Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Assalto final da taa

Betumeleano Ferro - 31 de Outubro, 2017

1 de Agosto, almejada dobradinha.

Fotografia: Jos Cola | Edies Novembro

Em plena "ressaca" da festa da consagração do campeonato, o 1º de Agosto  tenta confirmar hoje o estado de graça diante do Progresso do Sambizanga, para confirmar o apuramento à final da Taça de Angola, rumo a tão almejada dobradinha.

A magra vantagem de um golo de diferença, 3-2, é um resultado traiçoeiro e fácil de recuperar. Tudo indica que quando o jogo começar às 15h30, nos Coqueiros, vão ser os sambilas a correr atrás do prejuízo para inverter o avanço dos militares.

A decisão da eliminatória, ocorre no melhor período competitivo, dos rubros - negros. Por isso, a maioria dos olhares vai estar focalizada no que o bicampeão vai fazer. Todos os ventos são favoráveis aos agostinos. O momento é de bonança, porque a equipa tem confiança necessária para manter a identidade, apesar do apertado da vantagem.

Sem necessidade de fazer gestão de esforço, o 1º de Agosto tem no título antecipado, o 'doping' da motivação extra e correr mais do que o Progresso,  arriscar até o que não tem, porque tem confiança no que faz, ainda mais agora, em que ganhar tornou-se a sua sina.

Os sambilas têm muito mais do que uma palavra a dizer na eliminatória, mas vão ter de ser irrepreensíveis, para fazer mais do que os militares. Ninguém dúvida da capacidade de revirar a eliminatória, o único problema, é o momento em que têm de superar o 1º de Agosto.

Vai ser necessário dar o melhor, da equipa orientado por Kito Ribeiro, para  ganhar, por 1-0 ou 2-1, únicos resultados que resolvem de maneira directa a eliminatória a favor do conjunto do Sambizanga.

A ambição de disputar, a segunda final consecutiva, que acontece como feito inédito nos seus 42 anos de história, faz o Progresso esquecer por alguns instantes os compromissos no campeonato, contudo, as poupanças deram para fazer muito, na primeira mão.

Hoje é o dia D, para os sambilas, mais do que corrigir as falhas defensivas, também vão mostrar eficácia ofensiva para marcar, no mínimo um golo e serem fortes, para anularem o ataque militar que está forte esta época.

O 1º de Agosto conhece as coisas boas que o Progresso fez, na eliminatória passada contra o Kabuscorp, mas há algo mais que vai acordar as faculdades perceptivas. Este, é o quarto jogo da época entre as duas equipas, e os rubro - negros estão imbatíveis, com 2 triunfos e um empate.

A estatística desfavorável deve estar a aumentar a revolta no seio dos sambilas, uma vitória esta tarde com menos golo da primeira mão, apaga todo o passado amargo, porque vai dar acesso à final da Taça de Angola.

Os militares, agora, pensam na dobradinha, mas como a eliminatória ainda está em aberto, nem sequer entram em campo como se estivessem a caminho dela. Isso, até pode vir a acontecer, mas no final do jogo é que vamos saber se os sambilas são realmente os velhos clientes dos militares. Porém, o milénio fez o 1º de Agosto perder alguns jogos com o Progresso.


PLANTEL
Rambé regressa
à titularidade


O melhor marcador da equipa do 1º de Agosto, o avançado Rambé, parece certo hoje na equipa inicial, na deslocação ao encontro do Progresso do Sambizanga, no Estádio dos Coqueiros, depois de um longo período de recuperação devido a lesão.

O cabo -verdiano não foi escolha, por opção técnica, no jogo de domingo  diante do Atlético Sport Aviação (ASA), mas constou dos 18 convocados pelo bósnio Dragan Jovic, permaneceu no banco de suplente durante os 90 minutos.

O goleador do conjunto militar no Girabola Zap, com 11 golos, teve já alguns minutos de jogo na recepção ao Progresso da Lunda- Sul, para a 28ª jornada em que entrou no segundo tempo, para ganhar ritmo competitivo.

Rambé junta-se no ataque a Diogo Rosado, que nos últimos dois desafios deu nas vistas, principalmente, nos dois golos marcados na primeira mão da Taça de Angola, diante do Progresso do Sambizanga, atravessa por isso, um bom momento de forma.

A equipa técnica rubro - negra pretende colocar o melhor onze, para carimbar o passe para à final da segunda maior competição futebolística do país, que por via disso, dá acesso a uma vaga para às Afrotaças, nomeadamente, a Taça da Confederação.    
JN


1º DE AGOSTO
Militares “piscam” o olho à final


O 1º de Agosto deposita grandes ambições na Taça de Angola, para conquistar a "dobradinha", depois de festejar o título do Girabola Zap. Hoje às 16h00 no Estádio dos Coqueiros, diante do Progresso do Sambizanga, desafio a contar para a segunda mão das meias-finais desta competição, joga a pensar só na vitória.

O adversário impõe respeito, pelo futebol que apresenta, daí, que os militares tenham de manter a concentração, para atingir à final da prova.

"Estamos, agora, a pensar no Progresso em relação ao jogo para a Taça de Angola, porque  é uma equipa muito difícil, nós os conhecemos bem, e eles a nós, por isso, vamos procurar manter a concentração para ganhar o jogo, e chegar à final que é o nosso objectivo", disse Ivo Traça, no final do jogo com o Atlético Sport Aviação (ASA).

No desafio da primeira volta, os agostinos venceram por 3-2, depois de estarem em vantagem (3-1), uma situação que o adjunto de Dragan Jovic espera não voltar a acontecer.

"Queremos fazer um jogo diferente, ao da primeira mão, naturalmente, que esperamos por dificuldades, por ser um desafio decisivo, mas estamos determinados num bom resultado, que passa pela nossa qualificação para a final desta competição", analisou o desafio anterior.

Ivo Traça defende, que nada ainda está resolvido, e que tudo vão fazer no relvado, para garantir o passe  para a final da segunda maior competição futebolística do país.

"Sabemos, que está tudo em aberto, porque em caso de derrota por 1-0, somos eliminados, mas a equipa está motivada com a conquista do campeonato,  queremos aproveitar o momento para chegar à final, e fazermos a dobradinha",  disse confiante.

O técnico -adjunto militar fez igualmente referência à conquista do Girabola Zap, defendeu que "foi um campeonato merecido, por aquilo que fizemos  ao longo do ano, somos a equipa que mais mostrou interesse em ganhar o campeonato", finalizou optimista na qualificação.

O técnico Dragan Jovic pode alinhar a seguinte equipa: Nuno (Tony Cabaça) - Paizo, Dany Massunguna, Bobó, Natael - Buá, Macaia(Show), Ibukun - Geraldo, Diogo Rosado e Rambé.        

                                      
PROGRESSO
Sambilas querem progredir para final


O técnico -adjunto do Progresso do Sambizanga,  reiterou ontem ao Jornal dos Desportos, que os sambilas encaram todos os jogos com a mesma disposição, a de vencer.  O treinador realçou que é com esta atitude, os atletas encaram a recepção ao 1º de Agosto, esta tarde no Estádio dos Coqueiros, para segunda mão das meias-finais da taça.

Diogo Pedro "Dione" frisou, que apesar de todo o respeito que têm pelo adversário,a postura logo mais não vai ser diferente, pois, a intenção é anular a desvantagem da primeira mão, contudo, está ciente do grau de dificuldades, ainda assim, o pensamento está centrado na passagem para a final.

"Depois da derrota, no jogo da primeira mão, diante do 1º de Agosto com quem perdemos, por 2-3, esperamos por uma partida renhida a julgar pelo factor casa a nosso favor, por isso ,acreditamos num resultado positivo", referiu.

Sublinhou que o grupo não está preocupado com o passado, nem com o histórico dos confrontos entre si, mas estão motivados para jogar a grande final. "A nossa ambição é chegar à final, e começar a pensar no troféu", precisou disse.

Para tal, Dione precisou que vai ser necessário correr muito, para se concretizar o objectivo. "Queremos que a equipa se mantenha concentrada no capítulo defensivo, e eficaz na finalização, situação que claudicam em muitos jogos. Caso se corrija as situações, estamos crentes que é possível ultrapassar o 1º de Agosto", comentou.

O treinador não aponta favorito, mas revela que as duas equipas têm 50 por cento de possibilidade para seguirem em frente, não obstante a vantagem dos militares na eliminatória.  

"Apesar da vantagem do adversário, vamos jogar num terreno que é nosso. Conhecemos bem a nossa casa, independentemente, da desvantagem em que nos encontramos, mas temos consciência que é possível ultrapassar o 1º de Agosto, uma equipa forte, mas não imbatível", realçou.

Depois de desfalcar o jogo do fim-de-semana para a 29ª jornada do Girabola Zap, o capitãoYano está recuperado das dores no joelho direito,  entra nas contas da equipa técnica para o embate decisivo. Quem está em dúvida, para este dérbi, é o defesa Nzau que ainda não está recuperado das dores no tornozelo direito.

"As contrariedades fazem parte do futebol. Há jogadores que não estão disponíveis, mas temos outros, em prontidão para jogarem. Estamos em crer que Nzau até amanhã (hoje) possa estar em condições para fazer parte do jogo", afirmou.

Dione admite, que a lotação do Estádio seja um factor de motivação para ambas as equipas, mas está focado nas qualidades e na postura que a sua equipa pode apresentar dentro de campo.

"Um Estádio cheio, empolga qualquer atleta. Isso, dá sempre uma força anímica a quem está dentro do campo. Por esta razão, apelamos à massa associativa para estarem presente hoje no Estádio, para empurrar a equipa para a vitória.

"Estamos preparados, com vontade imensa de jogar. A qualidade e a quantidade dos jogadores que temos, dá-nos garantias para disputar o jogo de igual para igual. Dada as características da competição, vai vencer e estar na final, quem menos erros cometer. De resto, estamos preparados para um bom jogo, aliado a um bom espectáculo" concluiu.

Petro de Luanda tem
superioridade de 2 -0 sobre Maquis

A vantagem de 2-0, à priori é segura, para o Petro de Luanda regressar das chanas do Leste apurado para a final da Taça de Angola. Os tricolores estão 'folgados', vão ao Mundunduleno aproveitar o tudo ou nada do FC  Bravos do Maquis, no jogo que começa às 15h00.

Os petrolíferos estão em busca da consolação da época, contudo, têm de evitar cair aos pés dos maquisardes, como aconteceu em 2015. O cenário actual é diferente,  os ventos sopram ao contrário, motivo por que obriga a evitarem os desperdícios, e o bom curso que está a tomar a eliminatória. Por isso, não há margem de erro.

A final está no fundo do túnel, ainda assim, os tricolores não podem adoptar uma atitude de espera, para ver o que os maquisardes trazem, para inverterem a eliminatória. Deixar os donos da casa assumirem o controlo do jogo, pode contribuir de maneira voluntária, para reacender a esperança de recuperação da desvantagem, aliás, atitude pouco sensata para quem pretende evitar sofrimento desnecessário.

O Petro está numa das fases mais complicadas da temporada,  o desenlace na questão do título deixa marcas, mas o momento agora não é de lamentações, porque ainda há a Taça de Angola a conquistar, mas o acesso à final tem os maquisardes como obstáculo.

Com a eliminatória favorável, a formação do catetão tem atitude mental para suportar sem se desorganizar, todos os estratagemas que os maquisardes possam usar para marcar cedo, ou o primeiro a agitar a eliminatória. Mesmo que sofram primeiro, os tricolores têm de ter capacidade para tirar proveito da melhor qualidade, para pôr o adversário no seu devido lugar.

Sem liberdade de escolha, porque precisa no mínimo de vencer, por 2-0, para anular a desvantagem da primeira mão, o Maquis tem de ser astuto para  ter espaço e tempo suficiente para enlaçar o Petro de Luanda.

Até certo ponto, os anfitriões estão perante um dilema, entrar de peito aberto pode dar espaços  às individualidades do adversário para brilharem,  apostar no contra-ataque também pode não ser uma boa solução, porque dava ao Petro o controlo do jogo. Numa situação dessas, talvez fosse mais fácil a quem está em vantagem gerir a posse de bola, em vez de cometer "loucuras".

O FC Bravos do Maquis precisa de marcar, se possível primeiro, para fazer renascer a esperança. Se o Petro chegar primeiro ao 1-0, os donos de casa têm de golear, por 4-1, para obterem o passe para a final.

Ninguém está à espera de ver os maquisardes com uma vitória gorda, nem mesmo os próprios atletas, acreditam nesse tipo de "milagre". De resto,  há  poucos motivos para acreditar, que mesmo num dia mau, o Petro de Luanda dê tantas baldas ao ponto de deixar perder a oportunidade de salvar a época com a conquista do referido troféu na granda final do dia 11 de Novembro.