Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Ataque preocupa Mário Soares

BENINGNO NARCISO- LUBANGO - 12 de Setembro, 2017

Treinador pretende forte mentalidade dos jogadores na hora da finalização

Fotografia: SANTOS PEDRO/ edições ovembro

O técnico do Desportivo da Huíla, Mário Soares, está agastado com a incapacidade do ataque da equipa em traduzir em golos, as inúmeras situações que produz nos jogos do Girabola Zap 2017. Por isso, não encontra respostas para justificar a fraca capacidade de finalização do grupo às suas ordens.

Com a necessidade de somar o maior número de pontos possíveis, nas próximas seis jornadas por disputar no campeonato, o técnico realçou não entender o que se passa com a equipa. Reforçou, que o corpo técnico trabalha de forma intensiva todos os aspectos e nuances de jogos, mas o grupo continua sem assimilar a mentalidade do quando, e como finalizar.

“Não sei o que se passa com a minha equipa. Trabalhamos muito os aspectos de jogo,  mas no toque final, com certeza, falta ainda a mentalidade. Temos de trabalhar neste aspecto, porque é o défice que a equipa tem, ou seja, a mentalidade do quando e como tocar para a finalização”, desabafou. Mário Soares apontou como situações flagrantes, a postura ofensiva da equipa no desafio de domingo diante do Sagrada Esperança, 1-1, no Estádio do Ferroviário no Lubango, em que perante situações de um para zero, ou seja isolados, os avançados foram incapazes de enquadrar a bola no interior da baliza contrária.

Lamentou o “festival de falhanços” que resultou de situações ofensivas bem delineadas e que deviam ser aproveitadas, ainda mais, pelo facto de o Desportivo jogar com um adversário que ocupa os lugares cimeiros da prova. “Mais uma vez, tivemos situações de um para zero, isolados e enquadrados com a baliza.

Essas situações são para serem aproveitadas. Somos uma equipa modesta, e a jogar com um adversário que está nos lugares cimeiros, as oportunidades são para serem bem aproveitadas. Quando assim não acontece, há um resultado como esse (1-1) que acaba por ser negativo”, exteriorizou.

Para inverter o quadro, o técnico do Desportivo garantiu continuar a apostar na elevação da mentalidade dos atletas, por formas a adequar o nível de compreensão da equipa às qualidades técnicas e tácticas, que o plantel possui.
BN - LUBANGO