Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Atraso na preparao pode ser fatal

Gaudncio Hamelay- Lubango - 14 de Dezembro, 2017

Jorge Nito

Fotografia: Jornal dos Desportos | Edies Novembro

A contratação tardia do novo seleccionador nacional de futebol, o sérvio Srdjan Vasiljevic, pode influenciar negativamente na prestação angolana no CHAN 2018 que vai decorrer de 13 de Janeiro a 4 de Fevereiro, no reino de Marrocos. A constatação é do coordenador dos escalões de formação do Benfica do Lubango, Jorge Nito, que manifestou -se céptico quando à obtenção de resultados positivos dos Palancas Negras na competição africana.
Jorge Nito justificou que o tempo de preparação é diminuto para a selecção nacional que almeja resultados positivos, devia prepara-se com antecipação.  
“O que podemos esperar dos Palancas Negras no CHAN é um desaire, porque não entendo o que se passa no nosso futebol. Estamos atentos ao que acontece fora, e vimos como é que uma equipa vencedora se prepara. E, é aquilo que se tem dito: Todos gostam de ganhar, mas nem todos se preparam para ganhar. Então, acho que estamos a nos preparar para não termos aqueles resultados que esperamos. O atraso pode ser fatal para a nossa selecção   ”, afirmou.
Na qualidade de treinador de futebol, Jorge Nito disse não ser possível uma equipa preparar-se para uma competição há aproximadamente um mês do seu início. Argumentou, que esta situação pode ser penosa, para os intentos da selecção nacional de honras.
Por essa razão, defende que Angola fosse representada nesta prova por uma equipa formada por jogadores Sub-20 ou 23.
“Ouvi opiniões de agentes desportivos de que seria melhor que fossemos com a equipa Sub-20 ou de Sub-23. Eu também concordo, que seria melhor assim. Agora, formar e conhecer os jogadores, o novo treinador vir com outra filosofia, quer dizer que fica complicado”, defendeu.
Citou que o seleccionador nacional pode até fazer de tudo um pouco em termos de preparação, mas os resultados não serão os que queremos.
Quem defende igualmente a participação de Angola no CHAN 2018, em Marrocos, com uma selecção de Sub-23 é o adepto António Correia, que na sua visão marca  a preparação para futuras competições internacionais, sobretudo o CAN 2019, com sede nos Camarões.
“A situação é preocupante, porque a indicação do substituto de Bento Bianchi foi já tarde, e a preparação só tem o  início neste sábado. Então, a situação torna-se ainda mais insegura, porque em nosso entender a selecção já devia estar a trabalhar em função do que é a sua participação. Mas tudo depende do que são os objectivos que a FAF tem para com a selecção que vai para o CHAN”, frisou.
GAUDÊNCIO HAMELAY - LUBANGO

PREPARAÇÃO
Luanda e Lubango
no acerto da estratégia


Os 28 dias que separam a Selecção Nacional da estreia no CHAN de Marrocos, devem ser preenchidos de treinos intensos, metade dos quais em regime de estágio, na cidade do Lubango.
De acordo com as declarações do presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur Almeida e Silva, os Palancas Negras devem trabalhar durante duas semanas em Luanda, provavelmente no Estádio 11 de Novembro, devem na terceira semana deslocarem-se à Huíla, com vista o cumprimento de um curto estágio na cidade do Lubango.
Nessa altura, o sérvio Srdjan Vasiljevic deve trabalhar já com o grupo mais reduzido, em cerca de 20 atletas, deve nessa fase incidir a preparação nos ensaios do modelo táctico e estratégia de jogo a adoptar durante a empreitada no CHAN.
Durante a preparação, o seleccionador nacional pode confrontar-se com a contrariedade de não poder efectuar jogos amigáveis, em virtude das equipas observarem o período de férias. A situação deve obrigar o técnico  a encontrar alternativas, a mais provável é a realização de jogos com um misto de jogadores huilanos que evoluem no Girabola Zap.
De acordo com o vice  -presidente da Federação, Adão Costa, o começo dos trabalhos está agendado para sábado às 9h00, no Estádio 11 de Novembro, ao Camama. Exercícios de preparação física no relvado e no ginásio devem dominar a primeira fase de trabalhos dos Palancas Negras.
Angola compete no CHAN de Marrocos, no grupo D, juntamente com Camarões, Burkina Faso e Congo Brazaville.