Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Atletas orgulhosos pelo feito obtido

Pedro Augusto, em Goinia - 07 de Novembro, 2019

Sul-coreanos impediram angolanos de sonhar mais alto

Fotografia: DR

O jogo das decisões com a Coreia do Sul, disputado terça-feira última, no estádio Olímpico de Goiás, em Goiânia, que ditou o seu afastamento do Campeonato do Mundo Sub-17 de futebol, face a derrota por 1-0, foi pouco conseguido pela Selecção Nacional. Isso, porém, não retira o brilho do excelente trabalho feito pelos comandados de Pedro Gonçalves na prova. O objectivo de chegar aos quartos-de-final falhou, mas, a primeira presença de Angola em um Mundial da categoria, não deixa de ser dignificante e deve ser resumida em  apenas uma palavra: sucesso.
Ignorados e desacreditados antes da sua qualificação à fase final da prova, os Palanquinhas, superiormente comandados pelo português Pedro Gonçalves, chegaram ao Brasil confiantes no seu potencial e conseguiram o que muitos não apostavam: a qualificação para os oitavos-final. 
Colocado no grupo A, juntamente com o anfitrião Brasil, com a hepta campeã da Oceânia (Nova Zelândia) e com o Canadá, selecção que competiu pela nona vez no certame, os angolanos tiveram um "arranque" de leão na competição mundial. A vitória sobre à sua congénere da Nova Zelândia, por 2-1, na primeira jornada do campeonato, serviu de tónico para o sucesso no seu ano de estreia. O triunfo sobre os neozelandeses despertou e colocou Angola na "boca do mundo".
A confirmação de que a selecção angolana não seria o bombo da festa foi na segunda jornada, diante do combinado canadiano.
Apesar do serviço apertado, os Palanquinhas alcançaram uma nova vitória por 2-1, e garantiram, antecipadamente, o passe para a fase seguinte.
O Estádio Waldir Campelo Bezerra, conhecido por Bezerrão, em Gama - Distrito Federal, em Brasília - acabou por se transformar em talismã para a selecção angolana, pois lá venceu os dois jogos que disputou.
O mesmo não se pode dizer do Olímpico de Goiás. O principal estádio de Goiânia acabou por ser um grande pesadelo para os Palanquinhas. Em dois jogos, um para a fase de grupos, diante do Brasil, e outro para os oitavos-de-final, frente à Coreia do Sul, Angola terminou derrotada por 2-0 e 1-0, respectivamente.