Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Angola perde e complica as contas

19 de Maio, 2017

Angola chegou a dar esperanças numa segunda parte menos sofrível dado que foi evidente a divisão da posse de bola e das ocasiões de golo

Fotografia: Jornal dos Desportos

Num jogo em que os pupilos de Simão Coxe sempre estiveram em desvantagem, realce para o facto do jovem combinado nacional ter acusado alguma pressão na partida, sobretudo na etapa complementar, depois de ter sofrido o segundo golo.

Apesar de ter entrado no jogo a perder, ainda aos seis minutos, fruto do golo de Naftal, numa jogada de clara displicência defensiva, os palanquinhas foram capazes de correr atrás do prejuízo, atitude que valeu ao conjunto o golo da igualdade, aos 18  minutos, por intermédio de Tombe.

Depois do empate, o futebol de Angola chegou a dar esperanças numa segunda parte menos sofrível, dado que foi evidente a divisão da posse de bola e das ocasiões de golo. Mas os palanquinhas até poderiam deixar os primeiros 45 minutos a vencerem, não fosse os desperdícios do ataque.

Ao contrário do que se esperava, na segunda parte os pupilos de Simão Coxe continuaram a revelar dificuldades em produzir jogadas com principio, meio e fim, capaz de provocar calafrios a defesa contraria.

Aos erros de marcação, os palanquinhas acrescentavam inoperância atacante. O meio-campo revelava-se incapaz de descobrir vias de acesso a área adversária e muito menos formas de municiar o ataque. Enquanto isso, os tanzanianos aproveitavam para sujeitar a nossa defesa a intensos períodos de sufoco.

E como quem não marca acaba sempre por sofrer, Angola viria a ver a sua baliza ser novamente violada, aos 70 minutos, num golo que acabou por sentenciar a partida. A equipa nacional bem que tentou nos últimos minutos, mas acusou alguma falta de experiência para dar a volta ao texto.