Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Angola defronta esta tarde o Zimbabwe

Betumeleano Ferro - 24 de Março, 2018

Seleco Nacional defronta esta tarde em Ndola a sua congnere do Zimbabwe para definio do terceiro classificado

Fotografia: Jos Soares| Edies Novembro

O doce passado dos jogos e das decisões contra o Zimbabwe também vão ser importantes para a equipa nacional subir ao pódio no Torneio das Quatro Nações.
Os angolanos se adiantaram mas não chegaram à final, pelo que esta tarde, às 14h00, no estádio Levy Mwanawasa, em Ndola, Zâmbia, têm de fazer pela vida para corrigir o poder de eficácia a fim de subir ao único lugar vago do pódio, pois os outros dois já têm dono (África do Sul e Zâmbia), só falta definir a ordem.
A selecção está a construir o futuro no presente, o esqueleto é antigo, é verdade, mas quem o enche de carnes é diferente, motivo por que se espera que contra o Zimbabwe a equipa passe das promessas, mais do que deixar bons indicadores, tem mesmo de provar que pode controlar todos os momentos do jogo sem cometer distracções fatais, que podem resultar em alegria por parte do adversário.
O quadrangular é a melhor amostra da ordem futebolística na África Austral, sendo este mais um motivo por que Angola e Zimbabwe têm a ambição de terminar em terceiro lugar, pois, mais do que a posição, há a vontade de provar a legitimidade de figurar entre as melhores selecções da região.
A qualidade do espectáculo pode ser afectada, pela positiva ou negativa, pela prova de qualidade que os contendores vão dar, mas é isso mesmo o que se espera de um jogo entre dois velhos rivais.
Quer os Palancas Negras, quer os Braves Warriors, perderam muito do fulgor que evidenciaram num passado recente, a glória africana se desvaneceu quando menos se esperava, mas o terceiro lugar do torneio pode dar o esplendor para olhar ao futuro com confiança. Se a feijões ninguém gosta de perder, fica claro que uma vitória esta tarde vai ser reanimadora para quem nos últimos tempos tem tido poucos motivos competitivos de erguer a cabeça.
 As recentes boas novas da CAF aumentaram as chances de Angola e Zimbabwe voltarem a disputar o africano, mas antes de lá chegar as duas selecções têm de aproveitar hipóteses como essas proporcionadas pelo quadrangular para medir o seu crescimento. Em dois jogos é impossível tirar todas as ilações, mas dá sempre para concluir alguma coisa, quem subir ao pódio vai ficar muito mais próximo daquilo que definiu como objectivo para renascer, quem perder vai ter de trabalhar em dose extra para evitar novos desaires.
O técnico Srdjan Vasiljevic é capaz de não desfrutar assim tão cedo de uma oportunidade de ouro como a do Torneio das Quatro Nações, além de ver e poder competir com as potências da região, o sérvio também tem a chance de ter à disposição toda a nata do nosso futebol, alguns dos quais há muito não suavam a camisola nacional.
O pódio é para dar alento para as coisas sérias que vão vir no futuro, mas é ponto assente que Srdjan Vasiljevic quer começar a aquecer o lugar com o primeiro grande feito do seu consulado de pouco meses.


BAIXA  na  defesa
“Guerreiros”
estão limitados


Os “Guerreiros” do Zimbabwe defrontam hoje os Palancas Negras sem contar com um jogador fundamental no seu sector defensivo. Trata-se de Costa Nhamoinesu, do Spartaco de Braga, atleta que a equipa técnica ainda aguardava ainda até ontem para se juntar aos seus companheiros.
O jogador , que actua contraiu uma ligeira lesão no jogo (3-3) da sua equipa diante do Slavia de Praga, para o campeonato da República Checa, mas, tinha ainda viagem marcada para a  Zâmbia, ao encontro dos Guerreiros no torneio das Quatro Nações, pois, a sua recuperação é possível.
Desafortunadamente,  o jogador perdeu o voo que o levaria da República Checa para a Ndola (Zâmbia ), com trânsito primeiro na África do Sul. Nhamoinesu já não joga pelos Guerreiros desde o último CAN de 2017, realizado no Gabão, restando-lhe agora a integração nas eliminatórias para o  CAN de 2019, em que o Zimbabwe defronta a Libéria.
O técnico da selecção zimbabweana, Sunday Chidzambga, para o jogo com os Palancas Negras, deverá, assim, para colmatar opção que tinha em Nhamoinesu, apostando no jovem Hadebe, do Kaizer Chief da África do Sul.
De um modo geral, o treinador ainda conta com uma equipa com jogadores de referência, sobretudo os que actuam em países europeus, para a contenda com os Palancas Negras, como são os casos de Tino Kadewere, Silas Songani, Cliff Moyo, Adam Chicksen e Aleck Mudimu.A julgar pelos treinos da equipa, o Zimbabwe pode hoje entrar em campo com um \"onze\" formado por Takabva Mawaya (guarda-redes) , Praise Tonha, Jimmy Dzingai e Hadebe  (defesas), Devine Lunga, Adam Chicksen e Cliff Moyo (médios)  e Evans Rusike,  Silas Songani (avançados), Evans Rusike e  Abbas Amidu.


SELECCIONADOR NACIONAL
“Vamos fazer algumas alterações”


O seleccionador nacional de futebol em honras, Srdjan Vasiljevic, prometeu fazer alterações ao \"onze\" que hoje, às 14h00 (13h00 em Ndola), defronta o Zimbabwe, em jogo referente à definição do terceiro classificado do Torneio das Quatro Nações, que decorre na Zâmbia.
Ainda assim, o responsável técnico da Selecção Nacional, que antevê um jogo difícil, disse que não vai mexer muito na estrutura da equipa. 
\"Vamos fazer algumas alterações, mas também não podemos mudar muito a equipa, para não se perder a mentalidade.
Os jogadores que não estiveram no jogo com a África do Sul vão ter a oportunidade neste jogo\", adiantou-se a afirmar o seleccionador nacional.
\"Aguardamos uma partida difícil contra o Zimbabwe. É um adversário que fez um bom jogo contra a Zâmbia e teve até quase o fim do jogo um resultado positivo. Tem a maioria dos jogadores a jogar na África do Sul e significa que tem um campeonato bem forte e fisicamente forte, com atletas rápidos especialmente nas posições atacantes.
Mas queremos impor o nosso estilo de jogo, com alta pressão e conseguir alcançar um bom resultado, de certeza que vai ser crucial a motivação dos nossos jogadores\", acrescentou Srdjan Vasiljevic.
O técnico dos Palancas Negras lamentou a condição física do avançado Fofó, que se apresentou queixoso na sessão de treinos realizada ontem. O seleccionador esclareceu que o atacante do 1º de Agosto chegou ao torneio com uma mazela na perna direita e aos poucos  evoluiu para uma situação mais séria.
\"Todos os outros jogadores estão à disposição e estão muito bem e muito bem dispostos a cumprirem com todas as exigências. Existe um certo optimismo nos jogadores do nosso plantel, porque se trata de um jogo importante com o Zimbabwe\", disse o seleccionador.               
PAULO CACULO