Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Ajuste de contas na final com muletas

03 de Dezembro, 2017

Finalistas entram hoje em campo com o objectivo de erguerem o trofu desta poca

Fotografia: Domingos Cadncia| Edies Novembro

Benguela e Huambo, campeão e vice-campeão nacional, disputam esta manhã no Estádio da Cidadela à final do quadrangular de futebol com muletas, organizado pelo Fundo Lwini, para assinalar o Dia Mundial do Deficiente, que hoje se assinala. As duas melhores selecções da actualidade têm contas recentes a ajustar, pois no campeonato nacional, que terminou o mês passado em Benguela, a equipa da casa tratou de dar o exemplo competitivo como bom anfitrião e destronou o adversário.
Os detentores do título entram para a final de sobreaviso, além de tentar evitar a desforra, por isso, estão desejosos de provar que em situação normal podem vencer duas competições consecutivas num curto espaço de tempo, diante do mesmo adversário.Além de impedir que a vingança aconteça, Benguela vai precisar de motivação extra para evitar passar pelo mesmo sofrimento de ontem, em que teve de recorrer ao expediente da lotaria dos penálties para derrotar Malanje, por 4-3, depois da igualdade a duas bolas durante o tempo regulamentar.
A vitória na final é uma questão de honra para a formação do Huambo e, essa garantia foi dada pelo técnico Hélder Gomes que, apesar de elogiar o potencial do adversário deixou bem vincado que não quer voltar a sair cabisbaixo, por falhar mais uma conquista diante de Benguela.
O treinador do Huambo anseia resolver tudo durante os 50 minutos, divididos em duas partes, para corrigir o revés sofrido durante o nacional, não obstante demonstrar algum receio por causa das altas temperaturas que se verifica a hora do jogo. Com ou sem calor, ambiciona que dessa vez a sua equipa consiga ser a melhor em tudo na final.
Antes do acerto de contas, as selecções de Malanje e Luanda vão lutar pelo último lugar do pódio. É ponto assente, antes mesmo do apito soar, que uma das equipas vai ficar fora dos três lugares cimeiros, um factor de motivação capaz de fazer com que cada contendor não se poupe na procura dos golos da consagração.
As duas equipas têm as mesmas chances de corrigir a má prestação de ontem, mas o aspecto mental vai ser determinante para a sorte final das duas equipas no quadrangular, pois, a maneira como perderam o acesso a final deixou transparecer que lhes falta sangue-frio nos momentos decisivos. Os malanjinos conseguiram empatar a duas bolas com Benguela, campeão nacional, mas faltou-lhes pontaria na marca das grandes penalidades e acabaram por ser arredados da grande final pela diferença mínima, 4-3.
Com Luanda aconteceu o contrário, perdeu com o Huambo, por 1-0, a equipa da capital queria abandonar o campo em sinal de protesto pelo golo sofrido quase nos instantes finais. Foi necessário conversar para os homens aceitarem regressar ao jogo depois de minutos de paragem. A organização exortou o árbitro a usar de bom senso para compensar o tempo perdido.
O futebol com muletas tem tradição em Angola, a selecção nacional foi vice-campeã mundial em 2014 no México, enquanto o atleta Elias, ainda no activo pelo Huambo já chegou a ser eleito o melhor da modalidade em todo o universo. Pelo que apurou o Jornal dos Desportos, foi na província do Moxico em que se começaram a dar os primeiros passos, depois outras províncias seguiram o bom exemplo vindo do leste do país.

INFRA-ESTRUTURAS
Cunene ganha novos campos


Três campos de futebol, com bancadas para 15 a 20 espectadores e dois pavilhões multiusos serão construídos a partir de 2018, na província do Cunene, para maior massificação desportiva, informou, em Ondjiva, o director da Juventude e Desportos na região, Atanásio Ndiliandike
Ao falar à Angop sobre o programa de massificação desportiva na província, o responsável sublinhou que esses campos serão construídos nos municípios do Cuanhama, Cahama e Namacunde. Cada infra-estrutura irá dispor de relva sintética, bancadas e pistas de atletismo, referiu.
Sem avançar orçamentos, Atanásio Ndiliandike frisou que a execução das obras estará a cargo do governo local no âmbito do Programa de Investimento Público no período de 2018-2022.
A província do Cunene conta actualmente com cinco campos polidesportivo na cidade de Ondjiva, três campos polidesportivo cada nas sedes municipais de Namacunde, Ombadja e Cahama, cinco campos pelados e um campo de futebol de relva sintética.
Por outro lado, cinquenta e três candidatos a árbitro de futebol beneficiam de uma acção de capacitação, tendente a elevar os níveis técnico. Durante três dias, os formandos abordaram, em aulas práticas e teóricas, matérias ligadas às leis de jogo, perfil do juiz e preparação físico-técnica.
O director local dos Desporto, António José, disse, na abertura, ser objectivo potenciar os participantes de modo a melhorar o desempenho da arbitragem na região. A formação foi uma organização da associação local, em coordenação com a federação angolana da  modalidade.