Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Augusto Chieto antev dificuldades na triagem

Jlio Gaiano, em Benguela - 07 de Setembro, 2019

Fotografia: Edies Novembro

O técnico da Selecção Nacional de Futebol para amputados, Augusto Chieto, admitiu ontem, nesta cidade, em entrevista ao Jornal dos Desportos, antever dificuldades para formar o grupo que vai disputar o Campeonato Africano das Nações, que acontece de 4 a 12 de Outubro, próximo em Benguela.
O seleccionador reconheceu, que o plantel é equilibrado o que vai obrigar muita concentração por parte da equipa técnica, para não cometerem erros. “É um processo que vai merecer da nossa parte seriedade e responsabilidade redobrada”, afirmou.
O treinador destacou, que, “a julgar pela qualidade dos jogadores que temos à disposição e ao contrário das anteriores convocatórias, em que podíamos escolher numa ou outra equipa jogadores pré-definidos, desta vez as coisas foram diferentes”, precisou.
Lembrou, que “no último campeonato aqui realizado, sobressaíram-se jogadores com outras valias técnicas e com fortes potenciais, para integrarem a equipa principal, por isso, não faz sentido descartá-los de ânimo leve”, salientou.
O técnico nacional garante ter à disposição, uma nata de jogadores com fortes possibilidades de protagonizar mais um feito para o país: vencer pela primeira vez a maior competição africana nesta especialidade. Fez saber que, dos 26 atletas indicados para integrarem os trabalhos da pré-selecção, apenas 14 vão formar a equipa nacional para o “Africano”.
“Não vai ser uma escolha fácil, se avaliarmos a qualidade dos jogadores que temos. Há muita qualidade, o que dificulta na escolha definitiva. Por isso, estamos a trabalhar, avaliando o processo evolutivo de cada um, no sentido de termos uma selecção capaz de traduzir o sonho dos angolanos, que passa pela conquista do título africano”, referiu.
O JD apurou que a partir de segunda-feira, os trabalhos programados pela equipa técnica vão incidir na componente técnica e táctica, sem descurar o aprimoramento físico, um dos elementos preponderantes na alta competição.
Em função da sua especificidade, a vertente psicológica vai continuar a fazer parte das sessões do treino, associando-se a resistência e força, de forma a incutir no grupo de trabalho o espírito de sofrimento e crença na vitória.
Depois da excelente campanha internacional no Mundial de 2018, na Turquia, onde se sagraram campeões mundiais, os angolanos, a jogarem em casa, são apontados como os principais candidatos a conquista do título e erguerem assim, pela primeira vez, o inédito troféu continental.