Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Ataque preocupa

18 de Janeiro, 2018

Fotografia: | caf.com

O sector atacante da Selecção Nacional é o que requer maior atenção, considerou ontem em Agadir Srdjan Vaseljevic, seleccionador nacional no balanço que fazia aquilo que foi a prestação no primeiro jogo Chan'2018 diante do Burkina Faso e que terminou empatado a um golo. Apesar de tudo o sérvio manifestou-se satisfeito com aquilo que em termos gerais foi o desempenho da equipa.
Falando ao Jornal dos Desportos, pediu aos seus atletas um maior empenho nos próximos jogos, considerando o campeonato um compromisso colectivo onde todos, incluindo equipa técnica devem procurar dar o se máximo, se é que o objectivo seja saírem daqui com uma classificação que passe um "mata-borrão" por aquilo que foi a edição passada.
Considerou o começo tardio da preparação como um estorvo, mas não deve ser colocado à frente como pretexto daquilo que, eventualmente, corra mal. "Aquilo que passou, passou já não deve povoar as mentes. Devemos virar as atenções para frente e procurarmos fazer bem aquilo a que nos propusemos fazer neste campeonato." Disse.
Reconhece que a Selecção angolana não é inferior das outras do grupo, precisa só eé acreditar mais em si é naquilo que faz. Como o Burkina  Faso fizemos, apesar de algumas falhas, um bom jogo. Aliás, se estiveram atentos fisicamente estivemos melhor, pois muito jogadores do Burkina Faso caíram várias vezes mas os nossos não caiam.
A preparação que começou ontem com apenas uma sessão ao período da tarde, mais voltado para a recuperação física, visa fundamentalmente ensaiar estratégias para o jogo com os Camarões no próximo sábado.  Vasiljevic considera este jogo não só como decisivo, mas também difícil em face da derrota dos " Leões Indomáveis" na primeira jornada.
O que se diz por cá é que em função deste quadro classificativo, os burkinabes deverão entrar para matar, pois vão jogar o tudo ou nada. "Eu assisti o jogo com o Congo Braaville e apesar de ter perdido pareceu-me um adversário extremamente forte e que não deve ser encarado sem uma pregação cuidada." Disse o seleccionador nacional.
Quisemos saber se em função do quadro de resultados da primeira jornada já é capaz de fazer um enquadramento daquilo que pode ser o desfecho da nossa campanha, disse que todo o resto vai depender da nossa prestação e da dos nossos adversários. "Mas eu gostaria que fossemos a outra fase e se possível nas outras a seguir," expressa a ambição.
O refrescamento da equipa nos próximos tempos, com a convocatória de outras unidades, não está fora dos planos. O seleccionador nacional tem esperança na construção de uma equipa forte e coesa. Diz esperar pelo arranque do Girabola para fazer uma melhor escolha. "Espero que comece o campeonato para que eu possa, em função do acompanhamento que farei à prova, melhorar a equipa onde for preciso.
Acredita que depois do jogo do dia 24 ainda possamos continuar aqui no Marrocos? Foi a última pergunta que o fizemos. A resposta: "É para isso trabalhamos, ninguém está aqui a trabalhar para voltar cedo a cada. Vamos fazer o nosso trabalho é acreditar nas nossas forças.

CHAN
Atletas com vontade ganhadora

Depois do empate a zero na passada terça-feira frente ao Burkina Faso, os atletas da selecção nacional de futebol expressam vontade em continuar na senda dos resultados positivos que os permitam passar de fase de grupos e, quiçá, mais adiante no CHAN2018, que decorre no Reino de Marrocos.
Em declarações à imprensa, na cidade de Agadir, sede do grupo D, o médio Paty, que actuou durante os noventa minutos, diz ser intenção do combinado passar de fase e o resultado do jogo de terça-feira reforça essa crença.
“Queríamos vencer a partida mas não possível. De qualquer forma o desfecho também não foi negativo, por isso vamos continuar a trabalhar para superarmos os outros adversários para concretizarmos a nossa intenção, realçou o atleta do Interclube que teve nos pés três oportunidades de marcar, aos 32, 35 e 54 minutos.
O atleta do Petro de Luanda Herenilson, também totalista em campo, fala na necessidade de se melhorar a finalização. “Foi uma boa partida, mas temos que afinar a finalização para ver se nos próximo jogos conseguimos uma vitória”, disse o jovem jogador de 21 anos.
O defesa central Nary, que fez dupla com Wilson, os dois com noventa minutos em campo, realça a motivação do grupo, como sendo fundamental para as boas exibições e assim podermos dignificar da melhor maneira o país.
O seu companheiro de posição reconhece que entraram receoso neste encontro de estreia, mas depois conseguiram assumir o jogo, considerando-o equilibrado.
“Criamos várias oportunidades mas não conseguimos concretizar. O importante é não termos sofrido também, agora é esperar o próximo embate diante dos Camarões”, analisou o jogador do Petro de Luanda.  
 Outros atletas , como Mano Calesso, que rendeu o jovem Vá (melhor jogador em campo, indicado pela organização) e Moco (não saiu do banco) também falaram à imprensa e exteriorizam igualmente a vontade do colectivo seguir em frente nesta prova reservada a futebolistas que actuam nos respectivos países.
Os Palancas Negras voltam a jogar no dia vinte frente aos Camarões, que perderam diante do Congo Brazzaville, por 0-1.
Os congoleses lideram o grupo, com três pontos, seguido pelos angolanos e burkinabes, com um cada. Em último estão os camaroneses, sem pontuar.

GRUPO B
Zâmbia e Namíbia
com boas perspectivas

O grupo B entra hoje em acção com a disputa da segunda jornada. Às 17h50 a Costa do Marfim tem pela frente a Zâmbia, enquanto a Namíbia e o Uganda medem forças às 20h00.
Dois jogos que desde já podem definir o futuro das duas selecções que na ronda inaugural consentiram derrotas, Costa do Marfim e Uganda.
Os marfinenses têm pela frente uma Zâmbia, moralizada pelo triunfo diante do Uganda, e que espera repetir a dose para garantir ainda hoje a qualificação à fase seguinte. A Costa do Marfim, em caso de derrota fica fora da prova.
Na outra partida, a Namíbia joga com o Uganda, dois conjuntos que tiveram prestações díspares. Os namibianos conseguiram uma boa vitória de 1-0 diante da Costa do Marfim e o Uganda foi batido pelo Zâmbia, o que significa que a Namíbia está em melhor posição para garantir os "oitavos" ou, no pior dos casos, ficar mais perto deles.

UGANDA VS NAMÍBIA
Treinadores e jogadores
lançam o jogo de hoje

O jogo de hoje entre ugandeses e namibianos pode ditar o afastamento dos primeiros e a qualificação dos segundos para a segunda fase. Treinadores e jogadores dos dois conjuntos falam deste embate, referente à segunda jornada do grupo B. Sébastien Desabre, treinador do Uganda, diz o seguinte:
"Analisamos a nossa performance no primeiro jogo contra a Zâmbia para tentar corrigir nossos erros. Fizemos as correcções necessárias para este segundo porque é imperativo para nós reagir. Outra derrota será sinónimo de eliminação. Vamos optar por uma estratégia ofensiva porque é imperativo vencer a Namíbia. Eu sempre fico fiel à minha filosofia. Temos um projecto para construir uma equipe forte e acho que isso começa neste torneio. Eu sou optimista para essa partida porque os jogadores têm a vontade de reagir. Lamento a ausência do nosso atacante Shaban Mohamed, ferido. Ele estará de volta ao último jogo contra a Costa do Marfim.
 Já Juma Ibrahim Sadam meio-campista do Uganda diz que a nossa derrota contra a Zâmbia já foi esquecida. "O treinador deu-nos instruções de que nos apresentaremos contra a Namíbia. A moral é boa e queremos reagir rapidamente", referiu.
Por seu turno, Ricardo Mannetti , treinador da Namíbia, espera chegar já hoje à segunda fase:
" Como eu disse antes, todas as equipas do grupo querem chegar à segunda fase. Depois de um jogo, nada ainda está definido, mesmo depois de vencermos a Costa do Marfim.  É por isso que a vitória para nós é importante contra o Uganda porque queremos garantir a nossa qualificação rapidamente. O Uganda vai querer responder. Cabe a nós gerenciar essa parte. O adversário esta melhor do que nós no ranking da FIFA e esteve presente no última CAN, ao contrário de nós. Nós ainda continuamos a ser os perdedores deste grupo.  Fico feliz que não haja pressão sobre os meus jogadores ".

GRUPO A
Marrocos vence
e alcança “oitavos”

A selecção do Marrocos, país anfitrião do CHAN, tornou-se ontem na primeira formação a alcançar os oitavos-de-final da competição, ao derrotar a Guiné por 3-1, no jogo de abertura da segunda jornada do grupo A.
Os marroquinos tiveram arte e engenho para dar a volta ao resultado, após estarem em desvantagem na partida. O atacante El Kaabi foi o herói da partida ao fazer o primeiro "hat-trick" do campeonato, sendo neste momento o melhor marcador da competição com 5 golos em dois golos, dado que havia bisado na estreia diante da Mauritânia.
Depois da derrota diante do  Sudão na primeira ronda, a Guiné-Conacry ficou ontem pelo caminho, pois, com o segundo desaire, a equipa fica impossibilitada de se apurar à fase seguinte, mesmo que vença no próximo domingo a Mauritânia, para a terceira jornada.
Ainda, ontem, Mauritânia e Sudão estiveram em confronto, em jogo cujo resultado era por nós desconhecido até ao fecho desta edição.

BENIGNO LOPES
Embaixador angolano
acredita na Selecção

Em função da exibição patenteada no jogo de terça-feira frente ao Burkina Faso (0-0), o embaixador angolano no Reino de Marrocos, Benigno Vieira Lopes, acredita que a selecção nacional de futebol venha a ter sucessos no CHAN, prova reservada a atletas que actuam nos respectivos países.
Em declarações à Angop, no final do jogo disputado no Grand Stade de Agadir, o diplomata elogiou a postura em campo dos futebolistas nacionais, que souberam dignificar as cores da bandeira de Angola.
“A começar pelo jogo de hoje estamos bem representados. Apesar de ser uma equipa muito jovem, procurou sempre dar o seu melhor”, elogiou.
Por outra, mostrou a disponibilidade da embaixada em ajudar no que for preciso.
Adiantou que estão a mobilizar os estudantes angolanos em Marrocos (não especificou números) para puderem apoiar com toda força esses "bravos" rapazes nos próximos jogos.
“Os estudantes, neste momento, estão em exames em faculdades de outras cidades, mas a mobilização está a ser feita para pelo menos, no último jogo da fase de grupos (dia 24), estejam aqui para “darem o seu calor”.
 O próximo encontro da selecção é no dia 20, diante dos Camarões, que perdeu com o Congo Brazzaville, por 0-1.