lobito para quem \"só unidos para o mesmo objectivo, se pode atingir os objectivos almejados pela direcção e massa apoiante\".
Na época passada, a Académica Petróleos do Lobito terminou na 13ª posição com 30 pontos e livrou-se da despromoção, fruto da vitória na última jornada frente ao Atlético Sport Aviação, por 4-1. Um triunfo que na visão dos observadores, resultou de uma facilidade brindada pelo adversário que se apresentou em campo para jogar de barriga vazia.
Como forma de  precaver-se das intempéries, a direcção decidiu para a presente temporada indicar o professor Rui Manuel Sampaio Garcia, antigo preparador e recuperador físico da equipa, na era de Ekrem Asma, Vaz Pinto, António Lopes “Chiby” e mais tarde, de António Alegre, para assumir as rédeas da equipa na prova que se afigura renhida, em termos competitivos. Uma escolha que caiu mal no seio dos apoiantes do clube, que resultou daí a confusão.