Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Angola termina mundial em 14 lugar

Pedro Augusto, em Braslia - 18 de Novembro, 2019

Angolanos superaram pases com referncia em prova de juvenis

Fotografia: DR

A Selecção Nacional Sub-17 de futebol terminou na 14 posição, no 18º Campeonato do Mundo da categoria que o Brasil acolheu até ontem à noite (terminou na madrugada de hoje em Angola), com a participação de 24 representações filiadas na FIFA.
Com seis pontos na tabela de classificação geral, resultante de duas vitórias e igual número de derrotas, em quatro jogos disputados, os angolanos terminaram o campeonato como a terceira melhor selecção africana das quatro que disputaram a competição.
Das selecções que representaram a África, na prova mundial, os angolanos superaram apenas os Camarões, penúltimo da classificação geral, sem pontuar, ficaram atrás do Senegal (11º e melhor africano) e da Nigéria (12ª colocado).
Angola, Senegal e Nigéria, bem como a selecção do Equador, que representou a Confederação Sul-americana de Futebol (CONMEBOL), terminaram o mundial com seis pontos, porém, os Palanquinhas perderam a favor das respectivas selecções no "goal average".
A selecção angolana foi orientada no mundial do Brasil pelo actual seleccionador de honras, Pedro Gonçalves, marcou quatro golos e sofreu cinco tentos, teve um saldo negativo de um golo. Os tentos foram marcados nas vitórias sobre à Nova Zelândia (jogo de estreia) e o Canadá, ambos por 2-1, desafios jogados no Estádio Bezerrão, em Gama DF, em Brasília, a contar para a fase de grupos.
Os restantes jogos da Selecção Nacional foram disputados no Estádio Pedro Ludovico Teixeira, conhecido, igualmente, por Olímpico de Goiás, em Goiânia. Os angolanos perderam para o Brasil, por 2-0, na terceira e última jornada do grupo A, e com à Coreia do Sul, por 1-0, nos oitavos -de -final.
O avançado Zine Salvador, atleta da equipa de juniores do 1º de Agosto, ao rubricar dois golos, foi o melhor marcador da Selecção Nacional, no ano de estreia dos Palanquinhas em Campeonato do Mundo de Sub-17 de futebol. David, do Interclube, apontou o terceiro tento dos angolanos, o outro foi um auto-golo de um defensor neo-zelandês.
A estreante selecção de Angola disputou a primeira fase do campeonato no Grupo A, juntamente com o Brasil (anfitrião), Nova Zelândia (hepta campeão da Oceânia) e o Canadá, que contou a sua nona presença no torneio.

CHILE E CAMARÕES NA LISTA
Palanquinhas superaram países cotados


A participação e prestação da Selecção Nacional no Campeonato do Mundo Sub-17, competição que encerrou as cortinas na noite de ontem, em Gama DF, em Brasília, madrugada de hoje, em Angola, superou às expectativas.
Os Palanquinhas, para além de terem vencido dois jogos, dos quatro que disputaram, garantiram presença nos oitavos -de -final, terminaram na 14 posição na tabela geral de classificação, com seis pontos e superaram selecções mais cotadas no mundo e em termos de participações no certame.
Angola teve um desempenho competitivo melhor do que muitos países com tradição na prova mundial de Sub-17, casos da Nova Zelândia (hepta campeã da Oceânia/17º classificado), Canadá (22º), Camarões (campeão africano em título/ 23º e penúltimo), Chile (16º), Austrália (15º), Hungria (19º) e Estados Unidos da América (20º).
Tajiquistão (18º), Haiti (21º) e Ilhas Salomão (24º e último) são as restantes selecções que ficaram atrás de Angola, no mundial do Brasil.
As selecções do Brasil (anfitriã), México, França, Holanda, Paraguai, Espanha, Itália, Coreia do Sul, Argentina, Japão, Senegal, Nigéria e Equador são as que superaram o combinado angolano, na classificação geral,  na sua estreia no Campeonato do Mundo Sub-17 de  futebol.

MELHOR PRESENÇA AFRICANA
Senegal entre 12 melhores selecções


A selecção Sub-17 de futebol do Senegal, uma das três estreantes (Angola e Ilhas Salomão são as outras) na prova mundial que o Brasil acolheu até ontem (o jogo da final terminou na madrugada de hoje em Angola), foi a melhor representante africana no evento, terminou o torneio na 11ª posição com  seis pontos.
Apesar de terminar o campeonato com os mesmos números de pontos que as congéneres da Nigéria e de Angola, bem como da sul-americana Equador, os senegaleses tiveram um melhor desempenho em termos de golos marcados e sofridos.
Os comandados de Malick Daf marcaram oito golos (média de dois por jogo) e sofreram cinco (1.25 por partida), saldo positivo de  três, nos quatros desafios que disputaram na estreia em um Campeonato do Mundo da categoria de Sub-17.
Os senegaleses terminaram a fase regular na segunda posição, atrás da selecção do Japão (7 pontos),  e à frente da Holanda (3) e Estados Unidos da América (1) no terceiro e quarto lugares do Grupo D, venceram dois e perderam igual número de jogos.
As vitórias do Senegal foram diante das selecções dos Estados Unidos da América (4-1) e da Holanda (3-1). As derrotas aconteceram com o Japão (1-0) e Espanha (2-1) na terceira jornada da fase grupos e nos oitavos -de -final, respectivamente.
A selecção dos Camarões, campeã africana em título, teve o pior desempenho entre os africanos. Os Leões Indomáveis perderam os três jogos na fase de grupos, com o Tajiquistão (1-0), Argentina (3-1) e Espanha (2-0). Marcaram dois golos, sofreram seis e não pontuaram, por isso, não transitaram para os oitavos -de -final.