Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Angolanos tentam anular vantagem dos congoleses

Geraldo Quiala|Angop - 14 de Novembro, 2009

Angola e Congo Brazzaville voltam a defrontar-se

Fotografia: Jornal dos Desportos

Quatro anos depois do último desafio entre ambos, disputados em Brazzaville, as selecções principais de futebol de Angola e Congo Brazzaville voltam a defrontar-se hoje, sábado, pela 11ª vez, num jogo que marca a estreia de Manuel José no Estádio da Cidadela como seleccionador nacional.
Em 10 partidas, entre as quais cinco amistosas, os Palancas Negras perderam quatro, venceram e empataram três, tendo marcado 11 golos e sofrido 12. No último particular, realizado no Estádio da Revolução, a 23 de Fevereiro de 2005, em Brazzaville, Flávio Amado e Zé Kalanga foram os autores dos golos dos Palancas Negras na vitória (2-0) sobre os Diabos Vermelhos.
O histórico de encontros entre ambas selecções remonta de 8 de Fevereiro de 1976, um ano depois da proclamação da Independência Nacional, num amistoso disputado no Estádio da Revolução, na capital congolesa. No baptismo internacional dos Palancas, sob orientação de Lutero da Mota, os angolanos perderam por 2-3, com golos de Geovetty e Nelito.
Apesar do resultado negativo, a estreia foi aplaudida e Geovetty tornou-se no primeiro jogador a marcar golo da Selecção Nacional em jogos de carácter internacional. Alinharam no baptismo dos Palancas Negras Manecas, Luizinho, Catarino, Nelson, Mascarenhas, Ginguma, Geovetty, Chimalanga, Arlindo Leitão, Alves e Luvambo. Arnaldo Chaves, Chiby, Ângelo e Santo António foram suplentes utilizados.
No segundo embate, já em Luanda (1979), para a zona V do Conselho dos Desportos em África, Angola perdeu, nos Coqueiros (0-1), a 27 de Novembro, numa época em que os congoleses eram referência no continente e vinham de vitória (3-1) sobre os Camarões. Fidissa foi o "carrasco" do conjunto de Chico Ventura. Alves, Chinguito e Ndunguidi não conseguiram evitar a eliminação de Angola.
Em 1980, para as eliminatórias da Taça das Nações, Ndunguidi adiantou os Palancas no marcador, porém, a experiência adversária tirou a primeira vitória dos angolanos sobre os Diabos Vermelhos (1-1).
O Estádio dos Coqueiros foi palco do empate, a 16 de Novembro, com o "onze" treinado pela dupla jugoslava Skoric/Vidik. Na segunda mão, a 30 de Novembro de 1980, as duas equipas acabaram em nulo e Angola ficou pelo caminho no Estádio da Revolução.
Um ano mais tarde, nos II Jogos da África Central, os pupilos de Skoric/Vidic foram batidos, no Estádio das Cacilhas, no Huambo (1-3), sendo o golo angolano apontado por Jesus, a 26 de Agosto.

PRIMEIRA VITÓRIA

O triunfo dos Palancas tardava chegar e perderam (0-1) a 30 de Março de 1983, no amistoso em Brazzaville. Em 1984,  Jesus, nos Coqueiros, deu a primeira vitória a Angola (1-0), a 11 de Novembro, com orientação técnica do jugoslavo Petar Knerzevic.
Nos III Jogos da África Central, Brazzaville, em 1987, Quim Sebas e Jesus (duas vezes) conduziram o empate a três golos. A equipa de Domingos Inguila até chegou a estar em vantagem (2-1), mas o Congo voltou a empatar. O triunfo de 2-0 obtido em 2005 marcou a viragem dos acontecimentos entre as duas selecções.
Desde 2005, os Palancas Negras ganharam outro protagonismo no continente. Lamá, Yamba Asha, Love, Zé Kalanga e Flávio são os "sobreviventes" do plantel que há quatro anos bateu os Diabos Vermelhos, no Estádio da Revolução, com Oliveira Gonçalves à frente do conjunto.

Treinador do Congo
promete um bom jogo

Tshangana Gaston, técnico principal dos Diabos Vermelhos (Diables Rouges), designação oficial da selecção do Congo Brazzaville, disse ontem à tarde, após o treino de reconhecimento ao relvado do estádio da Cidadela, que a sua equipa vai defrontar hoje, às 15h30, no estádio da Cidadela, a sua congénere de Angola, com o pensamento virado na conquista da vitória, embora tenha afirmado tratar-se de um jogo sem objectivo.
 “Vamos aproveitar este desafio para permitir à selecção angolana a sua preparação para o Campeonato Africano das Nações, Taça Orange 2010 e, também para que nós possamos preparar a nossa equipa do futuro. Por isso, não estará em causa o resultado, mas sim, a confraternização entre esses dois povos velhos amigos”, disse o técnico congolês que promete fazer uma boa figura esta tarde.
Quem também corrobora dessa opinião é o ponta-de-lança Delvin Ndinga, jogador que evolui no campeonato da primeira divisão francesa.
“Apesar desta ser a minha segunda vez jogar cá em Angola, tenho pouca informação sobre o futebol angolano. Porém, por aquilo que vi no Mundial de 2006, e no CAN do Ghana de 2008, tenho a certeza estaremos perante um grande jogo esta tarde. Não importa o resultado, mas vale a convivência”, aludiu Delvin Ndinga.
Os congoleses que se encontra desde a manhã de ontem em Luanda, realizaram no período da tarde, o reconhecimento do relvado do Estádio Nacional da Cidadela, palco do amistoso de hoje diante dos Palancas Negras, num desafio inserido no programa de preparação do conjunto angolano, visando o CAN de 2010.
Como não podia deixar de ser, a sessão de treino de ontem começou com o desentorpecimento muscular dos atletas, seguida de uma prolongada preparação técnica dos jogadores, da qual o treinador Tshangana Gaston pôde tirar grande proveito para a selecção do onze a ser utilizado no desafio de hoje.
Augusto Panzo

Cefojor e AIDA
capacitam jornalistas

Uma acção de formação e superação técnico-profissional dirigida aos jornalistas desportivos dos órgãos nacionais, no âmbito da XXVII edição do Campeonato Africano das Nações, CAN, que Angola acolhe de 10 a 31 de Janeiro de 2010, será realizada nos dias 18 e 19 do corrente, no anfiteatro do Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor), faz saber um comunicado de imprensa proveniente daquele órgão do Ministério da Comunicação Social.
A actividade sob responsabilidade do Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor) e da Associação de Imprensa Desportiva de Angola (AIDA) tem como objectivo capacitar e potenciar a classe jornalística desportiva com vista a garantir uma cobertura mediática tão abragente quanto profissional do CAN 2010, assim como promover o intercâmbio de experiência entre os profissionais da classe.
Para assegurar a referida acção formativa, a direcção do Cefojor e da AIDA convidaram ilustres personalidades do meio desportivo angolano. Trata-se de Victor Silva, Arlindo Macedo, Matias Adriano, Mateus Gonçalves, Luís Caetano, Luís Fernando, Manuel Mariano, Januário Marras, Joaquim Vieira “Quim” Ribeiro e Jorge Mário Fernandes que vão abordar os seguintes temas:
O papel dos meios de comunicação social no êxito do CAN 2010, abordagem e cobertura dos grandes eventos desportivos, a experiência angolana na cobertura dos Campeonato Africanos de futebol, o marketing do CAN 2010, a promoção da imagem do país durante o CAN, o papel da Polícia Nacional no asseguramento da competição, regras dos jogos no campeonato (contagem decrescente, arbitragem, disciplina e controlo anti-doping) e organização de um desk (agência, TV, rádio e imprensa).
Os referidos oradores terão como moderadores os consagrados jornalistas Silva Candembo e António Ferreira.
A sessão de abertura do curso está marcada para as 9h00, de quarta-feira, e será feita pelo ministro da Comunicação Social, Manuel António Rabelais, enquanto a cerimónia de encerramento acontece na quinta-feira, 19/11/09, e será presidida pelo seu homologo da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba.