Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Associado alegada sabotagem

Paulo Caculo - 22 de Agosto, 2019

Srdjan Vasiljevic acusado de ter criado um clima de instabilidade no seio da Seleco Nacional de honras na prova do Egipto

Fotografia: Jos Cola, Edies Novembro

O Campeonato Africano das Nações (CAN) acabou há um mês, mas no seio da Federação Angolana de Futebol (FAF) demora-se a digerir o fracasso da Selecção Nacional na competição. Algumas fontes no órgão federativo acreditam, piamente, que o insucesso dos Palancas Negras, na competição organizada pelo Egipto, foi resultado de um clima de sabotagem gerado por membros da própria equipa técnica.
Como prova disso, questionam o facto de não perceberem as motivações do seleccionador Srdjan Vasiljevic em anular o jogo amistoso agendado com a selecção da África do Sul, no Cairo, sob pretexto de que não havia campo para efectuar o desafio, quando a federação tinha tudo organizado e, inclusive, encetado contactos antecipados com a representação diplomática de Angola no Egipto.
A atitude do sérvio Vasiljevic em desistir do jogo de forma unilateral, quando havia tudo combinado com os responsáveis federativos sul-africanos, de acordo ainda com a fonte, acabou por gerar um clima de instabilidade no seio do grupo e de alguma  desconfiança, em relação aos verdadeiros objectivos do seleccionador.
"A direcção da federação não compreendeu as motivações do seleccionador. Estava tudo preparado para que o jogo se realizasse. Mas o seleccionador simplesmente entendeu que não havia condições para jogar, apenas porque o estádio inicialmente previsto estava indisponível", esclareceu.
Acrescenta a fonte, que não havia sigilo profissional entre os membros da equipa técnica e, a dada altura, informações restritas do grupo de trabalho eram conhecidas cá fora e divulgadas pela imprensa, com a gravidade de algumas delas apanharem de surpresa a direcção da federação.
"A equipa técnica da selecção não soube gerir muito bem as informações internas do grupo. Parecia que alguém estava disposto a causar instabilidade interna, sabotar todo o trabalho da federação, para desacreditar a direcção de Artur Almeida. A dada altura passava-se a imagem de que havia ilhas no balneário. Penso que o seleccionador não foi um bom gestor do balneário nesse aspecto", elucidou a mesma fonte.
A situação, segundo ainda a fonte que vimos citando, chegou a despertar os membros da direcção da federação presentes no Egipto, para a necessidade de prevenirem casos alarmantes no decurso da competição. Ainda assim, uma alegada atitude de desrespeito à federação, atribuída a Srdjan Vasiljevic, durante uma reunião convocada no palco do CAN, acabou por azedar em definitivo as relações do ex-seleccionador com a direcção da FAF.
 "Houve uma falta de respeito do seleccionador para com os membros da direcção da federação. O técnico não foi demitido, na altura, porque houve uma certa ponderação por parte da FAF", sustentou a fonte.

EQUIPA NACIONAL
FAF procura novo seleccionador

A direcção da Federação Angolana de Futebol (FAF) está no mercado à procura de um novo seleccionador, para ocupar a vaga de sérvio Srdjan Vasiljevic, que rescindiu amigavelmente o vínculo contratual com o órgão reitor da modalidade, inicialmente previsto para encerrar a 7 de Dezembro.
O Jornal dos Desportos sabe, que a Federação já definiu um perfil para o próximo "pastor" dos Palancas Negras. Ou seja, o sucessor de Vasiljevic vai ter  de ser um conhecedor da língua portuguesa, independentemente da nacionalidade ou país de origem.
Consta que a Federação quer evitar a aposta num seleccionador que obrigue ao recurso de tradução para o desempenho  do seu trabalho, ou na comunicação com os jogadores, por existirem provas de que as limitações de comunicação de Vasiljevic com o grupo de trabalho influenciou negativamente, na execução de algumas tarefas julgadas fundamentais para a concretização dos objectivos da selecção.
"Houve vezes, em que os jogadores interpretavam muito mal as traduções feitas  a partir das orientações do seleccionador. Notou-se isso, várias vezes e acho que a Federação não está mais disposta a arriscar. Uma coisa é ouvir directamente do treinador e outra, completamente diferente, é interpretar através de tradução", disse a fonte que citamos.
O substituto de Srdjan Vasiljevic, de resto, vai ser conhecido depois do dia 10 de Setembro, na ressaca do desafio decisivo de Angola com a Gâmbia. O sérvio deixou o comando técnico da Selecção Nacional por não chegar a acordo para a renovação do seu contrato.